À medida que envelhecemos, nosso cérebro pode sofrer declínio funcional, na maioria das vezes nada que prejudique nossa rotina.

O envelhecimento afeta-nos de forma diferente, mas, comumente, a função cognitiva de um indivíduo de 80 anos, sofre um declínio em relação a um jovem de 30 anos com a mesma escolaridade.

Por estarmos vivendo mais tempo, as preocupações com o impacto desta perda de agilidade mental estão crescendo.

Pesquisadores acreditam que, uma simples intervenção pode ser considerada um elixir para a mente – o consumo de vegetais. Todos sabemos que devemos comer vegetais  e hortaliças; crescemos com nossas mães nos orientando acerca dos benefícios no consumo destes alimentos.

Um estudo recente onde 960 participantes foram recrutados e possuíam média de idade de 81 anos, que não apresentavam sinais de demência, foram estudados por uma média de 4,7 anos. Todos os anos, preenchiam questionários dietéticos e testes cognitivos completos.

Os participantes foram questionados em relação ao consumo de vegetais verdes folhosos como espinafre, couve, alface entre outros. Com base nessa informação os participantes foram divididos em cinco grupos por quantidade de vegetais consumidos.

O primeiro grupo comeu uma média de 1,3 porções por dia e o último grupo apenas 0,1 (quase não consumiam) porções por dia.

Como era esperado, um declínio cognitivo foi observado no grupo que consumiu menores quantidades destes alimentos por ano ao longo da década. No entanto, houve uma diferença entre os grupos de dieta. Aqueles do primeiro grupo que consumiram grandes quantidades de alimentos folhosos apresentaram redução cognitiva mais lentas do que as que comiam o mínimo.

Essa diferença entre os consumidores de vegetais verdes em maior quantidade e o de menor quantidade apresentaram o equivalente a declínio cognitivo de 11 anos. Então, aqueles que consumiram de 1 à 2 porções de hortaliças verdes por apresentaram melhora cognitiva aproximada de mais de uma década do que aqueles que consumiram apenas 0,1 porções.

A adição de uma porção diária de hortaliças verdes e vegetais à dieta pode ser uma maneira simples de promover a saúde do cérebro. As projeções demostram aumentos acentuados na porcentagem de pessoas com demência, já que os grupos etários mais velhos continuam a crescer em número, de modo a estratégias eficazes para prevenir a demência são críticas.

Uma série de fatores podem afetar o declínio cognitivo. A equipe de pesquisadores monitorou alguns fatores  entre eles, fumar, obesidade, hipertensão, maior nível de educação formal, atividade física e cognitivas e mesmo depois que esses fatores foram contabilizados, os resultados ainda foram significantes.

Os autores relatam que o estudo não provou causa e efeito, apenas demonstra associação. Vale ressaltar também que a população estudada era predominantemente branca, portanto, os achados podem não ser verdadeiros para outras raças.

De qualquer forma, com tantos benefícios de saúde comprovou-se que consumir legumes frescos e hortaliças regularmente trazem mais um benefício a saúde.

Fonte:

https://www.medicalnewstoday.com/articles/320416.php

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/background”>Background vector created by Brgfx – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *