A valeriana (Valeriana officinalis) é uma planta perene, com flores brancas e rosadas e aroma adocicado, nativa das zonas temperadas da Europa e da Ásia.

A raiz seca da planta contém valepotriatos, os quais podem ter efeitos calmantes.

Indicações

As pessoas tomam valeriana, principalmente, como um auxiliar sedativo e sonolento, especialmente, em partes da Europa. A valeriana é uma planta nativa da Europa, América do Norte e Ásia, cuja raiz é amplamente usada desde há várias décadas pela população.

Esta planta possui propriedades sedativas, hipnóticas e ansiolíticas. Os extratos desta planta medicinal têm afinidade para o receptor GABA-A (ácido gama-aminobutírico) envolvido na promoção e regularização do sono. A valeriana tem  uma variedade de compostos químicos incluindo ácido valerénico e derivados que atuam sinergicamente proporcionando efeito sedativo. O extrato de raiz de valeriana mais utilizado é o da Valeriana officinalis.

Pois as perturbações de ansiedade e do sono são problemas comuns na população geral e constituem motivo frequente de consultas nos cuidados de saúde primários, causando grande impacto na qualidade de vida e funcionalidade dos indivíduos, principalmente a população madura.

Em dois estudos relativamente bem desenhados, a valeriana melhorou a qualidade do sono e reduziu o tempo necessário para adormecer.

Algumas pessoas consomem valeriana para dores de cabeça, depressão, batimentos cardíacos irregulares e tremores.

Geralmente, é utilizada por curtos períodos de tempo (4 a 6 semanas).

Possíveis efeitos colaterais e interações com drogas

Dores de cabeça, excitabilidade, mal-estar e distúrbios cardíacos foram relatados.

Pessoas que estão dirigindo ou fazendo outras atividades que seja necessário a atenção não devem fazer uso desse composto.

Outros efeitos colaterais incluem dor de estômago, tonturas e cansaço.

A valeriana pode prolongar o efeito de outros sedativos (como os barbitúricos) quando são administrados juntos.

A valeriana não é recomendada para mulheres que estão grávidas ou amamentando.

Fonte:

GONÇALVES, Sara; MARTINS, Ana Paula. Valeriana officinalis. 2006.

NUNES, Ana; SOUSA, Marlene. Use of valerian in anxiety and sleep disorders: what is the best evidence?. Acta medica portuguesa, v. 24, p. 961-6, 2011.

SOLDATELLI, Mariana Varaschin; RUSCHEL, Karoline; ISOLAN, Tânia Maria Pereira. Valeriana officinalis: uma alternativa para o controle da ansiedade odontológica?. Stomatos, v. 16, n. 30, p. 89-97, 2010.

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/background”>Background image created by Suksao – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *