A hipóxia cerebral é uma deficiência de oxigênio que afeta o cérebro, onde o mesmo não recebe oxigênio suficiente, mesmo que o sangue esteja sendo bombeado para esta área. Quando o suprimento de oxigênio é totalmente prejudicado, recebe o nome de anóxia cerebral.

A hipóxia cerebral é considerada uma emergência médica, pois o cérebro precisa de suprimento constante de oxigênio e nutrientes para funcionar adequadamente.

Existem vários fatores que podem desencadear hipóxia cerebral, que incluem afogamento, sufocamento, parada cardíaca e acidente vascular encefálico – derrame. Sintomas leves incluem, perda de memória e problemas com a função motora, como movimento. Casos graves podem resultar em convulsões e morte cerebral.

Sintomas

A hipóxia cerebral é uma condição de  emergência e os sintomas podem ser graves como  convulsão e coma.

Os sintomas de falta de oxigênio no cérebro, ou hipóxia cerebral, podem ser leves ou graves e dependem do nível e da duração da privação de oxigênio.

Sintomas leves de hipóxia cerebral incluem:

  • Perda temporária de memória
  • Problemas movendo partes do corpo
  • Desatenção
  • Julgamento pobre

As células do cérebro podem começar a morrer depois de 5 minutos de perda de oxigênio. Os sintomas tornam-se mais perigosos quanto mais tempo o fluxo de oxigênio para o cérebro é cortado.

Sintomas graves de hipóxia cerebral incluem:

  • Apreensão
  • Coma
  • Morte cerebral

Nos casos de morte cerebral, não há atividade cerebral. As pupilas dos olhos não respondem à luz e não é possível respirar sem a ajuda de uma máquina de suporte de vida. No entanto, o coração continua a bombear o sangue pelo corpo.

Causas da hipóxia cerebral

Algumas condições clinicas reduzem o suprimento de oxigênio para o cérebro entre elas::

  • ELA – esclerose lateral amiotrófica – entre outras doenças que paralisam os músculos respiratórios
  • Lesão cerebral
  • Envenenamento por monóxido de carbono
  • Parada cardíaca
  • Complicações decorrentes da anestesia
  • Afogamento
  • Overdose de drogas
  • Arritmia cardíaca
  • Doenças pulmonares, como doença pulmonar obstrutiva crônica ou DPOC
  • Estrangulamento
  • Acidente vascular encefálico
  • Asfixia
Fatores de risco

A hipóxia cerebral pode afetar qualquer indivíduo que seja privado do fornecimento de oxigênio no cérebro, mas algumas pessoas correm maior risco do que outras como esportistas – boxeadores, nadadores, jogadores de futebol, mergulhadores e alpinistas.

Portadores de algumas patologias como asma, problemas cardíacos, hipotensão – pressão arterial baixa, doenças pulmonares, entre outras.

Diagnóstico

Geralmente se diagnostica hipóxia cerebral com base no histórico médico de uma pessoa, um exame físico e outros testes.

Durante a história médica e o exame físico, o médico perguntará sobre os sintomas atuais e as atividades recentes de alguém.

O médico pode solicitar exames para confirmar a hipóxia e descobrir sua causa. Esses testes incluem:

  • Angiografia cerebral
  • Exames de sangue para verificar os níveis de oxigênio no sangue
  • Ressonância magnética
Tratamento

A hipóxia cerebral é uma emergência que requer tratamento imediato. É vital que o suprimento normal de oxigênio para o cérebro seja retomado rapidamente para evitar complicações ou morte cerebral.

O tratamento irá depender  da causa e gravidade da hipóxia. Sistemas básicos de suporte de vida são frequentemente necessários. Pessoas com hipóxia grave podem precisar de respiração artificial.

Outros tratamentos incluem:

  • Transfusão de sangue, fluidos e medicamentos para restaurar a pressão arterial e a frequência cardíaca

Recuperação e perspectiva

A duração do coma e outros fatores podem influenciar o resultado da hipóxia cerebral.

Por quanto tempo o cérebro passou por privação de oxigênio.

É difícil prever a rapidez com quando o indivíduo que sofreu hipóxia irá se recuperar, mas alguns fatores podem ajudar a prever o resultado.

Baixos níveis de oxigênio no cérebro por várias horas pode sugerir uma pior recuperação.

 Eventualmente, a hipóxia cerebral pode ser fatal.

Prevenção

Pode ser um desafio evitar todos os casos de hipóxia cerebral. Por exemplo, é difícil evitar uma lesão cerebral recebida durante uma colisão inesperada de carro.

Para ter a melhor chance de prevenir a hipóxia, deve-se  monitorar as condições de saúde e evitar grandes altitudes,  usar equipamentos de proteção adequados, como capacetes, quando praticam esportes com alto risco de traumatismo craniano.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *