A DPOC é uma condição pulmonar crônica que inclui duas situações: enfisema e bronquite crônica.

Juntas, essas condições prejudicam os pulmões e as vias aéreas, dificultando a respiração.

Os sintomas comuns incluem: falta de ar, tosse crônica com muco, sibilos (chiados no peito) e fadiga.

Todos os processos do corpo, incluindo a respiração, requerem energia. O corpo obtém essa energia de alimentos, água e oxigênio.

As pessoas com DPOC são aconselhadas a seguir uma dieta saudável porque:

– Quando uma pessoa tem DPOC, a respiração exige mais esforço e energia. Como resultado, estas pessoas precisam obter mais energia e nutrientes dos alimentos que comem.

– DPOC prejudica a capacidade dos pulmões para obter oxigênio, e os nutrientes adequados de alimentos tornam-se ainda mais importante para os pulmões.

– Uma dieta pobre pode causar perda de peso não planejada em pessoas com DPOC. Eles podem ter dificuldade em comer ou queimar muitas calorias através do esforço adicional que eles usam para respirar. Isso pode levar a desenvolver músculos mais fracos, menor capacidade de atividades e mais falta de ar.

Alimentar o corpo com uma nutrição adequada pode ajudar uma pessoa com DPOC a se sentir melhor, ser mais ativa e ajudar a manter a melhor função pulmonar possível.

Alimentos permitidos e proibidos

Em geral, uma dieta saudável como descrito nas Diretrizes Alimentares para os americanos é útil para aqueles com DPOC, pois fornece nutrientes essenciais.

A dieta deve se concentrar em vegetais, frutas, grãos integrais, leguminosas e proteína magra, como peixes e aves.

As pessoas devem limitar alimentos processados ​​e fritos tanto quanto possível, uma vez que não fornecem tanta nutrição como frutas, legumes e grãos.

Esses passos dietéticos adicionais podem ajudar as pessoas com DPOC a sentirem-se melhor:

– Comer frutas e legumes: a National Emphysema Foundation diz que alimentos vegetais ajudam a combater a inflamação e infecção. Eles também são fáceis de digerir e fornecem ao corpo energia suficiente.

– Comer muita proteína: proteína desempenha um papel fundamental na saúde dos músculos, ossos, sangue e imunidade. Como as infecções pulmonares são mais comuns em pessoas com DPOC, a proteína é um componente importante da dieta. Boas fontes de proteína incluem peixe, ovos, aves, laticínios, soja, nozes, legumes e quantidades moderadas de carne vermelha.

– Diminuição de sódio: o grande consumo de sódio pode aumentar a pressão arterial e aumentar a falta de ar em pessoas com DPOC. Também pode reter liquido no organismo (deixando a pessoa inchada), o que pode ser um problema comum em pessoas com DPOC.

– Evitar carboidratos simples: estes estão presentes em alimentos como lanches, pão branco, massas e muitos alimentos processados, que geralmente oferecem pouca ou nenhuma fibra e nutrientes. Estes tipos de alimentos são quebrados rapidamente no corpo, o que resulta na produção de mais dióxido de carbono (CO2). Isso é perigoso para uma pessoa com DPOC, porque eles podem não ser capazes de inspirar oxigênio suficiente para se livrarem do excesso de dióxido de carbono.

– Preferir grãos integrais e carboidratos complexos: pessoas com DPOC devem tentar comer macarrão e pão integrais, feijão, ervilhas, frutas e legumes, os quais irão minimizar a quantidade de dióxido de carbono que é produzido por alimentos.

– Evitar alimentos que produzam gazes: vegetais, como brócolis e couve de Bruxelas, e carnes, como charque, carne seca e carne de sol, precisam ser evitados pois causam indigestão e inchaço.

– Beber bastante água: permanecer hidratado pode ajudar a diluir e soltar o muco nos pulmões e nas vias respiratórias. Água e chá livre de cafeína são, geralmente, boas escolhas. Refrigerantes podem causar inchaço e oferece pouco ou nenhum valor nutricional e, portanto, devem ser evitados.

Se o apetite for baixo, os líquidos podem precisar ser evitados 30 minutos antes das refeições para permitir que o estômago se sinta mais vazio.

Algumas pessoas com DPOC podem precisar restringir fluidos se estiverem retendo água.

Um médico ou nutricionista podem aconselhar a quantidade de fluido necessária nestes casos.

Quantidade e freqüência das refeições

Comer três grandes refeições por dia pode aumentar os sintomas de DPOC.

Uma grande refeição necessita de mais energia e oxigênio para digerir. Isso significa que o corpo tem menos oxigênio para outras funções.

Grandes refeições, também, podem causar inchaço e indigestão, o que pode aumentar a falta de ar.

Seis refeições pequenas por dia podem ajudar a manter estáveis ​​os níveis de energia e, geralmente, serão mais fáceis de digerir.

E, também, o paciente pode se sentir menos estressado para sentar e comer porções menores, pois a respiração será mais facil.

Facilitar o ato de comer

Algumas pessoas com DPOC tem dificuldades para comer, especialmente à medida que a doença progride.

Respirar enquanto mastiga e engole os alimentos pode ser um desafio quando uma pessoa está com falta de ar.

Para ajudar a reduzir alguns dos esforços de mastigar e engolir, as pessoas com DPOC podem preferir alimentos macios ou em forma de puré, tais como:

– Legumes e frutas cozidos, ao invés de crus

– Carnes desfiadas, no lugar de bifes e peitos de frango inteiro

– Sopas feitas com carnes e legumes bem cozidos

– Massas e arroz integral bem cozidos

Smoothies, que podem ser feitos com proteína em pó, iogurte, frutas e legumes

A preocupação e a ansiedade podem aumentar a falta de ar. Assim, as pessoas com DPOC devem tentar relaxar por alguns minutos antes e após as refeições.

As refeições não devem envolver discussões sobre tópicos estressantes.

Se uma pessoa sente falta de ar antes de comer, eles podem tentar exercícios de respiração.

Sentar-se em uma cadeira de apoio e confortável enquanto come pode ajudar a maximizar o fluxo de ar para os pulmões.

Além disso, uma pessoa não deve deitar 30 minutos depois de comer, para ajudar com a digestão e respiração.

Peso saudável e DPOC

DPOC pode causar perda de peso, mesmo quando uma pessoa não precisa perder peso.

Quando uma pessoa não tem gordura corporal suficiente, seu corpo pode começar a queimar músculo para obter energia.

Isso pode significar que a pessoa tem menos energia para as atividades, e músculos mais fracos para apoiar a respiração.

É importante que as pessoas com DPOC tentem manter um peso saudável.

Se uma pessoa está abaixo do peso, deve conversar com um nutricionista ou médico sobre maneiras saudáveis ​​para evitar uma maior perda de peso.

Algumas opções de alimentos que podem ajudar com o ganho de peso incluem:

– Produtos lácteos gordurosos, como um copo de leite integral (se os produtos lácteos produzirem maior quantidade de muco pulmonar, pode ser necessário evitar)

– Azeite, que pode ser adicionado a saladas e legumes cozidos e carnes

– Nozes e manteigas de nozes, que são ricos em gorduras saudáveis ​​e proteínas

Shakes ou suplementos de proteínas, se aconselhados por um médico

– Abacates, que podem ser usados ​​na culinária, saladas e smoothies

Suplementos podem ajudar na digestão

Se uma pessoa com DPOC achar que muitos alimentos causam indigestão ou gás, certos suplementos podem ajudar:

– Pílulas digestivas de enzima podem beneficiar a digestão. Essas enzimas ajudam o corpo a quebrar os alimentos de forma mais eficiente.

– Probióticos adicionam bactérias saudáveis ​​para o intestino. Estas bactérias amigáveis podem não só melhorar a constipação e diarréia em alguns casos, mas podem, também, beneficiar o sistema imunológico.

Pacientes com DPOC devem consultar o médico antes de tomar qualquer suplemento.

Certos suplementos podem interagir com medicamentos, ou podem ser perigosos para pessoas com problemas de saúde.

Alimentos saudáveis ​​ajudam o corpo

O alimento que uma pessoa consome pode afetar todos os aspectos de sua saúde, incluindo sua respiração.

Muitos alimentos podem constituir uma dieta saudável, mas nenhum alimento melhorará os sintomas da DPOC.

No entanto, o foco em alimentos saudáveis, ​​e seguindo o conselho de um nutricionista pode ajudar as pessoas com DPOC a sentirem-se melhor e levar uma vida mais ativa.

Fonte:

http://www.medicalnewstoday.com/articles/315676.php

Comments

  1. Olá,
    Tenho Dpoc (enfisema e bronquite) e estou com 62 anos. A bronquite me acompanha desde os oito anos, mas parou de dar crises aos 11.
    Eu discordo de algumas orientações acima.Isso torna o doente muito submisso.
    Eu fumei até os 50 anos (grande erro), mas não sinto até agora restrições tão graves. E acho que parte disso é pela maneira como encaro a doença.
    Acho que um fator importante é a postura quanto a dominação da doença. Vários colegas que tinham bronquite na minha juventude, aceitavam a postura curva que a falta de ar obriga. Eu nunca me deixei curvar. Ficava com falta de ar mas não adotava a postura do asmático.
    Talvez essa orientação ajude as pessoas que tem falta de ar, porque só o fato de ficar ereto e respirar cadencialmente ajuda a combater a doença e dar autoestima.
    Eu achava muito deprimente um colega meu que se encolhia todo por causa da bronquite.
    Com 30 anos tive hernia de disco e não adotei a postura curvada que a dor exigia. Operei e resolvi o problema.
    Agora com 62 anos estou com mais três hernias de disco e vou operar novamente, mas apesar da dor que sempre sinto não me curvo.
    Já percebi que a tendência de se encurvar alivia a dor, mas não permito que isso me domine. Passo dor mas fico ereto.
    Quem sabe considerar essas atitudes ajude o paciente a se sentir melhor. Sentindo dor, é claro, mas ciente de que está lutando com a doença.
    Cordialmente,
    Anísio

  2. Olá Anísio.
    Muito obrigado pela sua atenção e orientações.
    Tudo que aumente o nosso conhecimento é bem-vindo!!!
    Ficamos felizes pela sua visão do assunto.
    Atenciosamente;
    envelhecieagora.com

  3. Olà tudo bem?
    Tenho dpoc alguns anos (efisema pulmonar)tenho 55 anos fumei 45 anos sinto muita falta ar,jà não consigo fazer quase nada,tenho muito cansaço, gostei muito ,muito das oritaçoes sobre a alimentação,não gosto de ficar sentada mas sou depentente de òxigenio vinte quatro horas por dia.

    1. Olá Janete, infelizmente o DPOC provoca muitas limitações ao seu portador, mas busque praticar alguma atividade que lhe permita levar o oxigênio, isso pode melhorar muito sua qualidade de vida. Agradecemos sua opinião. Um abraço.

    2. Oi Janete completei 60 anos e descobri ser portadora de DPOC dois anos e meio atrás quando após uma perda exacerbada de peso cheguei no hospital com 39 kgs e um derrame pleural parada cardiorrespiratória 23 dias de UTI. Bem estou aqui agora. Usando oxigênio 20 hs diárias mas vou diminuir mais duas horas esse semestre. Faço fisio respiratória em casa psicoterapia participo de um grupo de apoio a ex fumantes e faço Lion Gong e Yoga. Faço também artesanato em feltro leio procuro atividades. Quanto mais positiva você for. Melhor irá se sentir. Abraço carinhoso e força foco e Fé. Esqueci de dizer que fumei 35 anos e tive uma pneumonia tóxica por inalação fumaça da queima de colchões. Sou assistente social e trabalhei numa delegacia cuidando de adolescentes infratores. Acho que é só 🙏

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *