Que tal pensar em adicionar abacates, azeite e nozes à sua lista de compras, pois um novo estudo sugeriu que os ácidos graxos monoinsaturados desses alimentos poderiam aumentar a capacidade de aprendizado.

Pesquisadores da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign descobriram, que níveis mais altos de ácidos graxos monoinsaturados (MUFAs) no sangue, correlacionavam-se com maior inteligência geral em pessoas maduras.

O líder do estudo, Aron K. Barbey, professor de psicologia na universidade, e colaboradores relataram recentemente seus resultados de pesquisa na revista Neuroimage.

MUFAs são moléculas de gordura presentes em uma variedade de alimentos, incluindo azeite, abacates, óleo de canola e uma variedade de nozes e sementes.

São consideradas gorduras saudáveis, pois podem reduzir o risco de doenças cardíacas e acidentes vasculares cerebrais, ajudando a baixar os níveis de colesterol de lipoproteínas de baixa densidade “ruim” no sangue.

Para o novo estudo, o Prof. Barbey e equipe  buscaram identificar se os benefícios de MUFAs podem ou não se estender ao cérebro.

O objetivo do estudo foi entender, como a nutrição pode ser usada para melhorar o desempenho cognitivo e estudar as maneiras pelas quais a nutrição pode influenciar a organização funcional do cérebro humano.

Segundo o pesquisador é preciso conhecer intervenções nutricionais eficazes para melhorar o desempenho cognitivo, precisamos entender as formas como esses nutrientes influenciam a função cerebral.

O estudo envolveu 99 adultos idosos saudáveis. Amostras de sangue também foram retiradas de cada participante e analisadas para uma grande variedade de nutrientes.

Historicamente, a abordagem tem sido concentrar-se em nutrientes individuais, observa.  No entanto sabe-se que a ingestão dietética não depende de nenhum nutriente específico, mas sim reflete padrões dietéticos mais amplos. De acordo com os pesquisadores.

Todos os participantes foram submetidos a testes de inteligência geral e ressonância magnética funcional do cérebro, o que permitiu aos pesquisadores medir a atividade cerebral em certas redes neurais.

A análise revelou que a inteligência geral estava associada a uma região cerebral chamada rede de atenção dorsal, que desempenha um papel fundamental na resolução de problemas e na atenção dirigida a objetivos.

Mais especificamente, os pesquisadores descobriram que a inteligência de um indivíduo é influenciada pela eficiência da propensão do pequeno mundo na rede de atenção dorsal – ou seja, quão bem as conexões neurais desta rede estão organizadas.

Curiosamente, os resultados do estudo revelaram que os idosos que apresentavam maiores níveis de MUFA em seu sangue demonstraram maior atividade na rede de atenção dorsal, e a equipe observou uma associação entre níveis mais altos de MUFA e maior inteligência geral.

Em geral, os pesquisadores acreditam que suas descobertas sugerem que a ingestão crescente de MUFAs pode ser uma maneira de melhorar a cognição.

Para os pesquisadores este estudo fornece evidências dos mecanismos pelos quais a nutrição afeta a inteligência e motiva novas direções promissoras para futuras pesquisas em neurociência cognitiva nutricional.

Espero que tenham gostado deste post e até a próxima.

Fonte:

Medical News Today Jornal – How avocados and nuts could boost intelligence

Créditos imagem:

<a href=”http://www.freepik.com/free-photos-vectors/background”>Background image created by Photoroyalty – Freepik.com</a>

 

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *