Nossos pés são submetidos a vários tipos esforços diários que incluem, andar, correr, pular e escalar, e podem estar sujeitos a diversos tipos de problemas.

De lesões à inflamação, uma série de situações que os pés estão expostos podem levar a lesões muitas com prejuízo à mobilidade.

Os pés são formados por 26 ossos cada um e o usos de calçados inadequados, diabetes e o envelhecimento são condições que podem contribuir para o aparecimento de distúrbios nos pés.

A seguir alguns agravos mais comuns que podem ocorrer nos pés e que podem causar desconforto e até imobilidade.

Pé de atleta

Tinea pedis, popularmente conhecida como “pé-de-atleta ” é um tipo de  dermatose dos pés , de ocorrência universal , afeta os espaços interdigitais e Região plantar, caracterizada clinicamente por discreta descamação até quadros clínico s mais graves como: exsudatos , fissuras , eritema , maceração, edema, dor, prurido e odor pronunciado, que  podem ocorrer isolados ou associados , dependendo da severidade da lesão.

Os fatore s predisponentes, incluem clima quente e úmido, uso de sapatos fechados por tempo prolongado, as piscinas e chuveiros de uso coletivo , atividades ocupacionais desempenhadas por militares e as recreativas . Fatore s genético s são também incluídos, além de condições anatômicas individuais como artelhos muito próximos ou sudorese excessiva dos pés.

Usar sapatos quentes e úmidos pode fazer com que o fungo cresça e se espalhe. A condição é altamente contagiosa, e pode se espalhar para outras áreas da pele, incluindo as mãos, virilha e o couro cabeludo.

O tratamento consiste em manter os pés limpos e secos com uma toalha separada. O tratamento antifúngico pode ser prescrito pelo médico e estão disponíveis na maioria das farmácias como pulverizadores, pós ou loções para se aplicar aos pés.

Em casos mais graves o médico pode prescrever medicamentos antifúngicos orais para a condição.

Joanetes ou Hallux valgus

Joanetes são anormalidades dos pés que provocam uma protuberância na articulação do dedão do pé. É definido como o desvio do hálux de sua posição natural em direção lateral com proeminência medial na base do pé. O abdutor do hálux fica debilitado e deixa de atuar no sentido de conduzir o dedo para a sua posição natural. Com isso há espessamento da cabeça saliente do 1° metatarsiano. As mulheres são mais propensas a ter joanetes devido ao aumento das pressões do uso de calçados apertados.

Outros fatores de risco para o aparecimento de joanetes incluem, história familiar, artrite reumatoide, poliomielite

Sintomas

  • Protuberância no dedão do pé
  • dificuldade em mover o dedão
  • dor no local.

O tratamento inclui, o uso sapatos adequados sem saltos.

A aplicação de gelo por 10 minutos pode reduzir a inflamação.

Avaliação por podólogos, podem indicar sapatos customizadas ou talas que pode endireitar o dedo lesado.

E caso a lesão não melhore e a dor for  contínua, o ortopedista pode optar por uma cirurgia para corrigir a lesão.

Neuropatia diabética

È caracterizada por lesões nos pés decorrentes de complicações da diabetes.

Isso ocorre após um longo do tempo com níveis elevados de açúcar no sangue, que  podem danificar os nervos dos  pés. Outros fatores associados  podem piorar esse dano no nervo, como histórico de tabagismo, alcoolismo ou história de neuropatia diabética na família.

Os sintomas da neuropatia diabética incluem dormência, formigamento e dor nos pés. Isso pode contribuir para um maior risco de cortes ou lesões nos pés pela falta de sensação dolorosa e tátil.

O tratamento inclui controle de açúcar no sangue, fazer exames regularmente, unhas dos pés cortadas de forma correta (quadrada lixando cuidadosamente os cantos para manter as bordas um pouco asrredondadas) de preferência por profissionais especializados e buscar atendimento médico se apresentar feridas no pés.

Unhas encravadas

Unhas encravadas ocorrem quando as unhas dos pés começam a crescer na ranhura das unhas, o que pode causar dor e desconforto ao seu portador.

As causas mais comuns em sua ocorrência incluem, uso de sapatos mal ajustados, pois a pressão exercida por sapatos que são muito estreitos no topo ou muito apertados pode provocar compressão extra sobre os dedos dos pés.

Outras causas incluem, unhas dos pés que não são cortadas adequadamente, ou cortadas muito curtas ou tortas, traumas nos pés ou história familiar de unha encravada.

Os sintomas mais comuns de unha encravada são rubor, inchaço, dor e até mesmo presença de pus no local da lesão, o que pode indicar que uma infecção está presente.

Alguns cuidados podem melhorar e ate mesmo evitar a presença de unha encravada entre eles:

  • Lavar os pés com sabão antibacteriano e mantê-los limpos e secos.
  • Cortar as unhas após o banho quando as unhas estão macias.
  • Evitando cortar as unhas em um padrão arredondado, pois pode aumentar o risco de crescimento interno.
  • Usar sapatos que se encaixam bem evitando os de bico fino.

Se a unha do dedo está infectada o ideal é buscar um ortopedista pois pode ser necessário a remoção cirúrgica da unha e o uso de antibióticos.

Fascite plantar

A fascite plantar é uma das causas mais comum de dores no calcanhar de cordo com a Academia Internacional de Ortopedistas.

A condição ocorre quando a fáscia plantar na sola do pé, fica inflamada. Este ligamento é responsável por apoiar o arco do pé.

Os fatores de risco incluem obesidade, possuir arco plantar muito alto, participar de atividades repetitivas expostas ao estresse do calcanhar, como correr.

Seus sintomas incluem dor em pontada no calcanhar que piora na primeira hora da manhã ao levantar da cama e que  piora com a atividade.

No tratamento pode ser indicado  aplicar gelo no local que  pode reduzir a inflamação. O médico pode receitar  anti inflamatórios não esteroidais (AINEs), como o ibuprofeno ou o naproxeno sódico, que podem ajudar na melhora da dor.

Fazer alongamento nos pés antes e depois da atividade física, bem como ao longo do dia, pode ajudar a reduzir a dor no calcanhar. Usar sapatos de suporte também pode promover certo alívio.

Fisioterapia e uso de aparelhos de correção ortopédicos podem ser indicados, em casos mais graves.

Fonte:

https://www.medicalnewstoday.com/articles/319190.php?sr

DE SANT’ANNA, RODRIGO BAPTISTA. Tratamento da fascite plantar bilateral pela técnica da Crochetagem: um estudo de caso. 2004.

FERREIRA, Ricardo Cardenuto. Talalgias: fascite plantar. Revista Brasileira de Ortopedia, v. 49, n. 3, p. 213-217, 2014.

TONG, Melinda M .; ALTMAN, Phillip M .; BARNETSON, Ross StC. Óleo da árvore do chá no tratamento de tinea pedis. Australasian Journal of Dermatology , v. 33, n. 3, p. 145-149, 1992.

AIKAWA, Adriana Correia et al. Estudo correlacional do pé geriátrico com requisitos cinético-funcionais. Fisioterapia em Movimento, v. 22, n. 3, 2017.

CAMACHO LÓPEZ, Jaime. Prevalencia de neuropatía periférica en pacientes con diabetes mellitus tipo 2, atendidos en la Clínica Hospital del ISSSTE en Mazatlán, Sinaloa. Revista de Especialidades Médico-Quirúrgicas, v. 16, n. 2, 2011.

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/background”>Background image created by Schantalao – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *