A hipertensão arterial é uma condição na qual a pressão do sangue nas artérias está constantemente alta. Com o envelhecimento, ocorrem alterações na anatomia e fisiologia cardiovascular, mesmo na ausência de doença. A hipertensão arterial caracteriza-se como uma condição sistémica que envolve a presença de alterações estruturais das artérias e do miocárdio, associadas a uma disfunção endotelial e dos baroreceptores.

A prevalência da hipertensão arterial aumenta com a idade. No Brasil, a prevalência de hipertensão arterial é de 25,5% na população adulta, mas aumenta para 65,8% na população idosa.

Mecanismos fisiopatológicos da hipertensão na pessoa idosa

Com o envelhecimento, ocorrem alterações na estrutura e na função das artérias, que podem contribuir para o aumento da pressão arterial. Essas alterações incluem:

  • Enrijecimento das artérias: as artérias se tornam mais espessas e rígidas com o envelhecimento, o que dificulta o fluxo sanguíneo.
  • Redução da elasticidade das artérias: as artérias perdem sua elasticidade com o envelhecimento, o que dificulta o relaxamento das artérias após o batimento cardíaco.
  • Aumento da resistência vascular periférica: a resistência vascular periférica é a resistência ao fluxo sanguíneo nas artérias. Com o envelhecimento, a resistência vascular periférica aumenta, o que contribui para o aumento da pressão arterial.

Além dessas alterações na estrutura e na função das artérias, outros fatores também podem contribuir para o aumento da pressão arterial no idoso, como:

  • Aumento da massa muscular: a massa muscular aumenta com o envelhecimento, o que pode contribuir para o aumento da pressão arterial.
  • Redução da atividade física: a atividade física é importante para controlar a pressão arterial. Com o envelhecimento, as pessoas tendem a ser menos ativas, o que pode contribuir para o aumento da pressão arterial.
  • Aumento da obesidade: a obesidade é um fator de risco para a hipertensão arterial. Com o envelhecimento, a prevalência da obesidade aumenta, o que pode contribuir para o aumento da pressão arterial.
  • Uso de medicamentos: alguns medicamentos, como os corticosteroides, podem aumentar a pressão arterial.
Complicações da hipertensão na pessoa idosa

A hipertensão arterial não tratada pode causar graves complicações no idoso, como:

  • Doença cardíaca: a hipertensão arterial é um fator de risco para infarto, insuficiência cardíaca e acidente vascular cerebral.
  • Acidente vascular cerebral: o acidente vascular cerebral é uma das principais causas de morte no idoso.
  • Doença renal crônica: a hipertensão arterial pode danificar os rins, levando à insuficiência renal.
  • Cegueira: a hipertensão arterial pode danificar os vasos sanguíneos da retina, levando à cegueira.
  • Doença arterial periférica: a hipertensão arterial pode estreitar ou bloquear as artérias nas pernas, causando dor, dormência e feridas que não cicatrizam.
Prevenção da hipertensão na pessoa idosa

A prevenção da hipertensão arterial no idoso é importante para reduzir o risco de complicações. As seguintes medidas podem ajudar a prevenir a hipertensão arterial no idoso:

  • Perda de peso: mesmo uma pequena perda de peso pode ajudar a reduzir a pressão arterial.
  • Redução do consumo de sal: o sal pode aumentar a pressão arterial. A recomendação é que a ingestão diária de sal seja de 2,2 gramas.
  • Aumento da atividade física: a atividade física regular pode ajudar a reduzir a pressão arterial. A recomendação é que adultos saudáveis façam pelo menos 150 minutos de atividade física de intensidade moderada por semana.
  • Controle do estresse: o estresse pode aumentar a pressão arterial. Técnicas de relaxamento, como meditação e yoga, podem ajudar a controlar o estresse.
  • Cessação do tabagismo: o tabagismo pode aumentar a pressão arterial.
  • Moderação no consumo de álcool: o álcool pode aumentar a pressão arterial. A recomendação é que homens consumam no máximo dois drinques por dia e mulheres, no máximo um drinque por dia.
Tratamento da hipertensão na pessoa idosa

O tratamento da hipertensão arterial no idoso é semelhante ao tratamento da hipertensão arterial em adultos jovens. O objetivo do tratamento é reduzir a pressão arterial para níveis seguros e prevenir complicações.

O tratamento não medicamentoso é o primeiro passo para o controle da hipertensão arterial no idoso. Se o tratamento não medicamentoso não for suficiente para controlar a pressão arterial, o médico pode recomendar o uso de medicamentos anti-hipertensivos.

É importante que o idoso siga as orientações do médico para controlar a hipertensão arterial e prevenir complicações.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *