A obesidade aumenta o risco de desenvolver uma série de condições graves associadas a sua ocorrência, como a diabetes e problemas cardiovasculares.

De acordo com pesquisas, a obesidade acelera o processo de envelhecimento, pois sua ocorrência desencadeia uma série de alterações moleculares no interior das células.

Pesquisas demonstram que a obesidade aumenta os níveis de partículas reativas de oxigênio, os perigosos radicais livres, encontrados em grande quantidade nas moléculas de gordura, levando a um encurtamento dos telômeros, que é um marcador do envelhecimento.

Os telômeros são estruturas posicionadas nas extremidades de cada cromossomo, que fornecem proteção ao DNA. Cada vez que uma célula se divide, uma pequena porção do telômero é perdida.

Uma vez que o telômero atinge um limite crítico, a célula passa por um processo de senescência (envelhecimento) e as células param de se dividir permanentemente ou ocorre a apoptose (morte celular programada – autoextermínio celular).

Várias escolhas de estilo de vida podem aumentar a taxa em que os telômeros são degradados; estes incluem tabagismo, má alimentação, falta de exercício e obesidade.

Obesidade e envelhecimento prematuro

As pessoas obesas, de acordo com pesquisas, possuem telômeros mais curtos, pois apresentam níveis mais elevados de inflamação celular e aumento do volume de citocinas (glicoproteínas que induzem a produção de anticorpos para neutralização de antígenos), e esses mensageiros celulares, atuam em nosso sistema imunológico e seu aumento pode indicar agravamento de um processo patológico.

Um estudo recente examinou se a cirurgia bariátrica pode reverter estes sinais celulares do envelhecimento. Os resultados foram apresentados recentemente em um congresso de Biologia Cardiovascular (FCVB), em Florença, na Itália.

A cirurgia bariátrica é um procedimento que reduz significativamente o tamanho do estômago. A perda de peso pode ser drástica; a cirurgia pode reduzir o peso do corpo de 30 á 40% ao longo de apenas um ano. Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Viena, Áustria, propôs um estudo a fim de descobrir se os processos celulares do envelhecimento também podem ser revertidos.

Liderados pelo Dr. Philipp Hohensinner, a equipe estudou 76 pacientes com idade média de 40 anos e IMC (Indice de Massa Corpórea) acima de 35, o que indica obesidade severa/mórbida e os participantes tinham lutado para perder peso durante anos sem sucesso, até serem encaminhados para cirurgia bariátrica.

O envelhecimento celular pode ser revertido?

Para o estudo amostras de sangue foram coletadas antes da cirurgia, em seguida, 12 e 24 meses após o procedimento. Em todo o grupo, o IMC teve uma redução de 38%.

Em relação às alterações celulares foram observadas reduções significativas nas citocinas, as quais são substâncias que estão presentes no processo infeccioso, tais como inibidor-1 do ativador de plasminogénio e a interleucina-6, e houve um aumento em uma citocina que reduz a inflamação, conhecida como interleucina-10.

Dois anos após a cirurgia, os telômeros dos pacientes apresentaram 80% de aumento em células pesquisadas e em amostras de sangue.

“Nossas células se renovam constantemente. Isso significa, que as células que examinamos em dois anos eram células diferentes, neste novo ambiente pós-cirurgia. Elas apresentaram telômeros mais longos e pareciam mais jovens do que as células observadas antes da cirurgia. As células pareciam sofrer menos stress”, relata o pesquisador responsável pelo estudo, Dr. Philipp Hohensinner.

Além de medir os telômeros, a equipe também avaliou a oxidação dos mesmos, uma das causas do encurtamento destes. Após dois anos, danos oxidativos sofridos pelos telômeros foi reduzido em 30%.

Como o Dr. Hohensinner conclui, “as células parecem estar cada vez mais jovens”, porque há menor quebra celular devido à oxidação.

A boa notícia é que os corpos dos indivíduos que foram submetidos a cirurgia bariátrica são capazes de se reparar e sofrer menos alterações relacionadas ao processo de envelhecimento.

Os resultados também podem ser aplicáveis ​​para outros indivíduos que perderam peso com dieta, durante um longo período de tempo.

O corpo, ao que parece, é capaz de reverter este tipo de envelhecimento prematuro.

Fonte:

http://www.medicalnewstoday.com/articles/311533.php

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *