A gastrite é a inflamação do revestimento do estômago. Infelizmente, o termo “gastrite” tem sido mal utilizado para incluir muitos problemas diferentes no abdome superior, mas a gastrite refere-se a inflamação do revestimento do estômago (mucosa gástrica)..

A gastrite pode ser classificada como aguda ou crônica.

  • A gastrite aguda pode ser caracterizada como erosiva (áreas danificadas onde as células da mucosa são rompidas ou ausentes) e não erosiva.
  • A gastrite crônica é determinada pela análise histopatológica (aparência da mucosa gástrica), com sintomas que duram muito tempo. Não existe um sistema de classificação amplamente aceito, embora alguns tenham sido propostos.

As duas principais causas de gastrite são causadas por:

– Uma bactéria a Helicobaster pylori ou H pylori –  Normalmente, essa bactéria infecta primeiro o antro do estômago (mucosa do estômago sem células produtoras de ácido) de forma aguda e pode progredir para infectar toda a mucosa do estômago ao longo do tempo (gastrite crônica) e permanecer lá por anos. Esta infecção gera uma resposta inflamatória inicial forte e, eventualmente, uma inflamação crônica a longo prazo com alterações nas células intestinais.

– Ou anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs). No entanto, existem muitas outras causas, como outros agentes infecciosos, doenças auto imunes, doença de Crohn, sarcoidose  e gastrite granulomatosa isolada.

Sinais e sintomas:

– Dor abdominal

– Náuseas

– Vômitos

– Eructação – arrotos

– Inchaço, perda de apetite e indigestão (dispepsia).

Diagnóstico

A gastrite pode ser diagnosticada pelos sintomas apresentados e história do paciente (como o uso de AINEs e / ou consumo de álcool), por testes de respiração, por exames de sangue, fezes, imunologia e biópsia para detectar H. pylori e testes de imagem como endoscopia  ou estudos radiológicos que irão demonstrar alterações mucosas.

Tratamento

O tratamento para gastrite varia de acordo com a causa. Outras causas menos comuns podem ser tratadas de forma semelhante, mas não tratam a causa subjacente.

Mudanças nos hábitos de vida,  bem como alimentos devem ser evitados ou seu consumo diminuído,  por serem irritantes químicos, que causam ou agravam os sintomas de gastrite  Por exemplo:

– Parar de fumar

– Evitar beber quantidades excessivas de álcool.

– Evitar cafeína, bebidas varbonatadas; e sucos de frutas que contenham ácido cítrico, por exemplo, toranja, laranja, abacaxi, etc.

– Evitar alimentos com alto teor de gordura.

Não existe uma dieta mágica para o tratamento da gastrite no entanto, o crescimento de H. pylori pode ser interrompido por uma dieta rica em fibras  e alimentos que contenham flavonoides, por exemplo, alguns tipos de chás, cebola e alho, entre outros.

Tratamento medicamentoso

Tratar a causa subjacente da gastrite é a maneira mais eficaz de reduzir ou resolver os sintomas da gastrite. Por exemplo, se a causa da gastrite for H. pylori , o tratamento com antibióticos apropriados (geralmente uma combinação de amoxacilina e claritromicina associada ao subsalicilatode bismuto, pode ser eficaz no tratamento dos sintomas.  Se os AINEs forem a causa, a interrupção do medicamento deve ser indicada.

Outros medicamentos podem reduzir ou parar os sintomas de gastrite e permitir que a cicatrização da mucosa gástrica comece independentemente da causa subjacente. Estes medicamentos são:

  • antiácidos (Maalox, Rolaids e Alka-Seltzer),
  • bloqueadores da histamina (H2) –famotina, pepcid, ranitidina, patoprazol, entre outros.
Complicações

As complicações da gastrite crônica incluem úlcera péptica, úlcera hemorrágica, anemia, câncer gástrico, linfoma, obstrução intestinal, entre outras.

A gastrite aguda dura cerca de 2-10 dias.

Gastrite crônica, se não tratada, pode durar de semanas a anos. Se a causa subjacente da gastrite (por exemplo, o consumo de álcool) não for tratado, a gastrite provavelmente continuará.

Os alimentos que podem impedir o crescimento do H. pylori e aliviar os sintomas da gastrite incluem:

  • Chás (verde e branco em particular)
  • Iogurte
  • Menta
  • Farelo de trigo
  • Suco de cenoura
  • Água de coco
  • Vegetais de folhas verdes
  • Cebolas
  • Alho
  • Maçãs
  • Frutas frescas e bagas
  • Aipo
  • Suco de Crawnberry
  • Couve
  • Brócolis
  • Cebolinha
  • Salsinha
  • Tomilho
  • Feijão De Soja
  • Alimentos de soja
  • Legumes (feijões, ervilhas e lentilhas)
Fonte:

DDINE, Lissa Chamse et al. Fatores associados com a gastrite crônica em pacientes com presença ou ausência do Helicobacter pylori Factors associated with chronic gastritis in patients with presence and absence of Helicobacter pylori. ABCD: Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva, v. 25, n. 2, p. 96-100, 2012.

MULLER, Leandro Bizarro et al. Prevalence of Helicobacter pylori infection and gastric cancer precursor lesions in patients with dyspepsia. Arquivos de gastroenterologia, v. 44, n. 2, p. 93-98, 2007.

GUIMARÃES, Jocilene; CORVELO, Tereza Cristina; BARILE, Katarine Antonia. Helicobacter pylori: fatores relacionados à sua patogênese. Revista Paraense de Medicina, v. 22, n. 1, p. 33-38, 2008.

Fonte

<a href=”https://ww:w.freepik.com/free-photos-vectors/background”>Background image created by Freepik</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *