A Academia Americana de Neurologia, atualizou suas diretrizes de prática clínica para o cuidado de pessoas com deficiência cognitiva leve recomendando que o portador pratique exercícios leves.

As diretrizes foram atualizadas após uma revisão sistemática de evidências científicas, publicadas sobre comprometimento cognitivo leve (CCL) por um grupo de especialistas da American Academy of Neurology (AAN).

Ao relatar suas descobertas recentes na revista Neurology , os cientistas da AAN descrevem que, embora não haja evidência que comprove 100% o tratamento da CCL usando drogas, a prática regular de exercícios pode melhorar a função cognitiva.

O risco de desenvolver deficiência cognitiva leve uma condição relacionada a problemas de memória e pensamento, aumenta com a idade.

Há evidências fortes que sugerem que este distúrbio pode progredir para demência, embora nem todos os portadores de CCL irão desenvolver demência – seria um fator de rico, ou seja o portador teria uma probabilidade maior.

A AAN (Academia Americana de Neurologia) acredita que indivíduos com 65 anos ou mais que tênham CCL têm um risco de 7,5% de desenvolver demência durante o primeiro ano após o diagnóstico. Até o terceiro ano, o risco aumenta para 20%.

O portador de CCL podem apresentar dificuldades em terminar tarefas complexas e entender completamente as informações adquiridas.

Em contrapartida, as pessoas com demência lutam são incapazes de realizar tarefas que são fundamentais para a vida independente, como comer, banhar-se e se vestir, essas tarefas são denominadas AVDs (Atividades da Vida Diária).

A diretriz da AAN atualizada afirma que, desde que a condição “não esteja ligada a uma doença das células cerebrais que piora ao longo do tempo”, o comprometimento cognitivo leve pode ser tratável.

A diretriz diz que, embora não haja evidência de que medicamentos, ou mudanças na dieta possam tratar o CCL, os portadores “precisam estar fisicamente e mentalmente ativos” e ser submetidos a exames regulares se sintomas de demência.

E já que a CCL pode progredir para a demência importante que seja diagnosticado precocemente para um tratamento direcionado.

No entanto outras doenças  podem se apresentar de forma semelhante a a CCL e ser associados a outras causas tratáveis, como depressão, efeitos colaterais de certas medicações ou sono interrompido..

É importante nestes casos acompanhamento médico para determinar a causa pois o tratamento precoce pode evitar que os problemas de memória piorem.

A nova diretriz acredita que os portadores de CCL envolvam-se em exercícios regulares como parte de um programa para gerenciar os sintomas. Estudos que acompanharam pessoas com CCLI por 6 meses demonstraram que exercitar duas vezes por semana pode melhorar a memória.

É uma descoberta importante, segundo os pesquisadores, que o exercício possa ajudar a melhorar a memória dos portadores de CCL, pois é algo que a maioria das pessoas pode fazer e trás benefícios globais para a saúde.

Fonte:

https://www.medicalnewstoday.com/articles/320507.php

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/people”>People image created by Suksao – Freepik.com</a>

 

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *