Dois novos estudos, realizado em camundongos, apoiam as descobertas uns dos outros: que a dieta cetogênica, ou “ceto”, pode melhorar a memória na maturidade, bem como prolongar a expectativa de vida útil.

A dieta cetogênica, mais conhecida como a dieta ceto, objetiva reduzir a ingestão de carboidratos, que é substituído proteínas rica em gorduras. Neste tipo de dieta a gordura é convertida em corpos cetônicos e pode levar ao emagrecimento, no entanto existe um risco grande de efeito sanfona, pois o peso perdido pode ser recuperado ao fim da dieta.

A terminologia  cetogênica está relacionada, à fase do catabolismo hepático, onde o fígado transforma gorduras em ácidos graxos e corpos cetônicos, que irão transformar-se em energia necessária para as atividades realizadas durante o dia.

A DC é uma dieta terapêutica, cuja composição é rica em lipídios, moderada em proteínas e pobre em carboidratos, é utilizada também para o tratamento de portadores de epilepsia de difícil controle.

Neste tipo de dieta os carboidratos e açúcares estão proibidos, para que  o corpo se já forçado a utilizar gordura, como fonte de energia.

Recentemente, esse tipo de dieta começou a atrair atenção.  Pesquisas associaram este tipo de dieta a benefícios como perda de peso, terapia adjuvante contra o câncer e para tratamento de epilepsia.

Dois novos estudos conduzidos de forma independente sugerem que a dieta ceto pode ajudar a melhorar a memória e reduzir a mortalidade. Um estudo – liderado por Dr. Eric Verdin e John Newman, ambos do Buck Institute for Research on Aging em Novato, Califórnia – analisaram o efeito da dieta ceto em camundongos idosos.

O segundo estudo – liderado pelo Dr. John Ramsey, da Universidade da Califórnia, Faculdade de Medicina Veterinária de Davis – examinou ratos adultos e teve achados semelhantes sobre o impacto da dieta ceto, com a adição de que também pode melhorar força e a coordenação motora.

Os trabalhos foram publicados no jornal Cell Metabolism.

Os dois estudos testaram os efeitos de quatro tipos de dieta – dieta cetogênica – de  baixo carboidrato – dieta rica em gordura  e dieta controle – em camundongos. Os cientistas usaram tarefas envolvendo labirintos, feixes de equilíbrio e rodas de corrida para testar o desenvolvimento das habilidades cognitivas dos ratos e a força física à medida que envelheciam.

Os pesquisadores também monitoraram os camundongos para avaliar alterações na função cardíaca e quaisquer alterações na regulação da expressão gênica.

O que os pesquisadores do Buck Institute – em colaboração com equipes de outras instituições – descobriram que os efeitos da dieta cetogênica no corpo eram muito semelhantes aos do jejum e outras restrições dietéticas.

A equipe do Buck Institute descobriu que uma dieta de ceto oferecida aos ratos de forma cíclica – isto é, alternada com a dieta de controle – impediu a obesidade, reduziu a mortalidade na vida adulta e impediu a perda de memória.

Os camundongos mais velhos que foram alimentados com a dieta  cetogênica tinham uma memória melhor do que os ratos mais jovens. Isso é realmente notável, segundo um dos pesquisadores.

A dieta ceto pode aumentar a concentração de ácido beta-hidroxibutirato (BHB) no corpo, o que, segundo os pesquisadores, melhora a função da memória.

Dr. Verdin diz que esta é a primeira vez que um estudo detalhou o impacto benéfico do BHB na memória e na vida útil em mamíferos em processo de envelhecimento. “Isso abre um novo campo na pesquisa em envelhecimento. Pensamos que os benefícios para a saúde do BHB podem ir além da memória e podem afetar os tecidos e os sistemas de órgãos”, ele sugere.

“Tivemos o cuidado de ter todos os ratos comendo uma dieta normal durante o teste de memória real, o que sugere que os efeitos da dieta cetogênica duraram. Algo mudou nos cérebros desses ratos para torná-los mais resistentes aos efeitos da idade. “, diz o Dr. Newman.

Uma explicação para a preservação e melhora da memória nos ratos alimentados com este tipo de dieta, o pesquisador acredita que  pode ser uma mudança na expressão gênica. “Olhando para a expressão gênica”, explica o Dr. Newman, “a dieta cetogênica suprimiu a via de TOR da longevidade (alvo da rapamicina) e sinalização de insulina e regulou o fator de transcrição relacionado ao jejum PPAR-alfa, um regulador mestre que ajuda o corpo metabolize mais eficientemente a gordura “.

O segundo estudo apresenta resultados semelhantes quanto ao efeito da dieta ceto na memória e na mortalidade, como explica o pesquisador principal.

“Nós esperávamos algumas diferenças [em ratos alimentados com a dieta ceto], mas fiquei impressionado com os resultados – um aumento de 13% em média de vida  para os ratos com uma dieta alta em gordura versus alta em carboidratos. Nos seres humanos, isso seria de 7 a 10 anos a mais. Mas igualmente importante foi que, esses camundongos mantiveram a qualidade da saúde na maturidade “.

Os autores deste estudo observam que uma dieta ceto permitiu que os ratos preservassem a função motora e a massa muscular.

O laboratório Buck Institute,  está atualmente investigando se as dietas de ceto podem afetar a doença de Alzheimer.

No entanto é importante ressaltar que estes estudos foram realizados com cobaias- ratos – e não se sabe que efeitos estes experimentos podem causar aos seres humanos. Sendo assim ao começar uma dieta, é extrema importância o acompanhamento de um profissional especializado.

Fonte:

HENRIQUES, Lysia Duarte et al. Dieta cetogênica: uma visäo atualizada. Mundo saúde (Impr.), v. 25, n. 2, p. 153-5, 2001.

http://www.medicalnewstoday.com/articles/319287.php – Keto diet may increase memory, reduce mortality. Setembro- 2017.

Créditos imagem:

<a href=”http://www.freepik.com/free-photos-vectors/food”>Food image created by Bearfotos – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *