A Dramaterapia é a utilização do drama ou processo teatral, á fim de alcançar um tratamento terapêutico, os participantes deste processo participam de oficinas onde se contam histórias, no sentido de resolver problemas, na expressão de sentimentos, onde na criação de personagens é possível a modificação do ambiente, com o propósito de modificar comportamentos, á fim de que o indivíduo se reencontre emocional e fisicamente e possa construir auto estima e habilidades no controle de suas emoções.

Foi na década de 1920, que um psicólogo romeno, Jacob Moreno, observou como a dramatização e o teatro experimental tinham o poder de libertar as pessoas através da revelação dos seus pensamentos e sentimentos. Ele a partir daí começou a incorporar o drama em psicoterapia.

O Psicodrama continuou a ser praticado como uma técnica para ajudar os indivíduos a alcançar soluções para questões específicas, descobrindo como os impactos do passado podem estar representados no presente.

Na década de 1960, um diretor de teatro brasileiro radical, Augusto Boal, estava trabalhando sobre o conceito de teatro da comunidade, a partir do qual surgiria o “teatro do oprimido”.

Boal montou um teatro onde o público poderia expressar-se através do drama, tornando-se atores, através da representação e tentariam resolver os problemas de suas próprias vidas. Sua obra forneceu uma nova direção para a terapia de drama.

A dramaterapia pode auxiliar as pessoas em uma ampla variedade de contextos para alcançar a mudança, seja por meio da mudança de velhos hábitos, aprender novas habilidades ou aceitar um passado difícil.

O que é a terapia de drama?

A Dramaterapia é praticada em muitos lugares:. hospitais, programas de recuperação, clínicas comunitárias de saúde mental, escolas, coaching de carreiras, terapia com idosos, e consultórios psiquiátricos e psicológicos apenas para citar alguns”

New York University (NYU) Steinhardt define terapia de drama como: “O uso intencional de técnicas teatrais para facilitar o crescimento pessoal e promover a saúde, tratando, assim, indivíduos com uma gama de saúde mental, cognitiva e transtornos do desenvolvimento.”

Os seres humanos são seres criativos, a dramaterapia pode ajudar o indivíduo a encontrar meios criativos para encontrar soluções para seus problemas.

Com base nos ensinamentos teóricos do drama, teatro, psicologia, psicoterapia, antropologia, jogos e processos interativos e criativos, qualquer aspecto das artes do desempenho podem estar envolvidos na relação terapêutica.

Dramatizações, histórias e improvisação são atividades utilizadas na dramaterapia

Estas atividades têm por objetivo reunir o corpo e a mente. Eles variam de acordo com o contexto, pode-se incluir histórias, mitos, jogos, marionetes, máscaras, improvisação, encenação e rituais.

O ritual de encerramento pode finalizar com um aperto de mão ou abraço polegar juntamente com uma evocação de confidencialidade e autocuidado.

Histórias podem ser reais, imaginárias ou com baseadas na própria experiência do participante , proporcionando uma abordagem indireta para ajuda-los a explorar experiências de vida difíceis e dolorosos.

A dramaterapia ajuda a liberar o poder

Esta terapia permite a catarse ou seja a “purificação ou purgação das emoções (como piedade e medo), através da arte.” Ele pode ajudar as pessoas a aproveitar as suas emoções em sua busca de soluções para problemas de saúde mental e emocional.

Dramaterapia – novo sopro de vida para enfrentar o envelhecimento

Entre os idosos, a terapia do drama incentiva a atividade física e mental e estimula a comunicação e as habilidades cognitivas. A formação de um grupo de dramaterapia em um grupo de idosos, pode restaurar a autoestima e o autocuidado.

Representar as histórias pode beneficiar os idosos de várias maneiras.

Isso ocorre pois, conforme as pessoas envelhecem, eventos como a aposentadoria, a morte de um cônjuge ou mobilidade reduzida podem levar a uma perda de identidade.

A dramaterapia pode capacitar os indivíduos a “redefinir-se” através da aprendizagem de novas habilidades, desenvolvendo um novo interesse ou criativamente compartilhando suas histórias.

Sessões podem tornar-se um espaço para relembrar, rever conceitos, reconhecer realizações da vida e prever o futuro.

A dramatização pode oferecer ajuda prática para as pessoas que apresentam ansiedade em relação ao enfrentamento de situações que eles podem parecer difícil, como lidar com problemas do dia a dia ou fazer reclamações sobre um uma conta.

Aqueles cuja capacidade de falar pode estar diminuída, depois de um acidente vascular encefálico ( derrame) , podem explorar o movimento como um novo canal de expressão. Para as pessoas com demência, fantoches, fantasias, fotos ou sons podem ser usados para estimular memórias.

Enfim, uma gama de emoções podem ser liberadas na terapia do drama, mas deve ser aplicado por um profissional qualificado e preparado para tal, geralmente um Psicólogo ou outro profissional de Saúde formado através de curso certificado.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *