O pouco contato social na velhice “pode ​​dobrar o risco de depressão em pessoas mais velhas”, diz o jornal Daily Telegraph.

Os jornais informam sobre uma nova pesquisa que estudou idosos durante alguns anos que viram sua família e amigos, pelo menos, três vezes por semana tinham metade da probabilidade de desenvolver depressão do que aqueles que viram entes queridos com muito menos frequência.

Falar ao telefone ou manter contato por e-mail não substituíam o encontro pessoal, e não tiveram nenhum efeito protetor sobre o risco de depressão.

O estudo, que acompanhou mais de 11.000 pessoas em mais de dois anos, foram identificadas pessoas que viram a família e amigos de vez em quando tiveram uma chance de 11,5% maior de desenvolver sintomas de depressão, em comparação com um risco de 6,5% para aqueles que se encontraram pelo menos três vezes por semana.

Curiosamente, para as pessoas entre 50 e 60 anos, o contato social com os amigos demonstrou-se particularmente importante para afastar a depressão, enquanto para aqueles com idade entre 70 ou mais velhos, o contato frequente com filhos e outros parentes era mais benéfico.

Os pesquisadores salientaram, porém, que o contato frequente com os amigos e familiares será útil se for harmonioso e tranquilo. Visitas marcadas por conflitos eram mais propensos a resultar em depressão do a ausência delas.

Embora o estudo apoie a importância do contato pessoal na prevenção da depressão em pessoas mais velhas, porém isso não prova a ausência de contato social seja um fator determinante na ocorrência de depressão na terceira idade.

Esta pesquisa foi um estudo observacional de base populacional que utilizou informações coletadas ao longo do tempo a partir de questionários regulares e entrevistas. O estudo analisou a ligação entre diferentes tipos de contato social com amigos ou a família e o risco de posteriormente desenvolver sintomas de depressão.

No entanto, não esqueça que a depressão em idosos ocorre frequentemente acompanhada de outras doenças como: demência, câncer, doenças cardíacas ou dependência física.

Se você está preocupado que você ou um amigo ou membro da família está se sentindo deprimido ou socialmente isolado, busque um profissional de saúde ou seu médico para aconselhamento.

Fonte: http://www.nhs.uk/news/2015 

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *