A cera que temos no ouvido é uma substância natural produzida por glândulas na pele do canal auditivo externo e age como um revestimento útil para o canal auditivo, portanto, a remoção não é necessária. No entanto, em casos de obstrução ou acúmulo de cerúmen, pode ser necessário a cera impactada ou excessiva, pois isso ode prejudicar a audição.

O acúmulo de cera pode ser causado pelo uso de aparelho auditivo, grampos de cabelo, fones de ouvido, cotonetes, etc. Colocar essas coisas no ouvido empurra a cera mais abaixo no canal.

Sinais e sintomas de acúmulo de cera nos ouvidos incluem:
  • Dor
  • Comichão e coceira
  • Irritação
  • Sensação de plenitude nos ouvidos
  • Perda de audição
  • Tontura
  • Zumbido

A cera em excesso, pode ser removida por um profissional de saúde um médico, que após o exame físico irá indicar a necessidade do procedimento

No entanto podemos ajudar a prevenir o acúmulo excessivo de cera não empurrarando ou colocando objetos nos  ouvidos. Atualmente, não há outros métodos eficazes disponíveis para evitar o acúmulo.

A pele na parte externa do canal auditivo tem glândulas especiais que produzem cera de ouvido, também conhecida como cerúmen. Essa cera natural serva  para proteger o ouvido de danos e infecções. Normalmente, uma pequena quantidade de cera se acumula e, em seguida, seca e cai do canal do ouvido, levando consigo partículas indesejadas de poeira e sujera..

A cera do ouvido é útil para revestir a pele do canal do ouvido, onde age como um repelente de água temporário. A ausência de cera no ouvido pode resultar em ressecamento, coceira  e até infecção. A cera do ouvido é formada no terço externo do canal auditivo.

O cerúmen varia em forma, cor e aparência de pessoa para pessoa. A cor da cera varia dependendo da sua composição. Secreções glandulares, células da pele desprendidas, bactérias normais podem estar presentes na superfície do canal auditivo e no cerúmen.

Os canais auditivos são considerados auto limpantes, o que significa que a cera dos ouvidos e as células da pele desprendidas normalmente passam do interior do canal auditivo para a abertura externa. Cerúmen antigo se move a partir das áreas mais profundas do canal até a abertura externa. Na abertura do canal, a cera normalmente seca e sai do canal.

O acúmulo de cera pode acontecer por:
  • Estreitamento do canal auditivo  resultante de infecções ou doenças da pele, ossos ou tecido conjuntivo
  • Produção de uma forma menos fluida de cerume (mais comum em idosos devido ao envelhecimento das glândulas que a produzem).
  • Superprodução de cerume em resposta a trauma  ou bloqueio do interior do canal.
  • Uso de dispositivos nos ouvidos para limpá-los, como cotonetes, grampos  de cabelo ou chaves.
  • Aparelhos auditivos
  • Fones de ouvido.

Diretrizes de tratamento para remoção de cera no ouvido

Em janeiro de 2017, a Academia Americana de Otorrinolaringologia – Cirurgia de Cabeça e Pescoço lançou novas diretrizes práticas para o tratamento da cera impactada no ouvido. Esta diretriz foi endossada por várias outras organizações médicas, incluindo a Academia Americana de Pediatria (AAP). Esta diretriz discute quatro maneiras de cuidar e gerenciar a cera impactada:

  1. Observar,  já que muitas impactações ou bloqueios podem desaparecer por conta própria
  2. Agentes amaciantes, conhecidos como cerumenolíticos. Estes são óleos ou gotas para os ouvidos que amolecem ou quebram a cera para ajudar na remoção.
  3. Irrigação ou seringas auriculares. Isso é limpar a cera usando um fluxo de água quente no canal auditivo. Deve ser feito por um profissional de saúde.
  4.  Remoção física usando um dispositivo de sucção ou instrumento. Isso deve sempre ser feito por um médico otorrinolaringologista.

A maioria das tentativas de limpar os ouvidos usando cotonetes só resulta em empurrar a cera mais para dentro do canal auditivo. A cera não é formada na parte profunda do canal perto do tímpano, mas apenas na parte externa do canal, perto da abertura externa. Esses objetos servem apenas como varetas para empurrar a cera mais fundo no ouvido e podem levar a problemas de audição futuros.

A pele do canal auditivo e do tímpano é muito fina e frágil e é facilmente lesada. O canal auditivo é mais propenso à infecção depois de ter sido removido da cera que protege o canal.

Fonte:

ROLAND, Peter S. et al. Diretriz de prática clínica: impactação de cerúmen. Otorrinolaringologia – Cirurgia de Cabeça e Pescoço , v. 139, n. 3_suppl_1, p. S1-S21, 2008.

SCHWARTZ, Seth R. et al. Diretriz de prática clínica (atualização): cera de ouvido (impactação de cerume). Otorrinolaringologia – Cirurgia de Cabeça e Pescoço , v. 156, n. 1_suppl, p. S1-S29, 2017.

23

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/kid”>Kid image created by Evening_tao – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *