A demência é uma síndrome do comprometimento cognitivo e comportamental, severa o suficiente para interferir com as atividades da vida diária e com a qualidade de vida.

Atualmente, são conhecidas 70 tipos de patologias que podem causar demência. No entanto, nem todas são progressivas.

As demências ocorrem primariamente em fases mais tardias da vida, com uma prevalência de 1% aos 60 anos, dobrando a cada cinco anos até atingir 30% à 50% aos 85 anos.

O diagnóstico preciso das síndromes demenciais é importante para detectar causas reversíveis de demência, permitindo ao médico predizer o curso da doença.

A demência mais conhecida atualmente é a de Alzheimer, no entanto existem outros tipos, como a demência de Lewy.

A demência com corpúsculo de Lewy caracteriza-se por um progressivo declínio cognitivo, que interfere nas atividades de vida diária do indivíduo, pois seu portador pode apresentar alucinações visuais recorrentes, história de síncopes, quedas, perdas transitórias de consciência, flutuação da capacidade cognitiva.

Esta patologia foi descrita pela primeira vez em 1961, sendo considerada rara até 1980, pois não mais que 50 casos em todo mundo haviam sido relatados.

Entretanto, com o aumento da população idosa esta demência sofreu um aumento do número de casos, cuja confirmação se dá pela característica específica de seu achado anatomo-patológico, a presença de estruturas no interior do neurônio, que provocam sua morte, denominados corpúsculos de Lewy.

Estes corpúsculos se distribuem no interior da citoplasma neuronal e se distribuem no córtex cerebral e no tronco encefálico.

A Demência de corpúsculos de Lewy, necessariamente causa declínio cognitivo no seu portador, e isso pode interferir no funcionamento sócio-ocupacional do indivíduo, acentuado pela presença de parkinsonismo (sinais e sintomas similares à Doença de Parkinson como a bradicinesia, lentidão de movimentos e a rigidez), alucinações visuais recorrentes e flutuação das funções cognitivas (alteração do estado de atenção e de alerta, mudança de comportamento, e prejuízo na função executiva – dificuldade em resolver problemas).

O portador deste tipo de patologia pode apresentar também, quedas repetidas – geralmente associadas aos sintomas parkinsonianos – síncope (desmaios), perda de consciência, sensibilidade aos antipsicótico (ver post sobre antipsicóticos), ilusões bem vívidas e depressão.

Um aspecto a ser considerado no diagnóstico diferencial deste indivíduo são as alucinações visuais, que se apresentam complexas e detalhadas, com visões de figuras humanas e objetos animados.

A memória neste paciente costuma estar preservada no início da doença.

Como esta é uma doença neurodegenerativa (o curso é irreversível – não tem cura), o tratamento é focado em amenizar os sinais e sintomas que o paciente apresenta e retardar a evolução da doença, sendo assim pode se dividir em quatro etapas:

1º – O diagnóstico preciso da doença

2º – Identificação dos sintomas alvo – sinais de parkinsonismo, déficits cognitivos, alucinações, delírios, distúrbios do sono e de comportamento.

3º – Intervenção farmacológica- inclui o uso de inibidores de colinesterase – rivastigmina e donezepil – (sua função é aumentar a transmissão de neurotransmissores, principalmente a acetilcolina) esta terapêutica tem boa resposta nos distúrbios cognitivos.

4º – Intervenção não farmacológica – inclui a orientação de familiares e cuidadores no cuidado a este paciente, principalmente na prevenção de quedas, ocorrência comum no portador deste tipo de demência, além de esclarecer sobre os sinais e sintomas, à fim de que a mesma possa intervir, na promoção da qualidade de vida do portador.

A demência de corpúsculos de Lewy, é responsável por aproximadamente 10% à 15% do total das demências neurodegenerativas.

Entretanto, sua gravidade torna fundamental o diagnóstico precoce, mas muitas vezes pode ser confundida com demência por Parkinson.

Sendo assim, qualquer sintoma que seja similar deve ser levado o quanto antes ao médico especialista – geriatra ou neurologista – á fim de garantir um tratamento direcionado às reais necessidades do paciente.

Espero que tenham gostado deste post.

Um abraço a todos e fiquem em paz.

Comments

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *