O alho é utilizado há muito tempo como tempero e, também, na medicina.

A alicina, é o princípio ativo presente no alho, sendo responsável pelos seus benefícios medicinais. A alicina, também, é responsável pelo forte odor (odor alináceo) do alho.

Utilizações

O alho reduz a tendência de coagulação normal das partículas no sangue que ajudam a parar o sangramento (plaquetas), sendo utilizado por pessoas que apresentam quadros de trombose.

Como o alho impede a reprodução de microorganismos (como bactérias), ele pode ser usado como anti-séptico e antibacteriano.

Em grandes doses, o alho pode reduzir ligeiramente a pressão arterial, a hiperatividade do intestino e os níveis de açúcar no sangue.

Sugere-se que o alho diminui os níveis de lipoproteínas de baixa densidade (LDL) – o colesterol ruim.  No entanto, pelo menos um estudo bem desenhado não suportou esse efeito benéfico.

A maioria dos estudos utilizou extratos de alho envelhecidos. Os preparativos formulados para ter pouco ou nenhum odor podem ser inativos, e precisam ser estudados.

Possíveis efeitos colaterais e interações com drogas

O alho, geralmente, não tem efeitos nocivos. Mas, faz com que o ar expirado, o corpo e o leite materno cheirem a alho.

No entanto, consumir grandes quantidades pode causar náuseas, e queimaduras na boca, esôfago e estômago.

O alho pode interagir com drogas que previnem coágulos sanguíneos (como a varfarina ), aumentando o risco de sangramento.

Assim, o alho não deve ser comido como suplemento, há 1 semana antes de uma cirurgia ou de um procedimento dentário.

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/background”>Background image created by Evening_tao – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *