Olá pessoal, tudo bem? O post de hoje irá focar em um assunto muito importante que é a arte de cuidar de idosos de forma adequada.

Quem tem idosos na família, sabe que, independente de sua condição física e mental, eles, em algum momento, precisarão de alguém para auxilia-los na realização de suas atividades.

Nem sempre é possível, para a família, realizar essa tarefa, pois muitos trabalham ou não tem condições de permanecer o dia todo com o idoso. Por isso, quando é necessário que haja uma companhia constante pela segurança e auxílio nas tarefas domésticas deve-se contratar uma pessoa para ajudar e acompanhar o idoso se torna a melhor opção.

De forma geral, um cuidador de idosos tem como função auxiliar a vida de uma pessoa na 3a. idade. Dentre essas funções, pode-se destacar:

– Fazer companhia;

– Ser responsável por dar medicação de acordo com a prescrição médica;

– Auxiliar o idoso na realização das tarefas domésticas;

– Auxiliar o idoso na realização de sua higiene pessoal;

– Preparar e servir as refeições;

– Comunicar a família e avisar se algo ocorrer;

– Buscar distrair o idoso e melhorar sua qualidade de vida.

Para ser registrado como cuidador de idosos, de acordo com a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, o profissional deve ser maior de 18 anos, ter ensino fundamental completo e curso de qualificação na área, atestados de bons antecedentes e de aptidão física e mental.

Em caso de formação universitária, a mesma deve ser em instituição reconhecida pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC), na área.

Cursos na área de Enfermagem, Nutrição e conhecimento em primeiros socorros são de extrema importância para o profissional no exercício de suas funções.

Além disso, durante a contratação, as famílias contratantes se sentem mais seguras com profissionais qualificados e habilitados na área da saúde.

Outras qualidades que a família deve se atentar ao contratar um cuidador de idosos são:

– PACIÊNCIA: De nada adianta ser qualificado profissionalmente se o cuidador de idosos não tiver paciência para lidar com o idoso. É extremamente importante que o profissional tenha paciência para acompanhar o ritmo do idoso, que é bem diferente do de um adulto jovem.

– RESPONSABILIDADE: As ações do cuidador de idosos reflete, de forma direta, na vida de quem está sendo cuidado. É importante saber entender as limitações do idoso, lidar com essas limitações e, aplicando seus conhecimentos, tornar a vida do idoso mais prática e melhor.

– ORGANIZAÇÃO: O idoso tem necessidades específicas quanto à medicação, higiene, atividade física e cuidados em geral, por isso, é importante que o cuidador organize essas tarefas para garantir uma rotina adequada para o idoso e garantir sua qualidade de vida.

– EMPATIA, SENSIBILIDADE, DELICADEZA E SIMPATIA: Colocar-se no lugar do idoso e saber entender as mudanças em sua vida, assim como suas limitações, ter sensibilidade para lidar com um indivíduo que depende, em maior ou menor grau de terceiros, além de ter delicadeza e simpatia para o convívio com esse idoso é fundamental para o exercício da profissão.


O que a família deve observar antes da contratação?

Antes da família contratar um cuidador de idosos é importante observar alguns pontos:

– Formação profissional do candidato;

– Experiência prática na área;

– Recomendação de clínicas, casas de repousos, outras famílias;

– Personalidade do candidato. Faça uma entrevista com o candidato para verificar se o que ele relata no currículo, como conhecimento teórico e prático, são condizentes.

– Verifique se o candidato é paciente, se conseguirá se relacionar de forma harmoniosa com o idoso.

– Verifique se é responsável e interessado em atender as necessidades do idoso como, por exemplo, na ministração da medicação.

Segundo o site da Revista Exame (http://www.exame.abril.com.br), 10 perguntas, junto com a análise das habilidades técnicas (apresentadas no currículo), podem auxiliar o contratante a conhecer o futuro candidato melhor. São elas:

  1. Resuma a história de sua vida dos 12 anos até o momento.
  2.  Qual foi seu emprego mais chato? Explique.
  3. E o mais interessante? Por quê?
  4. Quais foram seus 3 piores erros profissionais?
  5. Quais foram seus 3 maiores sucessos profissionais?
  6.  Quais são seus 3 pontos mais fortes?
  7. Quais são seus 3 pontos mais fracos?
  8. O que você mais gosta de fazer em seu tempo livre?
  9. Quais são seus planos profissionais para os próximos 10 anos?
  10. O que a empresa ganharia contratando você?

Referências:

Zuini, Priscila. 10 perguntas essenciais ao entrevistar um futuro funcionário. Acesso: 15 nov 2016. Disponível em: http://www.exame.abril.com.br

Brasil. Câmara dos Deputados. Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Câmara regulamenta profissão de cuidador. Acesso: 15 nov 2016. Disponível em: http://www.camara.leg.br

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *