Veias varicosas ou varizes caracterizam-se por aumento e inchaço das veias. Apresentam-se como lesões de coloração azul, ou roxa e tem um aspecto grosseiro, abaulado e torcidos. Ocorrem comumente nas pernas e nos pés.

As varizes de membros inferiores, são manifestações da doença venosa crônica, apresentando-se como a mais comum de todas as alterações vasculares. Estima-se que 20% a 25% das mulheres adultas e 10% a 15% dos homens apresentem veias varicosas. Os principais fatores de risco envolvidos no seu aparecimento são: o gênero, história familiar, obesidade, uso de contraceptivos hormonais combinados, número de gestações e a atividade profissional.

Nem todas as veias varicosas projetam-se para a superfície; às vezes são invisíveis, escondidas no interior do corpo. Pode ocorrer que algumas pessoas apresentem dor e desconforto devido a presença de varizes antes de descobrir a causa.

  • A maioria dos portadores de varizes não apresentam sintomas além dos estéticos, no entanto estas veias varicosas quando muito perto da superfície da pele podem se romper e causar hematomas ou outro tipo de trauma físico.
  • Os sintomas mais comuns de varizes em membros inferiores incluem:
  • Sensação de dor e desconforto nas pernas;
  • Inchaço nos pés e tornozelos;
  • Sensação de queimação e latejar na região afetada;
  • Presença de cãibras, particularmente à noite
  • Prurido na região afetada;
  • Descoloração da pele
  • Sensação de peso e fadiga nas pernas.

Os sintomas tendem a piorar no tempo quente, no final do dia ou quando nos mantemos em pé por longos períodos.

As varizes são consideradas as causas mais comuns de dor nas pernas. Os portadores muitas vezes descrevem a dor como um peso ou uma dor profunda.

Existem diferentes graus de dor associados a varizes, e algumas pessoas experimentam sintomas graves.

Na presença de varizes, uma condição que pode causar dor é conhecida como flebite, que ocorre quando varizes se inflamam e formam coágulos sanguíneos. Os sinais de que uma pessoa pode ter flebite incluem:

  • dor
  • calor
  • endurecimento no local
  • descoloração

Se uma veia romper, o sangue pode ficar em volta da área afetada e a pressão e as toxinas podem se acumular. Às vezes, uma úlcera pode se desenvolver, e a pele pode romper como resultado de varicela, o que pode ser extremamente doloroso.

Varizes também podem ocorrer no sistema linfático que é um sistema de transporte que ajudam a levar e remover toxinas e resíduos do organismo. Desempenha um papel importante na função do sistema imunológico.

A presença de varizes podem danificar o sistema linfático e levar a uma condição chamada linfedema que provoca inchaço, geralmente nos pés .

Algumas pessoas que têm linfedema podem desenvolver celulite que é uma infecção grave que causa inflamação no tecido mole da pele.

A presença de varizes pode levar também a dermatite, caracterizada por erupção cutânea acompanhada de processo inflamatório. Quando causada por varizes, a erupção cutânea aparecerá frequentemente na perna ou no tornozelo.

A dermatite decorrente de varizes pode causar hemorragia, úlceras da pele ou feridas que podem ser dolorosas e infectadas se forem arranhadas ou irritadas. A dermatite venosa também é consequência do aumento na permeabilidade vascular e é caracterizada por áreas de eritema com bordas altamente demarcadas e a presença de placas escamosas, hiperpigmentação e escoriações.

Outra complicação decorrente da presença de varizes é a inflamação e formação de um coágulo na veia., próximo da superfície da pele em uma condição conhecida como tromboflebite superficial. Este agravo pode causar dor e levar a outros problemas na área afetada. A tromboflebite superficial (TS), também chamada de trombose venosa superficial, é uma condição patológica caracterizada pela presença de um trombo na luz de uma veia superficial, acompanhada pela reação inflamatória da sua parede e dos tecidos adjacentes. Apresenta-se como um cordão palpável, quente, doloroso e hiperemiado no curso de uma veia superficial

Prevenção
Há muitas questões que precisam ser respondidas, quando o assunto se trata de veias varicosas, mas acredita-se que várias mudanças de estilo de vida podem ajudar a diminuir os sintomas e, possivelmente, evitar que as varizes se agravem.

Algumas formas de prevenção incluem:

  • evitar ficar de pé ou sentado por longos períodos;
  • movimentar-se pelo menos a cada 30 minutos;
  • manter membros inferiores elevados quando sentado ou deitado;
  • praticar exercícios regulares para melhorar a circulação
  • perder peso se sobrepeso
  • evitar roupas justas, principalmente as muito apertadas em torno da cintura, da virilha e das pernas
  • evitar usar sapatos de salto alto por longos períodos
Tratamento

Uso de meias de compressão combinadas com a elevação das pernas e o exercício físico regular.  As meias de compressão comprimem o tecido das pernas em torno das veias para evitar o agrupamento do sangue. Eles são projetados para ajudar a reduzir a dor e o inchaço associados.

Ablação usa calor para selar as veias afetadas, seja por laser ou radiofrequência.

O tratamento com ablação é frequentemente administrado no consultório médico e leva cerca de 20 minutos. O médico usa um anestésico local para adormecer a área afetada, então o procedimento é indolor. Uma vez completada a ablação, o médico irá enrolar a área em uma bandagem de compressão.

A escleroterapia líquida (glicose ou outras substâncias) é usada para eliminar os vasinhos superficiais  indesejáveis.

A cirurgia de varizes é indicada na presença de veias calibrosas, com perda de função. As veias  não doentes não fazem falta para o organismo, que encontra outras vias de drenagem para o sangue.

A escleroterapia com espuma é outro método usado como alternativa para a cirurgia de varizes. A espuma é injetada dentro das veias varicosa, preenchendo totalmente seu espaço. Para essa injeção, algumas vezes é necessário usar o ultrassom para localizar a veia.  Como a espuma é potente e se expande, é possível tratar veias mais grossas.

A espuma causa uma alteração na veia que chamamos esclerose. Com isso, a veia tende a desaparecer e os sintomas relacionados melhoram muito. Em casos de úlcera varicosa, o tratamento com a espuma acelera a cicatrização e diminui a chance de que a ferida volte.

A espuma precisa ser feita por profissional médico  habilitado, pois não pode ser usada em todos os casos. Além disso, existem cuidados após sua aplicação para o procedimento ser bem sucedido.

Não é necessária internação hospitalar e nem anestesia. O paciente também não precisa se afastar do trabalho por muitos dias.

Vale lembrar que, como as varizes não são sempre visíveis, qualquer pessoa que sofre dores, inchaço ou fadiga nos membros inferiores deve procurar um médico para avaliação.

Fonte:

GASPAR, Ricardo José et al. Tratamento combinado da cirurgia de varizes com a escleroterapia de telangiectasias dos membros inferiores no mesmo ato. Jornal Vascular Brasileiro, 2006.

SOBREIRA, Marcone Lima; YOSHIDA, Winston Bonneti; LASTÓRIA, Sidnei. Tromboflebite superficial: epidemiologia, fisiopatologia, diagnóstico e tratamento. J Vasc Bras, v. 7, n. 2, p. 131-143, 2008.

CASTRO, A. A. et al. Diagnóstico e tratamento da doença venosa crônica. Jornal Vascular Brasileiro, v. 4, n. 2, p. 185-94, 2005.

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/people”>People image created by Nensuria – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *