Os pesquisadores dizem que há certas medidas de estilo de vida que podem ser tomadas para reduzir o risco de desenvolver a doença de Alzheimer e de outras demências, estas medidas incluem: ser fisicamente ativo, alimentação com uma dieta saudável e equilibrada, manter boa saúde cardiovascular e exercitar o cérebro.

A Associação de Alzheimer diz que precisamos de estudos em larga escala com base mais científicas para rever algumas das medidas propostas, mas a pesquisa até agora tem sido promissora.

A incidência de demência, incluindo a doença de Alzheimer vem crescendo devido ao aumento a expectativa de vida, pois esta doença tem como um fator de risco mais im portante a idade, ou seja é uma doença idade dependente. Um estudo realizado pela RAND Corporation e publicado no NEJM (New England Journal of Medicine) informou que o encargo económico de demência nos EUA poderá dobrar até 2040. Este aumento da taxa de demência, em especial a doença de Alzheimer, tem alimentado esforços para encontrar estratégias de prevenção.

Especialistas da Universidade da Califórnia, San Francisco, relatam que mais de 50% dos casos de Alzheimer, podem ser prevenidos através de mudanças de estilo de vida. Isso envolve a redução de fatores de risco importantes, tais como:

– Não fumar

– Manter-se fisicamente e mentalmente ativo

– Exercitar a cognição (memória, capacidade de raciocínio e resolver problemas) sempre buscando aprender coisas novas, exercitar a leitura.

– Prevenção e tratamento precoce de doenças crônicas, como a hipertensão (pressão arterial alta), colesterol alto, diabetes, obesidade e depressão.

Pesquisadores acreditam, que cuidados com alimentação e a prática de atividade física, podem prevenir ou retardar a ocorrência deste distúrbio, pois se é bom para o coração é bom para o cérebro

Vários estudos têm mostrado que o risco de desenvolver a doença de Alzheimer ou demência vascular – outro tipo de demência que pode ocorrer frequentemente em indivíduos que sofreram derrames – é maior entre as pessoas que sofrem de doenças e condições que danificam a saúde cardiovascular, isto é, a saúde dos vasos sanguíneos e do coração. Exemplos incluem a hipertensão (pressão arterial alta), fibrilação atrial, colesterol elevado, doenças cardíacas, derrame, diabetes e colesterol alto. Nós sabemos que maus hábitos podem prejudicar o coração reduzir o volume do cérebro.

Então vamos “tentar” mudar os hábitos de vida, talvez ainda não seja tarde e com certeza vai valer a pena. Envelhecer com saúde é fundamental para manutenção da qualidade de vida.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *