A infecção do trato urinário (ITU) é uma das mais frequentes infecções bacterianas que atinge o ser humano nos diferentes ciclos de vida e pode ser considerada a segunda infecção mais comum na população em geral ocorrendo mais frequentemente na fase adulta e em pacientes do sexo feminino devido  às condições anatômicas femininas: uretra mais curta e maior proximidade da vagina e o ânus. O principal causador de ITU é Escherichia coli, que responde por cerca de 80% dos casos.

Outros micro-organismos podem causar infecção urinaria, entre eles os bacilos Gram-negativos da família das Enterobactérias (Klebsiella Pneumoniae, Proteus Mirabilis, Enterobacter spp.), Staphylococcus Saprophyticus, Streptococcus Agalactiae e algumas espécies de Candida (infecção fungica).

Tipos de Infecção urinária

As infecções do trato urinário podem ser divididas em:

CISTITE OU ITU BAIXA: a infecção é restrita à uretra e bexiga; é a apresentação mais frequente, via-de-regra sem comprometimento do estado geral e raramente leva a complicações.

PIELONEFRITE OU ITU ALTA: acometimento do parênquima renal; geralmente unilateral e pode se acompanhar de comprometimento do estado geral; trata-se de condição potencialmente grave e ameaçadora à vida se não identificada e tratada precocemente. BACTERIÚRIA ASSINTOMÁTICA: colonização da bexiga por bactérias na ausência de sintomas; é condição bastante comum nos idosos, não está associado a complicações e normalmente não constitui indicação de tratamento.

Complicações da Infecção do Trato Urinário

A infecção urinária pode ser uma ocorrência comum na maturidade, mas o tratamento deve ser feita, uma vez diagnosticada, pois pode trazer complicações graves, entre elas:

– Danos aos rins

A infecção do trato urinária, se não tratada pode se espalhar para os rins e causar danos permanentes nos mesmos.

As infecções renais são graves e pode ser necessário a utilização de antibióticoterapia   e hospitalização.

– Sepse

Outra complicação das infecções do trato urinário é sepse, que ocorre quando a infecção se espalha para a corrente sanguínea e depois por todo o corpo. A sepse não tratada pode levar ao choque séptico e, eventualmente, à morte.

A Sepse pode causar outras complicações, incluindo disfunção orgânica, amputações e dor crônica.

Como é feito o diagnóstico de Infecção Urinária?

Na suspeita da presença de uma infecção do trato urinário, o médico irá solicitar uma amostra de urina que será coletada em um laboratório, onde será realizado o exame da mesma.

Em alguns casos, será necessário a  cultura de urina para confirmar quais bactérias estão causando a infecção. Conhecer o tipo específico de bactéria permite determinar um plano de tratamento adequado.

Uma condição chamada bacteriúria assintomática podem ocorrer com maior frequência em idosos, isso  ocorre quando há bactérias na urina, e essas não causam quaisquer sinais ou sintomas de infecção.

Tratamento

Antibióticos

O tratamento padrão para uma Infecção urinária é a administração de antibióticos, que irão destruir as bactérias causadoras da infecção. Em alguns casos pode ser indicado antifúngico, se um fungo estiver causando a infecção do trato urinário.

Os antibióticos mais utilizados em casos de ITU são, a Nitrofurantoína 100 mg, o Sulfametoxazol-Trimetoprim, o  Norfloxacino 400 mg e o Ciprofloxacino 250-500 mg, além do antifúngico Fluconazol 200-400, em caso de infecções por fungos.

Medicamentos antipsicóticos

Caso a infecção urinária provoque delirium – estado confusional agudo – pode ser indicada medicação antipsicótica até que a infecção seja eliminada. Os medicamentos antipsicóticos reduzem o desconforto, a agitação e o risco de lesões devido aos sintomas.

Prevenção de Infecção Urinária

Tomar medidas para prevenir uma infecção do trato urinário é vital para as pessoas que têm maior risco de contrai-la, incluindo em pessoas mais idosas.

  • Beber muitos líquidos;
  • Evitar cafeína e álcool;
  • Fazer higiene íntima da frente para trás depois de ir ao banheiro;
  • Mudar almofadas de incontinência ou roupas intimas quando molhadas.

Moradores de Instituições de Longa Permanência, algumas vezes dependem de outros para auxiliar em sua higiene intima. É essencial que os colaboradores estejam cientes de como prevenir as infecções do trato urinário e entender os sinais e sintomas deste agravo.

Fonte:
  1. IZAIAS, Érika Maria et al. Custo e caracterização de infecção hospitalar em idosos. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, p. 3395-3402, 2014.
  2. VIRTUOSO, Janeisa Franck; MAZO, Giovana Zarpellon; MENEZES, Enaiane Cristina. Prevalência, tipologia e sintomas de gravidade da incontinência urinária em mulheres idosas segundo a prática de atividade física. Fisioterapia em Movimento, v. 25, n. 3, 2017.
  3. DIAS, Ilo Odilon Villa; COELHO, Alessandra Mello; DORIGON, Ionara. INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO EM PACIENTES AMBULATORIAIS: PREVALÊNCIA E PERFIL DE SENSIBILIDADE AOS ANTIMICROBIANOS EM ESTUDO REALIZADO DE 2009 A 2012. Saúde (Santa Maria), v. 41, n. 1, p. 209-218, 2015.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *