O  portador de diabetes deve fazer visitas regulares ao oftalmologista para exames oftalmológicos à fim de evitar problemas oculares,que são complicações comuns deste agravo. O aumento de açúcar no sangue aumenta o risco de problemas oculares decorrentes da diabetes, sendo a principal causa de cegueira em adultos de 20 a 74 anos.

O alto nível de açúcar no sangue no portador de diabetes faz com que a lente (cristalino)  do olho inche, o que altera a capacidade de enxergar. Para corrigir esse tipo de problema ocular, é preciso manter os níveis de  açúcar  no sangue entre 90-130 miligramas por decilitro antes das refeições e menos de 180 mg / dL e uma a duas horas após uma refeição. Pode demorar até três meses após o açúcar no sangue estar bem controlado para que a visão volte ao normal.

Visão embaçada também pode ser um sintoma de um problema ocular grave no indivíduo com diabetes. Os três principais problemas oculares que as pessoas com diabetes podem desenvolver são, catarata, glaucoma  e retinopatia.

Cataratas e Diabetes

Catarata é uma turvação ou opacificação da lente do olho (cristalino), que nos permite ver e focar em uma imagem como uma câmera. Embora qualquer pessoa possa ter catarata as pessoas com diabetes têm esses problemas oculares mais cedo do que a maioria e a doença progride mais rapidamente do que em pessoas sem diabetes. Os sintomas de catarata são visão turva e enevoada, o que impede o indivíduo de enxergar com nitidez.

O tratamento da catarata consiste na retirada da lente opacificada que será substituida por uma lente artificial, o implante de lente intraocular.

Glaucoma e Diabetes

Quando o fluido interno do olho, não escoa adequadamente devido ao acúmulo de pressão dentro do olho, irá resultar em outro problema ocular denominado glaucoma. A pressão intraocular danifica os nervos e os vasos nos olhos, causando alterações na visão.

O tratamento do glaucoma de angulo aberto é a forma mais comum de glaucoma – Requer a redução da pressão ocular, aumentando a drenagem do humor aquoso ou diminuindo a produção do fluido. Medicamentos podem ser indicados para diminuir a pressão do olho.

Com o glaucoma de ângulo aberto, pode não haver sintomas deste problema ocular até que a doença esteja muito avançada e haja perda significativa da visão.  Na forma menos comum desse problema ocular, os sintomas podem incluir dor de cabeça, dor nos olhos, visão embaçada, lacrimejamento, perda de visão.

O tratamento deste problema ocular na diabetes pode incluir colírios especiais, procedimentos a laser, medicamentos ou cirurgias. Cirurgia e tratamentos a laser são direcionados para melhorar a drenagem aquosa do olho.

Retinopatia diabética

A retina   é um grupo de células especializadas que convertem a luz à medida que ela entra através da lente em imagens. O nervo óptico transmite informações visuais ao cérebro.

A retinopatia diabética é uma das complicações vasculares mais comuns  (relacionadas aos vasos sanguíneos) devido ao diabetes. Este problema ocular é devido a danos de pequenos vasos e é chamado de “complicação microvascular”.

As complicações microvasculares, em numerosos estudos, demonstraram estar relacionadas com níveis elevados de açúcar no sangue.  Pode-se reduzir o risco desses problemas oculares nas complicações do diabetes,  melhorando o controle do açúcar no sangue.

A retinopatia diabética é a principal causa de cegueira irreversível em nações industrializadas. A duração do diabetes é o risco mais importante para o desenvolvimento de retinopatia. Assim, quanto mais tempo for o descontrole da diabetes,  maior o risco de um problema ocular sério. Se a retinopatia não for tratada precocemente, pode levar à cegueira.

Tipos de Retinopatia no Diabetes:

  • Retinopatia de fundo. Às vezes, o dano no vaso sanguíneo existe, mas não há problema de visão. Isso é chamado de retinopatia de fundo. É importante gerenciar cuidadosamente o diabetes nesta fase para evitar que a retinopatia de fundo progrida para uma doença ocular mais grave.
  • Maculopatia – ocorre um dano em uma área crítica chamada mácula. Como isso ocorre em uma área crítica para a visão, esse tipo de problema ocular pode reduzir significativamente a visão.
  • Retinopatia proliferativa – novos vasos sanguíneos começam a crescer na parte de trás do olho. Como a retinopatia é uma complicação microvascular do diabetes, esse tipo de retinopatia se desenvolve devido a uma falta crescente de oxigênio para o olho devido à  doença vascular.

O tratamento da retinopatia diabética pode envolver procedimentos a laser ou cirurgia. Em um estudo de pessoas com diabetes com retinopatia precoce, a terapia a laser pode ser indicada nesse caso.

Para prevenir a retinopatia com diabetes, é necessário que o oftalmologista faça exame nos  olhos anualmente.

Prevenção de problemas oculares com diabetes

A American Diabetes Association oferece diretrizes para o cuidado com os olhos para  pessoas com diabetes e  evitar problemas oculares:

  • Pessoas com diabetes tipo 1 devem fazer um exame oftalmológico dentro de três a cinco anos após o diagnóstico.
  • Pessoas com diabetes tipo II devem realizar exame dos olhos logo após o diagnóstico.

Para evitar problemas oculares em diabetes, deve-se;

  • Controle o açúcar no sangue
  • Controle de pressão arterial.

Fonte:

MEDINA, Norma Helen; MUÑOZ, Emilio Haro. Atenção à saúde ocular da pessoa idosa. BEPA. Boletim Epidemiológico Paulista (Online), v. 8, n. 85, p. 23-28, 2011.

HENRIQUES, José et al. Diabetic eye disease. Acta medica portuguesa, v. 28, n. 1, p. 107-113, 2015.

DE SOUZA, Nivaldo Vieira; RODRIGUES, Maria de Lourdes Veronese. Manifestações oculares de doenças sistêmicas. Medicina (Ribeirao Preto. Online), v. 30, n. 1, p. 79-83, 1997.

Créditos imagem

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/people”>People image created by Freepik</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *