Empresas investem pesado e cientistas buscam alternativas efetivas que ajudem os pacientes a manterem a memória. Mas para compreender as apostas promissoras é preciso entender como a doença de Alzheimer (também chamada de DA) funciona.

Para ler a matéria, Clique Aqui.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *