A Acupuntura é utilizada para aliviar vários tipos de dores, como dor lombar, osteoartrite e enxaqueca. É considerada uma prática alternativa pois  visa assistir o indivíduo em todos os aspectos, seja na prevenção, tratamento ou cura, considerando-o como um ser holístico.

As práticas alternativas buscam o equilíbrio do corpo humano, mediante o uso de técnicas que promovem a valorização da influência da mente e das emoções no processo saúde-doença, importantes para a melhora da qualidade da vida das pessoas.

Derivada dos radicais latinos acus e pungere,  que significam agulha e puncionar, respectivamente, a acupuntura visa à terapia e cura das enfermidades pela aplicação de estímulos através da pele, com a inserção de agulhas em pontos específicos chamados acupontos.

Trata-se também de uma terapia reflexa, em que o estímulo de uma área age sobre outra(s). Para este fim, utiliza, principalmente, o estímulo nociceptivo  – estimulação de um nervo que provoca manifestação de dor ou reflexo evidente.

Entretanto, além do sentido restrito de agulhamento, a palavra acupuntura pode ter sentido mais amplo, o do estímulo do acuponto segundo as várias técnicas disponíveis (agulhamento, alterações de temperatura, pressão e outras). A acupuntura faz parte de um conjunto de conhecimentos teórico e empíricos, da Medicina Tradicional Chinesa – Acuponto é uma região da pele em que é grande a concentração de terminações nervosas sensoriais, Essa região está em relação íntima com nervos, vasos sanguíneos, tendões, periósteos e cápsulas articulares.  Sua estimulação possibilita acesso direto ao Sistema nervoso Central.

 

Um novo estudo publicado no Prevent-based Complémentary and Alternative Medicine– buscou identificar cientificamente os efeitos da acupuntura no organismo humano.

No laboratório foi criado um dispositivo de biocaptura indolor e não invasivo que pode avaliar biomoléculas humanas em regiões específicas da pele. Com esta ferramenta, conseguiu-se obter a primeira evidência de que óxido nítrico é liberado da superfície da pele humana em um nível superior com a aplicação adequada de acupuntura e o uso de calor.

Os pesquisadores usaram um método de acupuntura manual de “baixa força / taxa”, durante o qual inseriram agulhas de acupuntura suavemente na pele em25 participantes do sexo masculino e feminino, com idade entre 18 e 60 anos, por 20 minutos.

As agulhas foram movidas a cada 5 minutos ao longo do período de 20 minutos. Os pesquisadores moveram delicadamente as agulhas de acordo com o procedimento de reforço padrão durante 2 minutos, ou até a “sensação de qi”, ou seja, um “sentimento de dor, entorpecimento, distensão ou dor” – ser alcançado.

Os pesquisadores queriam examinar o efeito da agulha na liberação de óxido nítrico na pele. Eles gravaram o dispositivo de biocaptura, juntamente com a solução de coleta, na pele dos participantes, cobrindo as duas vias, ou meridianos, ao longo dos quais acredita-se que a energia corporal mais importante flui – o pericárdio e o pulmão.

Os pesquisadores aplicaram também calor em temperaturas de  cerca de 43 a 44 ° C por 20 minutos e realizaram duas sessões de biocaptura de 20 minutos “durante e após cada tratamento”.

O experimento revelou altos níveis de óxido nítrico nos acupontos definidos ao longo dos dois meridianos.

Os autores explicam que o óxido nítrico aumentou o fluxo sanguíneo, o que, por sua vez, pode ter desencadeado a liberação de substâncias analgésicas que fazem com que a pele experimente uma sensação quente e melhore o efeito terapêutico da agulha.

No entanto, os mecanismos precisos de elevação da liberação de óxido nítrico afetados pelos estímulos aplicados ainda não são claros”, admite os pesquisadores. “Uma abordagem mais sofisticada seria necessária para resolver esta questão”.

Para testar ainda mais suas descobertas, equipe também aplicou um “método de redução”, no qual eles administraram as agulhas com alta força e alta frequência.

Com base na medicina chinesa tradicional, o reforço da acupuntura é alcançado lentamente movendo e girando a agulha com força suave ou por calor. A redução da dor é alcançada rapidamente movendo ou girando a agulha com grande força. O reforço resulta em [um] sentimento local de calor, mas a redução provoca sensação de frio local.

Em condições de redução da dor, os níveis de óxido nítrico diminuíram. A diferença entre esses dois métodos pode explicar os resultados variados encontrados em testes de acupuntura.

Os pesquisadores  mencionam que continuarão examinando as diferenças entre esses métodos de acupuntura manual, a fim de compreender a eficácia de cada um deles para aliviar a dor, além de compreender os mecanismos biomoleculares envolvidos na redução da dor

Fonte:

BRASIL, Virginia Visconde et al. Qualidade de vida de portadores de dores crônicas em tratamento com acupuntura. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 10, n. 2, 2008.

WEN, Tom Sintan. Acupuntura clássica chinesa. Editora Cultrix, 1985.

RIZZO SCOGNAMILLO SZABÓ, Márcia Valéria; BECHARA, Gervásio Henrique. Acupuntura: bases científicas e aplicações. Ciência rural, v. 31, n. 6, 2001.

https://www.medicalnewstoday.com/articles/318209.php?sr

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/medical”>Medical image created by Javi_indy – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *