O câncer de pâncreas ocorre dentro dos tecidos do pâncreas, que é um órgão endócrino vital localizado atrás do estômago. O pâncreas desempenha um papel essencial na digestão, produzindo enzimas de que o corpo necessita para digerir gorduras, carboidratos e proteínas.

O pâncreas também produz dois hormônios importantes: glucagon e insulina. Esses hormônios são responsáveis pelo controle do metabolismo da glicose (açúcar).

A insulina ajuda as células a metabolizar a glicose para produzir energia e o glucagon, ajuda a aumentar os níveis de glicose quando eles estão muito baixos.

Devido à localização do pâncreas, o câncer de pâncreas pode ser difícil de detectar e geralmente é diagnosticado em estágios mais avançados da doença.

De acordo com a Sociedade Americana de Câncer, o câncer pancreático representa cerca de 3% dos diagnósticos de câncer nos Estados Unidos e 7% das mortes por câncer.

Sintomas de câncer de pâncreas

O câncer de pâncreas geralmente não apresenta sintomas até atingir os estágios avançados da doença. Por esse motivo, normalmente não há sinais precoces de câncer de pâncreas.

Mesmo depois que o câncer cresce, alguns dos sintomas mais comuns podem ser sutis e incluem:

  • Perda de apetite
  • Perda de peso não intencional
  • Icterícia (pele e olhos amarelos)
  • depressão
  • abdominal (estômago) ou dor lombar
  • coágulos de sangue

O câncer de pâncreas que se espalha pode piorar os sintomas preexistentes. Se o câncer se espalhar (metástase), o portador irá apresentar sinais e sintomas de câncer de pâncreas avançado.

Causas de câncer de pâncreas

A causa do câncer pancreático é desconhecida. Este tipo de câncer ocorre, quando células anormais começam a crescer dentro do pâncreas e formam tumores.

Normalmente, as células saudáveis crescem e morrem em números moderados. No caso do câncer, há um aumento na produção de células anormais e essas células eventualmente assumem o controle das células saudáveis.

Embora os pesquisadores não saibam o que causa as alterações nas células, eles conhecem alguns fatores comuns que podem aumentar o risco de uma pessoa desenvolver esse tipo de câncer.

Os dois fatores de risco mais significativos são mutações genéticas herdadas e mutações genéticas adquiridas. Os genes controlam a forma como as células agem, portanto, alterações nesses genes podem levar ao câncer.

Taxa de sobrevivência de câncer de pâncreas

A taxa de sobrevivência é uma porcentagem de quantas pessoas com o mesmo tipo e estágio de câncer ainda estão vivas após um determinado período. Este número não indica quanto tempo as pessoas podem viver. Em vez disso, ajuda a avaliar o sucesso do tratamento do câncer.

Algumas taxas de sobrevivência são fornecidas como uma porcentagem de cinco anos. É importante ter em mente que as taxas de sobrevivência não são definitivas. Se você tiver dúvidas sobre esses números, converse com seu médico.

A taxa de sobrevivência de cinco anos para câncer de pâncreas localizado é de 34% no estágio 2. O câncer pancreático se apresenta nos estágios 0, 1 e 2.

A taxa de sobrevivência de cinco anos para câncer pancreático regional que se espalhou para estruturas próximas ou nódulos linfáticos é de 12%. As fases 2B e 3 se enquadram nesta categoria.

O câncer de pâncreas à distância, ou câncer em estágio 4, que se espalhou para outros locais como pulmões, fígado ou ossos, tem uma taxa de sobrevivência de 3%.

Estágios do câncer de pâncreas

Quando o câncer de pâncreas é descoberto, os médicos provavelmente farão testes adicionais para entender se, ou onde o câncer se espalhou. Os exames de imagem, como o PTE Scan, ajudam a identificar a presença de tumores cancerígenos. Também podem ser usados exames de sangue.

Com esses testes, os médicos irão estabelecer o estágio do câncer. O estadiamento ajuda a explicar o quão avançado está o câncer. Também ajuda os médicos a determinar as opções de tratamento.

Assim que o diagnóstico for feito, seu médico designará uma etapa com base nos resultados do teste:

  • estágio 1: os tumores existem apenas no pâncreas
  • estágio 2: os tumores se espalharam para tecidos abdominais próximos ou nódulos linfáticos
  • estágio 3: o câncer se espalhou para os principais vasos sanguíneos e nódulos linfáticos
  • estágio 4: os tumores se espalharam para outros órgãos, como o fígado

Câncer pancreático estágio 4

O câncer de pâncreas no estágio 4 se espalhou além do local original para locais distantes, como outros órgãos, o cérebro ou ossos.

O câncer de pâncreas geralmente é diagnosticado neste estágio tardio porque raramente causa sintomas até que se espalhe para outros locais. Os sintomas que você pode experimentar neste estágio avançado incluem:

  • dor na parte superior do abdômen
  • Dor nas costas
  • Fadiga, icterícia, pele amarelada, perda de peso e depressão.

O câncer de pâncreas no estágio 4 não pode ser curado, mas o tratamento pode aliviar os sintomas e prevenir complicações do câncer. Esses tratamentos podem incluir:

  • cirurgia de revascularização do ducto biliar
  • quimioterapia
  • tratamento da dor
  • Stent de ducto biliar
  • Cirurgia gastrobariátrica

A taxa de sobrevivência de cinco anos para o câncer de pâncreas em estágio 4 é de 3%.

Câncer de pâncreas estágio 3

O câncer de pâncreas em estágio 3 é um tumor no pâncreas e possivelmente em locais próximos, como nódulos linfáticos ou vasos sanguíneos. O câncer de pâncreas nesta fase ainda não se espalhou para locais distantes.

O câncer de pâncreas é chamado de câncer silencioso porque muitas vezes não é diagnosticado até atingir um estágio avançado. Os sintomas incluem:

  • Dor nas costas
  • dor ou sensibilidade na parte superior do abdômen
  • perda de apetite
  • perda de peso
  • fadiga
  • depressão

O câncer de pâncreas no estágio 3 é difícil de curar, mas os tratamentos podem ajudar a prevenir a disseminação do câncer e aliviar os sintomas causados ​​pelo tumor. Esses tratamentos podem incluir:

  • cirurgia para remover uma parte do pâncreas (procedimento de Whipple)
  • drogas anticâncer
  • radioterapia

A taxa de sobrevivência de cinco anos para o câncer de pâncreas em estágio 3 é de 3 `12%.

A maioria das pessoas com esse estágio do câncer terá recorrência. Isso provavelmente se deve ao fato de que micro metástases, ou pequenas áreas de crescimento indetectável de câncer, se espalharam além do pâncreas no momento da detecção.

Câncer de pâncreas estágio 2

O câncer de pâncreas em estágio 2 é o câncer que permanece no pâncreas e pode ter se espalhado para alguns linfonodos próximos. Não se espalhou para os tecidos ou vasos sanguíneos próximos e não se espalhou para outras partes do corpo.

O câncer de pâncreas é difícil de detectar nos estágios iniciais, incluindo o estágio 2. Isso porque é improvável que cause sintomas detectáveis. Se você tiver sintomas neste estágio inicial, poderá experimentar:

  • icterícia
  • mudanças na cor da urina
  • dor ou sensibilidade na parte superior do abdômen
  • perda de apetite
  • fadiga

O tratamento pode incluir:

  • cirurgia
  • radiação
  • quimioterapia
  • terapias medicamentosas direcionadas

A taxa de sobrevivência de cinco anos para pessoas com câncer de pâncreas em estágio 2 é de cerca de 30%.

TRATAMENTO

O tratamento do câncer de pâncreas depende do estágio do câncer. Tem dois objetivos: matar células cancerosas e prevenir a propagação da doença.

Perda de peso, obstrução intestinal, dor abdominal e insuficiência hepática estão entre as complicações mais comuns durante o tratamento do câncer de pâncreas.

Cirurgia

A decisão de usar a cirurgia para tratar o câncer de pâncreas se resume a duas coisas: a localização do câncer e o estágio do câncer. A cirurgia pode remover todas ou algumas partes do pâncreas.

Isso pode eliminar o tumor original, mas não removerá o câncer que se espalhou para outras partes do corpo. A cirurgia pode não ser adequada para pessoas com câncer de pâncreas em estágio avançado por esse motivo.

Terapia de radiação

Outras opções de tratamento devem ser exploradas assim que o câncer se espalhar para fora do pâncreas. A radioterapia usa raios X e outros feixes de alta energia para matar as células cancerosas.

Quimioterapia

Esse tratamento usa drogas que matam o câncer para ajudar a prevenir o crescimento futuro de células cancerosas.

Terapia direcionada

Este tipo de tratamento do câncer usa drogas ou outras medidas para visar especificamente as células cancerosas e trabalhar para destruí-las. Essas drogas são projetadas para não prejudicar células saudáveis ou normais.

Prognóstico do câncer de pâncreas

As taxas de sobrevivência para câncer de pâncreas têm melhorado nas últimas décadas. Pesquisas e novos tratamentos, já estão expandindo a taxa média de sobrevivência de cinco anos para pessoas diagnosticadas com câncer de pâncreas.

No entanto, a doença ainda é considerada de difícil cura. Como o câncer de pâncreas geralmente não causa sintomas até que o câncer esteja em estágios avançados, a probabilidade de o câncer se espalhar, ou metastatizar, é alta. Isso torna difícil tratar ou eliminar o câncer.

Combinar medidas alternativas com tratamentos médicos tradicionais pode ajudar a melhorar sua qualidade de vida. Ioga, meditação e exercícios leves podem promover uma sensação de bem-estar e fazer você se sentir melhor durante o tratamento.

O câncer de pâncreas é curável, se for detectado precocemente. Dois tipos de cirurgia, procedimento de Whipple ou pancreatectomia, podem remover uma parte ou todo o pâncreas. Isso eliminará o tumor inicial do câncer.

Infelizmente, a maioria dos cânceres pancreáticos não é encontrada e diagnosticada até que o câncer esteja em um estágio avançado e se espalhe para além do local original.

A cirurgia pode não ser adequada nos estágios finais do câncer de pâncreas. Se o câncer se espalhou para outras áreas do corpo, a remoção do tumor ou do pâncreas não o curará. Outros tratamentos devem ser considerados.

Fatores de risco de câncer de pâncreas

Embora a causa desse tipo de câncer seja desconhecida, existem certos fatores de risco que podem aumentar suas chances de desenvolver câncer de pâncreas. Você pode correr um risco maior se:

  • tabagismo – 30% dos casos de câncer estão relacionados ao tabagismo
  • obesidade
  • sedentarismo
  • ingerir alimentos com alto teor de gordura
  • ingestão de grandes quantidades de álcool
  • diabetes
  • trabalhar com pesticidas e produtos químicos
  • inflamação crônica do pâncreas
  • dano hepático
  • ter um histórico familiar de câncer de pâncreas ou certas doenças genéticas que foram associadas a este tipo de câncer.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *