Viver um já foi considerado uma raridade, mas isso está mudando. E, embora a genética tenha muito a ver com isso, desvendar os segredos de saúde dos centenários poderia ajudá-los a viver melhor.

Dois pesquisadores buscaram identificar as cidades onde encontravam-se o maior número de centenários e chamaram estas regiões de Zona Azul entre as cidades se destacam Okinawa, no Japão; Sardenha, Itália; Nicoya, Costa Rica; Icaria, Grécia; e Loma Linda, California,  como as cidades mais longevas do mundo.

Os pesquisadores descobriram que essas cidades compartilhavam nove características em comum, apesar de suas diferenças óbvias.

Essas comunidades têm maneiras simples de lidar com o estresse reduzindo a inflamação crônica que está ligada à maioria das doenças relacionadas à idade.

Os moradores desta cidade também tem o hábito de consumir vinho tinto, que traz inúmeros  benefícios para o coração, além disso costumam ingerir uma dieta com menos quantidade e mais qualidade- a dieta mediterrânea se mostrou mais popular.

O estudo demonstrou que as pessoas que têm fortes conexões com familiares e amigos provavelmente serão felizes e saudáveis por mais tempo do que as que vivem isoladas.

Dar tempo para os entes queridos prova ser apenas um dos muitos segredos subjacentes para aumentar a sua longevidade, por isso, da próxima vez que decidir desfazer uma amizade, pense bem.

Na cidade de Loma Linda por exemplo, a longevidade tem ligação com a religião da comunidade. Os adeptos da Igreja Adventista do Sétimo Dia compõem cerca de metade dos 24 mil habitantes do local. É uma comunidade cristã evangélica que segue diretrizes rigorosas sobre alimentação, exercício e descanso.

Já em Okinawa no japão um  arquipélago subtropical no Japão,  considerado o lugar onde se vive mais e onde há um número expressivo de idosos acima dos 100 anos muitos pesquisadores já buscaram  nesta ilha a busca da fórmula da longevidade. Os hábitos de vida dos moradores são os grandes responsáveis por estes fato, entre eles as dietas que são pobres em salrica em frutas e vegetais, e contêm muita fibra e antioxidantes que os  protegem contra as principais doenças do Ocidente, incluindo, ataques cardíacos, câncer e doenças neurodegenerativas como Parkinson, Alzheimer entre outras.

Outro característica dos Okinawanos é não comer  demais. Eles têm uma prática chamada hara hachi bu, o que significa “comer até estar 80% satisfeito“. Isso significa que sua ingestão calórica diária é bem menor do que a nossa – cerca de 1800 calorias, além de uma dieta rica em vitamina E, que ajuda a manter o a vitalidade do cérebro.

Já na Sardenha campeã mundial de longevidade, tem um percentual de habitantes que passaram dos 100 anos três vezes maior do que no restante do globo. Genética e hábitos saudáveis já foram apontados como principais componentes desse que é um dos mais bem guardados segredos italianos. Recentemente uma equipe de pesquisadores encontrou mais uma explicação: por trás de tantos anos de vida – a alegria de viver e sempre um sorriso no rosto.-  descobriram que a felicidade é uma característica comum entre os longevos habitantes da Sardenha.

Quem não quer viver muito não é? Mas a qualidade de vida deve vir acompanhada desse processo de envelhecimento, viver mais e melhor é um sonho de muitos almejado, então quem sabe algumas mudanças em seus hábitos de vida, não te propiciem mais e melhores anos de vida. Fica a dica.

Fonte:

https://www.independent.co.uk/life-style/health-and-families/how-do-you-reach-100-centenarian

Saiba mais:

https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2014/12/141208_longevidade_california_lab

https://www.uai.com.br/app/noticia/saude/2014/07/09/noticias-saude,192099/na-regiao-campea-mundial-de-longevidade-o-bom-humor-reina.shtml

Créditos de imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/flower”>Flower photo created by jcomp – www.freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *