A flor desta erva é seca e utilizada como um chá ou em um extrato, é um planta muito consumida principalmente pelas propriedades farmacológicas da flor, especialmente, aquelas relacionadas aos constituintes químicos que estão contidos no seu óleo essencial, tais como atividade anti-inflamatória e calmante.

A camomila é uma planta anual cultivada em diversos países, incluindo os latino-americanos. No Brasil foi introduzida no sul do país pelos imigrantes europeus há mais de 100 anos.

Utilizações

A Camomila tem propriedades sedativa suave e comumente é utilizada para aliviar cólicas no estômago e indigestão. Também pode ser usada na forma de compressa de extrato de camomila para aliviar a pele irritada.

Os frutos secos da camomila, oferecem um óleo rico em ácidos graxos insaturados, que contém um alto teor de ácido linoléico em sua composição, que é muito utilizado na indústria farmacêutica.

O chá de camomila é indicado para afecções na boca como estomatite, gengivite, aftas e halitose, por seu poder anti inflamatório.

Possíveis efeitos colaterais e interações com drogas

A camomila, geralmente, é uma planta considerada segura. É uma planta medicinal largamente utilizada na produção de produtos farmacêuticos, óleos essenciais e chás.

O efeito colateral mais provável é uma reação alérgica. As reações alérgicas podem incluir irritação da pele, coceira nos olhos, espirros e corrimento nasal.

Em doses elevadas, pode produzir sonolência, sedação e vômitos.

A camomila pode reduzir a absorção de drogas por via oral. A camomila também pode aumentar os efeitos de drogas que previnem coágulos sanguíneos (anticoagulantes) e calmantes/sedativos (incluindo álcool), além de diminuir a absorção de suplementos de ferro.

Fonte:

PEREIRA, Neila de Paula. Estudo fitoquímico do óleo da semente de [Camomilla recutita (L.) Rauschert] camomila, com avaliaçăo de propriedades físico-químicas, biológicas e funcionais em emulsőes. 2008.

AMARAL, W. et al. Desenvolvimento, rendimento e composição de óleo essencial de camomila [Chamomila recutita (L.) Rauschert] sob adubação orgânica e mineral. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 10, n. 4, p. 1-8, 2008.

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/table”>Table image created by Freepik</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *