Distúrbios sexuais, podem ser definidos como qualquer questão física ou emocional que impede um casal de alcançar um relacionamento íntimo mutuamente satisfatório.

Entre os mais comuns, nos homens incluem problemas de próstata, diminuição do suprimento de sangue ao pênis devido a diabetes e doenças cardíacas que podem causar disfunção erétil ou outros problemas de saúde, danos nervosos à medula espinhal e diminuição do hormônio testosterona.

Na mulheres os problemas mais comuns incluem,  perda de libido devido a diminuição do de estrógeno e problemas na tireoide (que também podem afetar alguns homens), dor durante a relação sexual – dispaurenia – pela falta de lubrificação  na menopausa.

Disfunção sexual em homens

A ejaculação precoce pode afetar até 75% dos homens. Clinicamente, é definido como ejacular  antes que a relação sexual possa ocorrer, ou logo após o início, geralmente com menos de 15 “impulsos”. Enquanto todo homem pode apresentar ejaculação precoce pelo menos uma vez na vida, para alguns o problema é crônico. Quando este é o caso, as causas podem estar ligadas a um sistema nervoso altamente sensível e facilmente estimulado, ou à falta de controle sobre a resposta do corpo à excitação. Uma causa frequentemente negligenciada da ejaculação precoce temporária é a inflamação da próstata conhecida como prostatite. Neste caso o uso de antibióticos geralmente resolve o problema.  Os tratamentos para a ejaculação precoce crónica incluem o antidepressivo Anafranil indicado 12 horas antes do sexo, e o uso de preservativo para ajudar a reduzir a sensação do orgasmo.

Já a disfunção erétil ou impotência tem uma definição muito mais ampla do que pensamos. Pois não é a apenas a incapacidade de obter uma ereção, mas também a de manter uma ereção suficiente para a relação sexual, bem como a incapacidade de ejacular em uma base consistente.

Embora se acredite que em grande parte seja um problema emocional, pode ser também o resultado de outras preocupações com a saúde, como a diabetes, hipertensão, insuficiência renal, hiperplasia de próstata, depressão entre outros. O alcoolismo também é um importante fator contribuinte para este agravo, além do tabagismo.

O estresse crônico  e algumas drogas podem resultar em disfunção erétil, principalmente medicamentos utilizados para hiertensão e depressão.

Disfunção sexual em mulheres

Nas mulheres as disfunções sexuais  estão relacionadas a diminuição do desejo, excitação sexual ou, por vezes e dor na relação sexual.

Enquanto uma diminuição no desejo pode ser causada por muitas coisas, incluindo um relacionamento negativo com um parceiro, estresse dia a dia e outras causas físicas são frequentemente atribuídas a uma diminuição nos hormônios estrógeno e testosterona que ocorrem durante a menopausa. Isso não apenas pode prejudicar o desejo, mas também pode causar uma diminuição na lubrificação vaginal, tornando mais difícil ficar excitada e fazendo com que a relação sexual seja dolorosa. Além disso, certas doenças como distúrbios tireoidianos e depressão, também podem afetar a libido na mulher.

A incapacidade de atingir o orgasmo raramente é causada por um problema físico, mas mais frequentemente o resultado de estimulação inadequada pelo parceiro.

Clinicamente conhecida como dispareunia, em até 80% das mulheres a causa é fisiológica. Isso pode ser o resultado de uma diminuição nos hormônios femininos que levam à secura vaginal à presença de levedura ou outras infecções sexualmente transmissíveis, cistite ou uretrite (infecções do trato urinário).Em alguns casos, a constipação crônica  pode desempenhar um importante papel. Uma condição conhecida como vestibulite vulvar, uma inflamação em uma área específica da vagina, é a causa mais comum de dispareunia.

Um tipo específico de dispareunia, conhecido como vaginismo, causa espasmos involuntários dos músculos dentro da vagina. Em alguns casos, eles podem ser tão fortes que a vagina se fecha, tornando a penetração extremamente dolorosa ou às vezes impossível. Muitas vezes tem raízes no trauma psicológico.

Medicamentos que podem causar disfunção sexual

Os medicamentos mais conhecidos são os antidepressivos, como o Prozac, tranquilizantes, como o Valium, que podem afetar o desejo sexual em homens e mulheres. Para as mulheres, medicamentos indicados para Terapia de Reposição Hormonal utilizada no tratamento da menopausa podem interferir na função sexual feminina.

Medicamentos para hipertensão, , anti-histamínicos usados ​​para resfriados e alergia,  , alguns anti-inflamatórios não-esteróides – AINES – (como o ibuprofeno), medicamentos para azia como o Zantac e Pepcid  e drogas para o tratamento de colesterol, Parkinson e câncer podem causar disfunção erétil nos homens.

Mas seja qual for o fator que interfere na prática sexual, um médico deve ser consultado, o tratamento precoce dos sintomas pode oferecer qualidade de vida ao relacionamento a dois.

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/people”>People image created by Rawpixel.com – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *