O pulmão é o órgão responsável pela troca gasosa em nosso organismo, é formado por três lobos no lado direito e dois do lado esquerdo. A pneumonia bacteriana é uma doença que pode afetar ambos os lobos dos pulmões, um lobo, ou mesmo apenas uma parte do pulmão.

Os lobos dos pulmões são formados por pequenos sacos de ar chamados os alvéolos. Normalmente estes sacos de ar se enchem de ar que é o oxigênio inalado e elimina dióxido de carbono.

Quando uma pessoa desenvolve pneumonia, estes sacos de ar tornam-se inflamados, o que faz com que se encham de fluidos. Se os sacos de ar estão cheios de líquido em vez de ar, a respiração pode tornar-se difícil.

A pneumonia pode ser classificada como pneumonia adquirida na comunidade e pneumonia hospitalar.

A classificação refere-se ao local onde uma pessoa foi infectada, sendo a. pneumonia adquirida na comunidade o tipo mais comum de pneumonia.

As bactérias que causam pneumonia são disseminadas através da tosse e secreções orofaríngeas.

Se uma pessoa desenvolve pneumonia adquirida na comunidade, significa que foi infectada por bactérias fora do ambiente hospitalar.

Essas bactérias geralmente penetram nos pulmões depois que o indivíduo inala as partículas ou gotículas que são eliminadas por um portador (pessoa infectada) em forma de gotículas de saliva ou secreção nasal.

As causas mais comuns de pneumonia adquirida na comunidade são Streptococcus pneumoniae e Haemophilus influenzae.

Já a pneumonia hospitalar ocorre devido a ao contato com o microrganismo causador em um ambiente de saúde, que pode ser o hospital ou casa de repouso. A pneumonia hospitalar também pode ocorrer através de um profissional de saúde infectado.

As causas mais comuns de pneumonia hospitalar são Pseudomonas aeruginosa e Staphylococcus aureus.

Fatores de risco

Embora qualquer pessoa possa desenvolver pneumonia bacteriana, existem alguns fatores de risco, que podem elevar as chances de um indivíduo adquirir a doença, entre elas:

– Indivíduos com sistema imunológico enfraquecido devido a tratamento de câncer ou transplante de órgão;

– Fumantes devido ao comprometimento pulmonar devido a exposição constante a fumaça do cigarro principalmente os portadores de enfisema.

– Idosos, devido à diminuição do número de alvéolos, do volume residual pulmonar e do reflexo da tosse.

Sintomas

Os sintomas de pneumonia bacteriana podem variar em gravidade. Algumas pessoas têm apenas sintomas leves, enquanto outros desenvolvem complicações com risco de vida.

– Dor no peito; falta de ar; tosse que pode produzir muco amarelo ou verde; febre; cansaço; calafrios.

Os sintomas de pneumonia bacteriana tendem a ser semelhantes em crianças e adultos. De acordo com a Academia Americana de Pediatria, crianças e podem chorar mais do que o habitual, ter menos energia e apresentar palidez.

A pneumonia bacteriana é tratada de forma diferenciada em relação à pneumonia viral, por isso é importante encontrar a causa para que o tratamento adequado seja aplicado.

Complicações

As complicações da pneumonia bacteriana podem ocorrer em crianças e adultos, no entanto indivíduos com sistema imunitário enfraquecido e idosos estão em maior risco.

E, as complicações podem incluir:

– Insuficiência respiratória: quando a taxa de oxigênio nos pulmões é muito baixa ou se o dióxido de carbono se torna demasiado elevado, devido a dificuldades respiratórias.

– Sepse: ocorre quando uma infecção provoca uma resposta inflamatória esmagadora. Sepse pode levar à falência de múltiplos órgãos e ser fatal.

– Derrame pleural: quando fluido se acumula ao redor do pulmão.

Diagnóstico

O diagnóstico de pneumonia bacteriana é feito através de exames de imagem a laboratoriais além do exame físico feito pelo médico, onde será realizada a ausculta pulmonar.

Entre os exames de imagem incluem:

– Raio-X do tórax para avaliar o acúmulo de líquido nos pulmões e para verificar se há áreas de inflamação .

– Tomografia computadorizada

– Um broncoscopia á fim de visualizar dentro dos pulmões e também obter uma amostra de muco. O procedimento é feito através da inserção de um pequeno tubo com uma pequena câmara através da boca para dentro dos pulmões. O paciente recebe medicação para anestesiar a garganta e relaxar.

Os exames laboratoriais incluem:

– Hemograma completo a fim de verificar alterações no sangue que possam indicar a presença de infecção;

– Gasometria arterial, que objetiva verificar a quantidade de oxigênio e dióxido de carbono no sangue, ajuda a determinar como está a troca de gases pulmonares.

Tratamento

Para o tratamento da Pneumonia Bacteriana pode ser indicada a seguinte terapêutica:

– Administração de antibióticos, que têm como alvo as bactérias específicas que causam a doença;

– Analgésicos em caso de dor;

– Antitérmicos para reduzir a febre;

– Repouso e ingestão o líquidos, salvo contra-indicação de um médico;

– Algumas pessoas podem necessitar de hospitalização por pneumonia bacteriana. Hospitalização pode ser indicada, caso seja necessário o uso de oxigênio, ou houver risco de desidratação, ou o portador necessitar de ajuda para respirar através de respirador artificial.

As pessoas que desenvolvem complicações também podem exigir tratamentos adicionais que envolvem a ser hospitalizados. Como precaução, os que estão em um risco aumentado de complicações também podem ser hospitalizados para que possam ser monitorados de perto. Esses grupos incluem pessoas com mais de 65 anos ou menores de 2 meses.

Prevenção

Uma vacina contra a gripe anual pode ajudar a prevenir a pneumonia.

Uma das melhores formas de prevenir a pneumonia bacteriana é manter o sistema imunológico funcionando bem. Comer alimentos saudáveis, descansar o suficiente e lavagem frequente das mãos são boas maneiras de começar.

A pneumonia bacteriana pode ser decorrente de uma complicação da gripe, a vacina contra a gripe anual pode prevenir sua ocorrência.

A vacina pneumocócica que também disponível em algumas Unidades Básicas de Saúde pode reduzir as chances de uma pessoa desenvolver pneumonia bacteriana. A vacina protege contra a bactéria Streptococcus. pneumoniae, que é a causa mais comum de pneumonia bacteriana.

A vacina é frequentemente recomendada para adultos com mais de 60 anos e crianças entre 6 semanas até 5 anos.
Beba bastante líquido em casos de gripe.

Consuma alimentos ricos em vitamina C como suco de laranja, limão, caju e morango.

Espero que tenham gostado deste post e até a próxima.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *