A acupuntura é uma prática alternativa de tratamento, que  visa à terapia e cura das enfermidades pela aplicação de estímulos através da pele, com a inserção de agulhas em pontos específicos denominados acupontos.

Acredita-se que a acupuntura recupera a energia vital e como terapêutica em distúrbios neurológicos. O acupunturista insere agulhas no corpo do paciente com o objetivo de equilibrar a energia.

A acupuntura melhora o bem-estar e pode curar algumas doenças.

Indicada no tratamento de diferentes tipos de dor, como dor de cabeça e dor lombar, hipertensão arterial e ansiedade.

A medicina tradicional chinesa, explica que a saúde é o resultado de um equilíbrio harmonioso dos extremos complementares de “yin” e “yang” da força vital conhecida como “qi”, pronunciado “chi”. Acredita-se que a doença é a consequência de um desequilíbrio das forças.

O Qi é dito fluir através dos meridianos, ou caminhos, no corpo humano. Estes meridianos e fluxos de energia são acessíveis através de 350 pontos de acupuntura no corpo.

Inserindo agulhas nestes pontos, com combinações apropriadas objetiva-se trazer o fluxo de energia de volta ao equilíbrio adequado.

Não há provas científicas de que os meridianos ou pontos de acupuntura existam, e ainda não foram encontradas evidencias de sua efetividade, mas numerosos estudos sugerem que a acupuntura funciona para algumas condições.

Estudiosos usam a neurociencia para explicar a acupuntura. Pontos de acupuntura são vistos como locais onde nervos, músculos e tecido conjuntivo podem ser estimulados. A estimulação aumenta o fluxo sanguíneo, enquanto ao mesmo tempo desencadeia a atividade dos analgésicos naturais do corpo.

Indicações

Pesquisas realizadas na Alemanha mostraram que a acupuntura pode ajudar a aliviar dores de cabeça e enxaqueca tensional.

  • Dor nas costas
  • dor no pescoço
  • osteoartrite
  • dor no joelho
  • controle da pressão arterial
  • náuseas e vômitos induzidos por quimioterapia
  • algumas condições gástricas como ulcera péptica
  • rinite alérgica
  • dor facial
  • artrite reumatoide
  • entorses
  • dor ciática
  • dor de dente
  • diminui o risco de AVE – Acidente Vascular Encefálico

Outras condições para as quais a OMS – Organização Mundial da Saúde refere que a acupuntura pode ajudar, mas são necessárias mais evidências incluem:

  • neuralgia
  • fibromialgia
  • convalescença pós-operatória
  • substância, tabagismo e dependência de álcool
  • dor na coluna
  • torcicolo
  • demência vascular
  • síndrome de Tourette

A OMS também sugere que pode ajudar a tratar várias infecções, incluindo infecção urinária e febre hemorrágica epidêmica .

O que esperar

De acordo com a teoria médicina tradicional chinesa, os pontos de acupuntura estão localizados nos meridianos, através dos quais a energia vital é executada. Essa energia é conhecida como “qi” ou “chi”.

Um acupunturista examina o paciente e avalia sua condição, insere uma ou mais agulhas finas e estéreis e oferece conselhos sobre autocuidado ou outras terapias complementares, como ervas chinesas.

O paciente será solicitado a se deitar de costas, de frente ou de um lado, dependendo de onde as agulhas serão inseridas. O acupunturista deve usar agulhas esterilizadas descartáveis.. À medida que cada agulha é inserida, o paciente pode sentir uma breve sensação de formigamento.

Depois que a agulha é inserida, ocasionalmente há uma dor surda na base da agulha que então desaparece. A acupuntura geralmente é relativamente indolor.

Às vezes, as agulhas são aquecidas ou estimuladas com eletricidade após a inserção.

As agulhas permanecerão no local 5 à 30 minutos.

O número de tratamentos necessários depende do indivíduo. Uma pessoa com uma condição crônica pode precisar de um a dois tratamentos por semana durante vários meses. Um problema agudo normalmente melhora após 8 a 12 sessões.

Riscos

Todas as terapias têm riscos e benefícios.

Os possíveis riscos da acupuntura são:

  • É perigoso se um paciente tem um distúrbio de sangramento ou se usa drogas anticoagulantes.
  • Sangramento, hematomas e dor podem ocorrer nos locais de inserção.
  • Agulhas não esterilizadas podem infectar o paciente.
  • Em casos raros, uma agulha pode quebrar e danificar um órgão interno.
  • Quando inserido profundamente no peito ou na parte superior das costas, existe o risco de um colapso pulmonar, mas isso é muito raro.
  • Fonte:
  • WEN, Tom Sintan. Acupuntura clássica chinesa. Editora Cultrix, 1985.
  • PALMEIRA, Guido. A acupuntura no ocidente. Cadernos de saúde pública, v. 6, n. 2, p. 117-128, 1990.
  • RIZZO SCOGNAMILLO SZABÓ, Márcia Valéria; BECHARA, Gervásio Henrique. Acupuntura: bases científicas e aplicações. Ciência rural, v. 31, n. 6, 2001.
  • SANTOS, Francisco Assis da Silva et al. Acupuntura no Sistema Único de Saúde e a inserção de profissionais não-médicos. Rev Bras Fisioter, v. 13, n. 4, p. 330-4, 2009.
  • 02Créditos imagem:
  • <a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/medical”>Medical image created by Javi_indy – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *