Um novo estudo relata que mudança das estações tem um impacto significativo na cognição na maturidade. De acordo com os resultados, o inverno pode causar queda na capacidade mental.

As quatro estações já são conhecidas por terem algum poder sobre nossos cérebros, talvez o mais famoso seja na forma de desordem afetiva sazonal.

Este é um tipo de depressão, que ocorre predominantemente durante os meses de inverno.

Da mesma forma, alguns estudos concluíram que o início da esquizofrenia é mais provável de ocorrer no inverno, enquanto outros estudos, demonstraram variações sazonais no desempenho de memória e atenção.

Recentemente, pesquisadores do Centro de Ciências da Saúde de Sunnybrook e da Universidade de Toronto, ambos no Canadá, decidiram verificar se a doença de Alzheimer pode ter um componente sazonal.

Desempenho cognitivo sazonal

Para investigar se as estações afetam a demência, os cientistas estudaram dados de 3.353 idosos nos Estados Unidos, Canadá e França. Alguns participantes foram diagnosticados com Alzheimer e outros não receberam o diagnóstico.

Todos os participantes, passaram por testes neuropsicológicos, que incluíram uma bateria de 19 testes cognitivos; Além disso, um subgrupo de participantes foi testado quanto aos níveis de uma proteína ligada à doença de Alzheimer.

Quando os dados foram analisados, ficou claro que o funcionamento cognitivo médio era melhor durante o verão e o outono do que durante o inverno e a primavera. A diferença foi calculada como sendo o equivalente a 4,8 anos de declínio cognitivo normal.

Em consonância a isso, no inverno e na primavera, os participantes eram mais propensos a atender aos critérios de demência ou comprometimento cognitivo do que no verão ou no outono.

De fato, nos meses mais frios, os participantes foram 31% mais propensos ao diagnóstico de incapacidade cognitiva.

Como parte de sua análise, os pesquisadores avaliaram uma série de fatores que poderiam influenciar os resultados, como sintomas depressivos, qualidade do sono, nível de atividade física e saúde da tireoide. Ainda assim, o efeito permaneceram estatisticamente significativos.

Análise de proteínas

Quando os cientistas compararam os níveis de proteínas relacionadas ao Alzheimer e a atividade genética, encontraram outra interação significativa. Os níveis de proteínas e genes relevantes encontrados no líquido cefalorraquidiano dos participantes flutuaram ao longo das estações do ano.

Se as descobertas forem confirmadas, elas podem ser importantes para o modo como a demência é administrada.

Se a sazonalidade realmente afeta a demência, ela também pode oferecer informações sobre como a doença se desenvolve. Conhecer os mecanismos subjacentes a melhoria sazonal na cognição no verão e início do outono, estes resultados também abrem a porta para novas vias de tratamento para a doença de Alzheimer.

No entanto o trabalho de acompanhamento será necessário para confirmar os resultados. Assim, os meses mais frios parecem piorar os sintomas de demência e reduzir a capacidade cognitiva em idosos.

FONTE:

https://www.medicalnewstoday.com/articles/322979.phpAre dementia symptoms worse in winter?

Créditos imagem:

<a href=”https://br.freepik.com/fotos-vetores-gratis/inverno”>Inverno fotografia desenhado por Montypeter – Freepik.com</a>

 

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *