O lúpus é uma doença autoimune crônica em que o sistema imunológico se torna hiperativo e ataca o tecido normal e saudável. Isso resulta em sintomas como inflamação, inchaço danos nas articulações, pele, rins, sangue, coração e pulmões.

Se a função normal do sistema imunológico está preservado ele produz anticorpos para proteger e lutar contra antígenos, como vírus e bactérias.

No entanto o lúpus torna o sistema imunológico incapaz de diferenciar os antígenos (uma substância capaz de induzir uma resposta imune específica) e tecido saudável. Isso leva o sistema imunológico a direcionar anticorpos contra o tecido saudável – não apenas antígenos – causando inchaço, dor e danos nos tecidos.

Qualquer parte do corpo pode ser afetada pelo lúpus, pois possui uma série de manifestações clínicas que afetam a pele, articulações, cérebro, pulmões, rins, vasos sanguíneos e outros órgãos internos.

Curiosidades sobre o Lúpus

  • – O lúpus é uma doença autoimune, causada por problemas no sistema imunológico do corpo. Pode ser leve ou fatal.
  • – O lúpus não é contagioso.
  • – O tipo mais comum de lúpus é o eritematoso sistêmico ou LES.
  • – Outros tipos de lúpus incluem o discoide (cutâneo), provocado por drogas e causas neonatais.
  • – De acordo com a Fundação Lúpus da América, 1,5 a 2 milhões de americanos têm alguma forma de lúpus.
  • – Acredita-se que 5 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de alguma forma de Lúpus.
  • – Mais de 90% dos pacientes portadores de lúpus são mulheres.
  • – O lúpus é mais comum entre as idades de 15 a 45 anos.
  • – Muitos profissionais de saúde acreditam que o lúpus resulta de estímulos genéticos e ambientais.
  • – Os fatores de risco para o Lúpus incluem exposição à luz solar, certos medicamentos, infecção pelo vírus Epstein-Barr e exposição a determinados produtos químicos.
  • – Os fatores ambientais incluem estresse extremo, exposição à luz ultravioleta, tabagismo, alguns medicamentos e antibióticos, infecções e o vírus Epstein-Barr (em crianças).
  • – Embora não haja cura, lúpus e seus sintomas podem ser controlados com medicação.
  • – Os tratamentos para lúpus incluem corticoides, drogas imunossupressoras e mudanças de estilo de vida.
Tipos de lúpus

Vários tipos diferentes de lúpus foram identificados, mais comum é o lúpus eritematoso sistêmico ou LES . 

O lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença inflamatória crônica, multissistêmica, de causa desconhecida e de natureza autoimune, que se caracteriza pela presença de diversos auto anticorpos. A doença evolui com manifestações clínicas polimórficas, com períodos de exacerbações e remissões. De etiologia não esclarecida, o desenvolvimento da doença está ligado à predisposição genética e aos fatores ambientais, como luz ultravioleta e alguns medicamentos.

Os pacientes com lúpus discóide  uma versão da doença que é limitada à pele. É caracterizada por uma erupção cutânea que aparece no rosto, no pescoço e no couro cabeludo, e não afeta os órgãos internos. Menos de 10% dos pacientes com lúpus discóide progridem para a forma sistêmica da doença, mas não há como prever ou prevenir o caminho da doença.

O LES é mais grave do que o lúpus discoidal porque pode afetar qualquer órgão ou sistema orgânico do organismo. Algumas pessoas podem apresentar inflamação ou outros problemas além da pele e articulações, enquanto outros sofredores de LES terão articulações, pulmões, rins, sangue e / ou o coração afetados. Este tipo de lúpus também é frequentemente caracterizado por períodos de flare (quando a doença está ativa) e períodos de remissão (quando a doença está dormente).

O lúpus induzido por drogas é causado por uma reação a certos medicamentos prescritos e causa sintomas muito semelhantes ao LES. As drogas mais comumente associadas a esta forma de lúpus drogas utilizadas para  hipertensão como a  hidralazina e para  arritmia cardíaca chamada procainamida, mas existem outras 400 outras drogas que também podem causar a condição. O lúpus induzido por drogas,  geralmente apresenta uma melhora, após interromper o uso do medicamento desencadeante.

Uma condição rara, é o lúpus neonatal  que ocorre quando a  mãe passa auto anticorpos para um feto. O filho nascido e recém-nascido pode ter erupções cutâneas e outras complicações no coração e no sangue. Geralmente, ocorre uma erupção cutânea, mas eventualmente desaparece nos primeiros seis meses da vida da criança.

Fonte:

https://www.medicalnewstoday.com/info/lupus

GUIMARÃES, Proença Nelson et al. Lupus eritematoso cutâneo crônico: estudo de 290 pacientes. Anais Brasileiros de Dermatologia, v. 78, n. 6, p. 703-712, 2003.

BORBA, Eduardo Ferreira et al. Consenso de lúpus eritematoso sistêmico. Revista Brasileira de Reumatologia, 2008.

Créditos imagem:

http://www.tabletsmanual.com/wiki/read/lupus

 

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *