À medida que amadurecemos, nossos organismos sofrem alterações.

Algumas mudanças que podemos ver e sentir são as dores e as infecções que podem ocorrer com maior facilidade. Além disso,  movimentos simples, como andar ou levantar de uma cadeira, podem ser mais lentos ou mais dolorosos do que costumavam ser.

Além disso, a resposta do organismo com a administração de medicamentos também é alterada pelo processo de amadurecimento.

Por exemplo, de acordo com a US Food and Drug Administration e seu guia de medicamentos para as pessoas maduras, mudanças no sistema digestivo podem afetar a velocidade com que os medicamentos entram na corrente sanguínea, ou seja, são absorvidos.

E, também, mudanças no peso corporal podem influenciar a quantidade de medicamento que a pessoa precisa administrar, além de alterar o tempo que esta droga permanece circulando no organismo.

A circulação do sangue pelo organismo pode diminuir na sua velocidade, o que pode afetar a rapidez com que as drogas chegam ao fígado e aos rins.

O fígado e os rins também podem trabalhar de forma mais lenta, afetando a forma como uma droga é metabolizada (alterada) e é retirada do corpo.

Isso significa que os medicamentos podem permanecer no corpo por mais tempo e causar efeitos colaterais mais graves se as doses não forem adequadamente ajustadas e monitoradas.

Devido a estas e outras mudanças no organismo das pessoas maduras, existe também um maior risco de interações medicamentosas.

10 fatos importantes com relação a administração de medicamentos pelas pessoas maduras

1. As pessoas maduras usam um número maior de medicamentos (com e sem receita médica, e suplementos) do que qualquer outro grupo etário.

2. As pessoas maduras, frequentemente, usam uma grande variedade de medicamentos, aumentando o risco de interações medicamentosas, confusão mental e o potencial de efeitos colaterais graves.

3. A função do fígado (função hepática) e dos rins (função renal) diminuem as suas atividades com o passar dos anos. Estas funções diminuídas podem afetar a maneira como uma droga age, ou seja, como ela é metabolizada e removida do corpo.

4. Os medicamentos podem permanecer no corpo por mais tempo e causar efeitos colaterais mais graves se as doses não forem adequadamente ajustadas.

5. Alterações no organismo relacionadas à idade, como perda de peso, diminuição do líquido corporal e aumento do tecido adiposo podem alterar a forma como os medicamentos são distribuídos e armazenados no organismo.

6. O aumento da sensibilidade aos efeitos de muitos medicamentos é mais comum nas pessoas maduras.

7. A diminuição da memória e a perda da visão ou audição podem dificultar a compreensão e lembrar as instruções para administrar os medicamentos, especialmente para aqueles que têm regimes de tratamento complicados. Muitas pessoas maduras apresentam problemas com a visão, mobilidade diminuída e lapsos de memória, e isso pode afetar a capacidade de administrar medicamentos com segurança, conforme prescrito.

8. As pessoas maduras tendem a receber prescrições de receitas feitas por diferentes profissionais de saúde. Este fato faz com que a identificação dos medicamentos fique mais difícil. Além disso, também, dificulta o conhecimento de interações medicamentosas, doses nocivas, e medicamentos desnecessários ou ineficazes.

9. Condições crônicas, como diabetes, hipertensão arterial, artrite e câncer, são mais comuns nas pessoas maduras, e muitas vezes exigem um regime de administração de medicamentos mais complexo.

10. Pessoas maduras podem não seguir os planos de medicações devido ao esquecimento, efeitos colaterais incômodos, a percepção de que o medicamento não está funcionando e/ou o custo. Não seguir instruções ou planos de tratamento, associados a medicamentos é chamado de “não adesão”.

A boa notícia é que muitos desses riscos ou desafios podem ser evitados se a pessoa buscar informações sobre o uso seguro e apropriado do medicamento, e como obter o máximo do efeito benéfico de seus medicamentos.

Dicas para evitar e prevenir problemas relacionados aos medicamentos

1- Informar-se sobre suas condições de saúde e os medicamentos que faz uso 

Fale com os profissionais de saúde, leia sites confiáveis e junte-se a grupos de apoio à saúde.

Você é o seu melhor defensor e cuidador quando se trata de sua saúde, e o conhecimento sobre seu próprio autocuidado é fundamental.

2- Faça e mantenha uma lista de medicamentos

Esta lista deve incluir:

– Nomes de todos os medicamentos utilizados, incluindo os medicamentos que não necessitam de receita médica, suplementos dietéticos e ervas medicinais.

– O nome do médico que prescreveu cada medicamento.

– O objetivo de cada medicação ou os sintomas que cada medicamento deve tratar.

– Com que frequência e em que dose (quantidade) cada medicamento é administrado.

– Se é necessária a reposição dos medicamentos

Certifique-se de atualizar a lista quando começar a administrar algum medicamento novo ou se alguma destas drogas esteja sem utilização ou se o médico alterar a dosagem.

Procure um profissional de saúde para revisar todos os seus medicamentos regularmente, para se certificar de que você esteja administrando, somente, aqueles que você necessita.

E, alerte-o sobre qualquer alergia ou problemas que tenha ocorrido com a administração de certos medicamentos.

Além disso, nunca pare de administrar medicamentos prescritos sem verificar com o médico, primeiramente.

3- Leia os rótulos e bulas

Certifique-se de ler os rótulos de informações dos medicamentos (encontrados nas embalagens de todos os medicamentos), bulas ou folhetos de informações de medicamentos para pacientes (fornecidos dentro das embalagens dos medicamentos), antes de iniciar uma nova medicação.

Estes podem fornecer informações importantes para ajudá-lo a obter os melhores resultados e evitar problemas.

Nestas informações, será encontrado:

– Para que o medicamento é utilizado

– Como administrar o medicamento corretamente, ou seja, com que frequência e em que quantidade ou dose ele deve ser administrado

– Possíveis efeitos colaterais

– Probabilidade do aparecimento de reações alérgicas

– Advertências, incluindo qual o tipo de pessoa que não deve administrar o medicamento, quando parar de usar, e os maiores riscos de efeitos colaterais graves

– Instruções de armazenamento

4- Prefira adquirir os medicamentos em uma única farmácia 

Esta atitude é ideal para que seus registros de prescrição estejam todos em um só lugar.

Isso permite que o farmacêutico monitore, regularmente, os medicamentos que você utiliza, e lhe informe sobre potenciais interações medicamentosas.

5- Armazene os medicamentos com segurança 

Verifique constantemente as datas de validade de todos os medicamentos. Administrar medicamentos vencidos pode provocar efeitos tóxicos, ou não produzir efeito algum.

Não administre medicamentos descoloridos, secos ou que estejam “esfarelando”.

Verifique, também, a data de validade dos colírios. Eles podem não mais ser eficazes e, pior ainda, podem ser um terreno fértil para bactérias ou fungos.

Descarte os medicamentos vencidos ou desnecessários.

Mantenha os medicamentos em locais elevados, pois isso faz com que as crianças e os animais não tenham acesso a eles.

Nunca compartilhe seus medicamentos prescritos ou administre medicamentos de outras pessoas.

6- Entre em contato com o seu médico se tiver algum problema com o seu medicamento

Não há “perguntas estúpidas” e nenhuma pergunta é muito trivial quando se trata de sua saúde e seus medicamentos.

7- Descarte os medicamentos prescritos para uma doença ou condição anterior

Nunca tente se tratar (ou a outra pessoa) com um medicamento prescrito não utilizado ou antigo.

Os sintomas podem parecer semelhantes aos apresentados anteriormente, mas a causa pode ser diferente, ou o medicamento pode não ser o correto para a situação atual.

8- Armazene os medicamentos em locais adequados

O calor e a umidade podem danificar medicamentos.

Logo, o banheiro, geralmente, não é um bom lugar para armazenar os medicamentos, ao menos que ele possua uma boa ventilação.

Alguns medicamentos requerem refrigeração, então verifique as informações no frasco ou no rótulo de cada um.

9- Mantenha seus medicamentos separados dos pertencentes ao seu cônjuge ou de outros membros da família

Por exemplo, em uma prateleira diferente ou, pelo menos, em um lado separado de uma prateleira.

Isso tornará menos provável que você tome os medicamentos errados, por engano.

10- Use uma bancada ou uma mesa para administrar os medicamentos

Essa atitude auxilia abrir o frasco ou a embalagem apoiados sobre uma superfície plana.

No caso do comprimido soltar da mão, ele pousará na mesa e não se perderá no chão.

Nunca deixe os frascos de medicamentos no balcão, especialmente se houver crianças pequenas, adolescentes ou netos na casa.

11- Armazene os medicamentos em um local bem iluminado

Isso irá ajudar a garantir que esteja administrando o medicamento correto. Nunca tome medicamentos no escuro.

12- Mantenha o medicamento na embalagem original

A cor âmbar (cor laranja-amarelado) dos frascos dos medicamentos serve para protege-los da luz. Portanto, se o medicamento apresenta-se armazenado neste tipo de frasco, significa que a luz é capaz de altera-lo, fazendo com que ele não produza os seus efeitos.

Além disso, a embalagem original facilita o acesso as informações de cada medicamente, tais como a dosagem, o modo da sua administração, os efeitos colaterais e cuidados no seu uso.

13- Mantenha os medicamentos separados

Misturar os medicamentos em um único recipiente pode acabar levando ao erro de administração, por engano.

Entretanto, se for necessário o uso de um organizador de comprimidos (porta-comprimidos, caixa organizadora ou separador de comprimidos) semanal, para ajudar a lembrar de tomar seus medicamentos, mantenha as embalagens originais para que seja possível acessar, rapidamente, as informações, geralmente, impressas no frasco ou na embalagem.


Envelhecimento + Álcool + Medicamentos = Risco para a saúde

Consumir álcool ao mesmo tempo que se administra medicamentos é um risco para a saúde das pessoas maduras e das crianças.

O organismo das pessoas maduras eliminam mais lentamente os medicamentos e o álcool, o que pode tornar estes indivíduos mais sensíveis aos efeitos de ambos. 

Muitos medicamentos prescritos podem interagir com o álcool e causar efeitos adversos potencialmente perigosos. 

Os medicamentos prescritos também podem não funcionar como pretendido, pois quando combinados com álcool podem não funcionar, ou podem tornarem-se tóxicos. 

Se a pessoa apresentar certas condições de saúde ou administrar certos medicamentos, talvez seja necessário beber menos, ou não beber álcool. 

Pergunte ao seu profissional de saúde para orientação.


Leia mais sobre:

– Medicamentos no Envelhecimento

– Uso de medicamentos por pessoas maduras

– Tratamento medicamentoso para as doenças mais comuns na terceira idade

– Perigos no uso indiscriminado de medicamentos

– Cuidados no uso de medicamentos na terceira idade

– Comportamento das drogas no organismo das pessoas maduras


Fonte:

http://www.bemedwise.org/medication-safety/medication-therapy-management-for-seniors

http://www.bemedwise.org/medication-safety/drug-storage-and-disposal

 

Crédito da imagem:

<a href=”http://br.freepik.com/fotos-vetores-gratis/fundo”>Fundo fotografia desenhado por Creativeart – Freepik.com</a>

<a href=”http://br.freepik.com/fotos-vetores-gratis/fundo”>Fundo fotografia desenhado por Bedneyimages – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *