Medicamento fitoterápico é o nome dado a medicamentos que utilizam uma droga vegetal como princípio ativo, sendo ela na forma de soluções, cremes, pomadas e extratos oleicos e secos para tratamento ou prevenção de doenças e/ou sintomas. Como o alho, o gengibre há muito tempo é utilizado na cozinha e na medicina.

O caule desta erva contém substâncias chamadas gingeróis, as quais são responsáveis pelo sabor e pelo odor do gengibre.

Suas indicações terapêuticas são de carminativo, orexígeno, digestivo, antiemético, anti-séptico, anti-inflamatório, antitussígeno, expectorante, hipertensor, e alguns compostos presentes no seu extrato são 6-gingerol, 6-paradol, zingibereno, curcumeno e bisaboleno.

Uma ação muito importante do gengibre é a antioxidante. A oxidação faz com que o nosso organismo envelheça, e o gengibre tem o poder de reduzir esta ação oxidante no organismo, podendo retardar o envelhecimento.

Utilizações

Durante séculos o Gengibre tem sido usado em toda a Ásia para tratar dores nas articulações, resfriados e até mesmo indigestão. O Gengibre cru ou cozido pode ser um analgésico eficaz, mesmo para condições inflamatórias como a osteoartrite. Isso porque a inflamação é a causa raiz de todos os tipos de problemas como artrite, dor nas costas, dores musculares. Ele contém 12 compostos diferentes que combatem a inflamação.

Um desses compostos abaixa os receptores da dor e atua nas terminações nervosas. Juntos, eles trabalham quase o mesmo que as drogas anti-inflamatórias, tais como a aspirina, mas sem os efeitos colaterais.  Além disso, o gengibre queima gorduras, portanto, é bom para quem esta acima do peso. O gengibre é um fortíssimo aliado na luta contra a balança.

Ele tem ação termogênica que ajuda a transformar as calorias em energia para o seu corpo. O gengibre também pode ser utilizado para combater algumas doenças como problemas gastrointestinais, náuseas, vômitos, dores de estômago, diarreia, flatulência e ainda úlceras gástricas.

Acredita-se que o gengibre possui outro tipo de ação terapêutica  age como antimicrobiano, antipirético, diurético, antioxidante, hepatoprotetor e ainda é responsável pela diminuição e controle da glicemia e do colesterol.

De acordo com pesquisas  as preparações à base da planta do gengibre (Zingiber oficinale) têm sido utilizadas como uma das principais terapêuticas (ou medidas) alternativas aos fármacos convencionais na náusea e vômito da gravidez. O gengibre também é utilizado como anti-emético noutras situações clínicas tais como o pós-operatório, quimioterapia e enjoo de movimento

Possíveis efeitos colaterais e interações com drogas

O gengibre, geralmente, não é prejudicial, embora algumas pessoas experimentem uma sensação de irritação gástrica quando o consomem.

Também, pode causar desconforto digestivo e causar um sabor desagradável na boca.

O gengibre pode aumentar o risco de sangramento. Portanto, as pessoas que utilizam gengibre juntamente com drogas que previnem coágulos sanguíneos (anticoagulantes) podem precisar serem monitoradas.

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/food”>Food image created by Evening_tao – Freepik.com</a>

Fonte:

ZANKOSKI JUNIOR, C. et al. GENGIBRE (Zingiber officinale) E SEUS COMPOSTOS: SUA AÇÃO NA FISIOLOGIA COMO MEDICAMENTO FITOTERÁPICO E OUTRAS POSSÍVEIS APLICAÇÕES. Pró-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão, p. 27, 2016.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *