Os olhos de guaxinim é a presença de  grandes anéis escuros ao redor dos olhos. Geralmente esta condição está associada a presença de sangramento interno na face por algum tipo de trauma na face ou no crânio.

Esta condição não é devido a  falta de sono ou ao uso de cosméticos, mas resultado de uma lesão na face ou no crânio. O tratamento deste agravo irá depender da causa.

Olhos de guaxinim também conhecida  como equimose periorbital, é caracterizada pela presença de hematomas e descoloração em torno dos olhos de uma pessoa que se assemelham a círculos escuros em torno dos olhos de um guaxinim.

A coleção de sangue presente nos tecidos moles ao redor dos olhos,  provoca hematomas que podem variar de cor de vermelho para roxo escuro. O tamanho dos hematomas também pode variar,  dependendo da causa e do tipo de lesão.

Os olhos de guaxinim geralmente são um sinal de uma condição grave que deve ser diagnosticada e tratada imediatamente.

Causas

Eventos traumáticos, ou fratura na face ou no crânio, geralmente provocam olhos de guaxinim. Outras condições também podem contribuir para o aparecimento do sintoma, mas são menos comuns. Entre elas podemos destacar:

Fratura basal do crânio: causa mais comum de olhos de guaxinim. Este tipo de fratura envolve quebras nos ossos que compõem a base do crânio, incluindo o osso temporal, osso occipital, osso esfenoidal ou osso etmoidal. Essas fraturas ocorrem após eventos traumáticos, como acidentes de carro, queda de grandes alturas e lesões esportivas. As rupturas nessas áreas nem sempre são aparentes nos raios-X  e muitas vezes de difícil diagnóstico no início.

Os olhos de guaxinim podem levar horas ou dias para se desenvolver e podem passar desapercebidos,  no  diagnóstico inicial em uma sala de emergência ou unidade de terapia intensiva.

Craniotomia:  Alguns procedimentos cirúrgicos do cérebro, como a craniotomia, podem causar olhos de guaxinim.  Neste tipo de procedimento, um pedaço do crânio pode ser retirado, mas esta manobra pode provocar  hemorragia ao romper as meninges, e o paciente pode desenvolver olhos de guaxinim.

Fraturas faciais: Ocorre devido a fratura dos ossos da face,  que podem ocorrer em ambos os lados do rosto, ou por  nariz quebrado e lesão no olho.

Amiloidose: ocorre quando uma proteína anormal chamada amilóide se acumula em alguns  órgãos do corpo. Se a proteína  amilóide acumula-se  nos capilares, eles podem ficar fracos e se romper. Quando isso acontece, o portador  pode desenvolver olhos de guaxinim após uma ação simples, como tossir, espirrar ou esfregar os olhos.

Rinoplastia: é uma cirurgia plástica que envolve a reestruturação do osso e da cartilagem no nariz. Este procedimento é realizado para melhorar a função do nariz ou mudar sua forma para torná-lo mais atraente. Dependendo da extensão da cirurgia, é possível que a rinoplastia cause olhos de guaxinim.

Outras causas menos comuns para olhos de guaxinim incluem:

–  Alergias

– Rabdomiossarcoma

– leucemia

– anemia aplástica

– Miosite orbital

– Tosse convulsa

– Trombocitopenia

– Sinusite

– Cirurgia estética

Sintomas:

– Inchaço das pálpebras,

– Edema,

– Descoloração,

– O sinal de luta, que é um padrão de contusões semelhante que aparece atrás da orelha,

– Hematomas que aparecem horas a dias após o trauma,

– Olho vermelho ou hemorragia subconjuntival,

– Mudanças sensoriais, como perda auditiva, visão turva e perda de olfato,

– Fraqueza muscular.

Diagnóstico:

Para identificar a causa dos olhos de guaxinim, é indicada a realização de exames de imagem entre eles:

PET Scan – que é uma tomografia  realizada pela emissão de Pósitron utilizada frequentemente na oncologia, devido a sua acurácia.

Tomografia computadorizada.

Exame físico  incluindo testes de movimentos oculares, testes nervosos e tocando a área circundante.

Os testes de imagem são a parte mais importante do diagnóstico. Eles permitem que os médicos identifiquem a causa dos olhos do guaxinim de forma não invasiva

Complicações

Os olhos de guaxinim podem levar a complicações graves  se não forem tratados adequedamente. As lesões traumáticas, como as fraturas do crânio basal, podem causar lesões cerebrais significativas, de modo que a pessoa deve ser testada para qualquer lesão duradoura causada pelo trauma.

O paciente também deve ser monitorado para verificar a presença de :

– Meningite

– Paralisia facial ou a incapacidade de controlar os músculos faciais

– Aneurismas

– Sangramento cerebral

– Extravasamento de líquido cefalorraquidiano

Deve se verificar também sintomas de síndrome pós-concussão, que podem incluir sintomas aparentemente simples, como dor de cabeça, zumbido nos ouvidos e fadiga. Alterações sensoriais e insônia também são sinais de síndrome pós-concussiva.

Tratamento

Na presença de olhos de guaxinim o tratamento deve se concentrar na  causa, pois após o tratamento da mesmo a lesão  de periorbitária retrocederá a medida que a fratura apresentar melhoras.

As perspectivas e o tempo de recuperação geralmente dependem de eventuais complicações durante o processo.

As lesões na cabeça, como as fraturas do crânio basal, são graves e podem ser fatais, então, qualquer pessoa com olhos de guaxinim ou uma lesão na cabeça deve buscar ajuda em uma unidade de saúde de emergência  para o  diagnóstico e tratamento.

O diagnóstico precoce e o tratamento ajudam a reduzir a chance de danos duradouros.

Fonte: http://www.medicalnewstoday.com/articles/319039.php

Créditos imagem: http://www.medicalnewstoday.com/articles/319039.php

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *