Pesquisadores investigavam um distúrbio  denominado neurofibromatose tipo 1 (NF1), uma condição genética pela qual os tumores crescem em nervos.

O objetivo do estudo, era descobrir os mecanismos por trás do crescimento tumoral  NF1,  em vez disso, os pesquisadores identificaram os processos responsáveis pela perda de cabelo (calvície) e a mudança na coloração (embranquecimento) um descoberta que pode levar a novos tratamentos para as calvície e cabelos grisalhos.

A pesquisa foi publicada na revista Genes and Development .

De acordo com a Associação Americana de calvície, com a idade de 35, cerca de dois terços do homens  nos Estados Unidos vai experimentar algum grau de perda de cabelo, e do total da população que irá sofrer de perda de cabelo na maturidade,  40% serão mulheres.

Quando se trata de cabelos grisalhos, um estudo de 2012 descobriu que aproximadamente 6 à 23%  dos adultos em todo o mundo pode ter pelo menos 50% dos cabelos grisalhos na idade de 50 anos.

Enquanto a perda de cabelo e a cor cinza são considerados por muitos como uma parte normal do envelhecimento, para alguns, esta condição pode ser altamente angustiante. Os pesquisadores acreditam que essa descoberta poderia promover  tratamentos novos para a mudança da cor dos cabelos e para a calvície.

A equipe relata que estudos já haviam determinado que os folículos capilares contêm células tronco, que desempenham um papel importante na produção de cabelo, e que uma proteína chamada fator de células estaminais (SCF) está envolvida na pigmentação do cabelo.

Em seu estudo, a equipe descobriram que, uma vez que as células-tronco migrem para a base dos folículos capilares, uma proteína chamada KROX20 – conhecida por seu papel no desenvolvimento dos nervos – é ativada em células da pele responsáveis pelas células que formam os cabelos.

Segundo a descoberta, quando KROX20 é ativado, as células progenitoras de cabelo produzem SCF, que é crucial para a pigmentação do cabelo.

Testes com camundongos foram testadas células da pele que possuíam KROX20 e SCF, e descobriu-se que as células da pele se comunicavam com células de melanócitos para formar pelos pigmentados. As células de melanócitos produzem melanina,  pigmento que dá cor a pele, cabelo e olhos.

Quando os pesquisadores excluíram SCF nos ratos, descobriram que os cresceram cabelos grisalhos nos roedores, com a idade. Quando as células produtoras de KROX20 foram retiradas, não houve crescimento de pelos nos ratinhos.

Essas descobertas indicam que as anormalidades em KROX20 e SCF desempenham um papel significativo na perda de cabelo e na cor grisalha, no entanto, estudos em seres humanos são ainda necessários para confirmar os seus resultados.

Os estudiosos acreditam que suas descobertas sejam uma promessa para o desenvolvimento de novas terapias para calvície e tratamento de cabelos grisalhos.

Com este conhecimento, espera-se no futuro criar um composto tópico que possa ser usado com segurança para corrigir este problema cosmético que incomoda muita gente, que é a calvície e cabelos grisalhos.

Fonte: 

http://www.medicalnewstoday.com/articles/317372.php

Créditos Imagem:

<a href=”http://www.freepik.com/free-photos-vectors/background”>Background image created by Pressfoto – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *