Conforme os anos passam, o processo de envelhecimento vai se estabelecendo como mais uma etapa de vida do individuo e algumas mudanças podem acontecer a no seu cotidiano: aposentadoria, os filhos saíram de casa ou parentes e amigos moram cada vez mais distantes ou uma reviravolta na vida acontece: uma doença grave, a perda de um ente querido ou decepções, frustrações, tristezas acumuladas, preocupações excessivas, enfim algo importante acontece e desestabiliza o cotidiano, a rotina perde o seu contorno, repentinamente a vida dita outras regras, outras notas musicais, outra dança.

O impacto é tão grande que pode causar na pessoa adoecimento psíquico ou emocional, não vê mais sentido nas coisas, tenta de diversas formas se reerguer, seguir em frente, mas pode ser difícil.

Os dias passam a noite chega e tudo permanece igual, a pessoa, em casa, sem vontade de fazer nada, vendo o tempo passar minuto a minuto, o relógio pesa demasiado. Viver virou um fardo.

Escuto esses relatos com tanta frequência que me pergunto por onde começar? O que fazer? Como posso ajudar? Então, começo devagar, conheço a história de vida, os gostos e os interesse. Lentamente vamos reconhecendo as possíveis redes de apoio, resgatando o cuidado de si, o amor próprio, a fé e a força para seguir em frente após o temporal.

Esse resgate do cuidado de si está fortemente relacionado a ter uma rotina básica de atividades diárias, a saber: higiene pessoal, alimentação, sono e despertar.

Cada atividade desta exige planejamento, atenção e organização. Então proponho pequenos acordos, por exemplo: horários para refeição, assim a pessoa se organiza e planeja o que vai preparar, como vai fazer e o horário que vai comer.

Por exemplo, o ato de preparar o alimento pode ajuda a estar com o pensamento e atenção plena no que está executando, permitindo viver o momento presente que é o ato de cozinhar, preparar uma refeição exige atenção constante com cada etapa do processo, desta maneira a pessoa tem a possibilidade de estar focada na atividade e assim realizar novas conexões cerebrais e estimulando os sentidos sensoriais.

Propor, aos poucos, alguns combinados ajuda a sair da inercia do cotidiano empobrecido. É importante também que se tenha um vinculo estabelecido com o cliente e que se respeite a sua singularidade e para que a intervenção seja realmente efetiva é fundamental propor atividades com sentido e significado para o sujeito.

Realizar o resgatar das atividades básicas de vida diária pode ser uma estratégia altamente eficiente para que o autocuidado possa estar novamente na rotina da pessoa. Existem momentos em que a melodia entra em descompasso, neste momento, é preciso parar e afinar os instrumentos para poder continuar no ritmo envolvente da orquestra da vida.

Por Suhaila Harati Neves

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/flower”>Flower image created by Bearfotos – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *