• Os óleos de peixe contêm ácidos graxos Ômega-3 e vitaminas A e D.
  • Os ácidos graxos Ômega-3 encontrados em óleos de peixe podem proteger o coração e oferecer outros benefícios para a saúde, mas os resultados das pesquisas ainda são controversos.
  • Comer peixe é a melhor maneira de obter óleo de peixe ou Ômega 3 ao invés de tomar suplementos.

Os ácidos graxos ou Ômega -3 são gorduras comumente encontradas nas plantas e na vida marinha.

Dois tipos de Ômega 3 são mais abundantes em peixes oleosos e são eles:

Ácido eicosapentaenóico (EPA) : é o Ômega -3 mais conhecido, a EPA ajuda o corpo a sintetizar substâncias químicas envolvidas na coagulação do  sangue e seu poder anti-inflamatório pois atua na produção de substâncias anti-inflamatórias como as prostaglandina-3, tromboxano-2 e leucotrieno-5. O peixe obtém a EPA das algas que ingerem.

Ácido docosahexaenóico (DHA): nos seres humanos, este ácido graxo Ômega -3 é fundamental para saúde da retina e do córtex cerebral. É considerado um excelente alimento para saúde do nosso cérebro. De acordo com pesquisas o DHA pode reduzir a ação maléfica que os radicais livres causam a nossa saúde. Principalmente no nosso cérebro pois aumenta a produção de substâncias anti-inflamatórias e neuroprotetoras, tendo efeito protetor contra doenças neurodegenerativas como Alzheimer e Parkinson. O DHA também tem papel importante no desenvolvimento fetal, além de fazer parte da retina dos olhos.

Alguns estudos concluíram que o óleo de peixe e os ácidos graxos Ômega 3 são benéficos para a saúde, no entanto em outros estudos não houve demonstração de benefícios .O uso de Ômega 3 foi associado ao tratamento de uma série de condições, de acordo com algumas pesquisas.

Esclerose múltipla

Espera-se que os óleos de peixe possa ter efeito benéfico, em pessoas com esclerose múltipla devido aos seus efeitos protetores no cérebro e no sistema nervoso. No entanto, ainda há bastante divergência por parte dos cientistas se realmente é benéfico ou não.

Câncer de próstata

Um estudo afirma que os óleos de peixe, ao lado de uma dieta com baixo teor de gordura, podem reduzir o risco de desenvolver câncer de próstata. No entanto, outro estudo relacionou níveis maiores de Ômega -3 com um maior risco de câncer de próstata agressivo. Ou seja estudos inconclusivos também.

A pesquisa publicada no Journal of the National Cancer Institute sugeriu que uma alta ingestão de óleo de peixe aumenta o risco de câncer de próstata de alto grau em 71% e todos os cânceres de próstata em 43%.

Depressão pós-parto

Consumir óleos de peixe durante a gravidez pode reduzir o risco de depressão pós-parto . Os pesquisadores recomendam que comer peixe com um alto nível de Ômega 3 duas ou três vezes por semana pode ser benéfico. As fontes de alimento são recomendadas, em vez de suplementos, pois também fornecem proteínas e minerais.

Benefícios de saúde mental

Um estudo piloto de 8 semanas realizado em 2007 sugeriu que os óleos de peixe podem ajudar jovens com problemas comportamentais, especialmente aqueles com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDDA)

A pesquisa demonstrou  que crianças que consumiram entre 8 e 16 gramas (g) da EPA e DHA por dia, apresentaram melhorias significativas em seu comportamento, conforme avaliação de  seus pais e do psiquiatra que acompanhava essas crianças.

Benefícios na memória

A ingestão de ácidos graxos ômega-3 pode ajudar a melhorar a memória de trabalho em adultos jovens saudáveis, de acordo com pesquisas apresentadas   no periódico PLoS One .

No entanto, outro estudo indicou que níveis elevados de ômega-3 não impedem declínio cognitivo em mulheres mais velhas.

Benefícios cardiovasculares

Os ácidos graxos ômega-3 encontrados em óleos de peixe podem proteger o coração em situação de estresse.

As conclusões publicadas no American Journal of Physiology sugeriram que as pessoas que tomaram suplementos de óleo de peixe por mais de 1 mês apresentaram melhora da função cardiovascular em  testes mentalmente estressantes.

Em 2012, os pesquisadores observaram que o óleo de peixe, por meio de suas propriedades anti-inflamatórias, parece estabilizar lesões ateroscleróticas.

Pesquisadores recomendam comer peixe, e especialmente peixes oleosos, pelo menos duas vezes por semana, para reduzir o risco de doenças cardiovasculares.

Doença de Alzheimer

Por muitos anos, a doença de Alzheimer . No entanto, um estudo importante em 2010 descobriu que os óleos de peixe não eram melhores do que o placebo  na prevenção da doença de Alzheimer.

No entanto um estudo anterior  publicado na revista  Neurology em 2007 informou que uma dieta rica em peixes, óleos o Ômega -3, frutas e vegetais reduziria o risco de Alzheimer.

Perda de visão

O consumo adequado de DHA na dieta protege contra  perda de visão relacionada com a idade, de acordo com pesquisadores canadenses na revista Investigative Ophthalmology & Visual Science .

Epilepsia

Um estudo de 2014 publicado no Journal of Neurology, Neurosurgery & Psychiatry afirma que pessoas com epilepsia poderiam ter menos convulsões se consumissem baixas doses de óleo de peixe Ômega -3 todos os dias.

Esquizofrenia e distúrbios psicóticos

Os ácidos graxos ômega-3 encontrados no óleo de peixe podem ajudar a reduzir o risco de psicose.

Os resultados publicados na Nature Communications detalham como uma intervenção de 12 semanas com suplementos de ômega-3 reduziu o risco a longo prazo de desenvolver transtornos psicóticos.

Desenvolvimento fetal de saúde

O consumo de Ômega-3 pode ajudar no  desenvolvimento cognitivo e motor fetal. Em 2008, cientistas descobriram que o consumo de ômega-3 durante os últimos 3 meses de gravidez pode melhorar o desenvolvimento sensorial, cognitivo e motor no feto.No entanto o uso deve ser monitorado, devido ao alto teor de mercúrio que pode ser encontrado em alguns peixes marítimos.

Alimentos ricos em Ômega 3

Os filetes de peixe oleoso contêm até 30% de óleo Ômega 3, mas esse valor varia. O peixe branco, como o bacalhau, contém altas concentrações de óleo no fígado, mas menos óleo em geral. Os peixes oleosos que são mais  ricos em ácidos graxos Ômega -3 incluem anchovas, arenque, sardinha, salmão, truta e cavala.

Outras fontes animais de ácidos graxos ômega-3 são ovos, especialmente aqueles com “alto em ô Ômega -3” escrito na casca.

Outros alimentos com fonte de Ômega-3 incluem:

  • sementes de cânhamo
  • óleo de perilla
  • espirulina
  • Nozes
  • sementes de chia
  • sementes de rabanete, germinadas cruas
  • manjericão fresco
  • Vegetais escuros de folhas verdes, como espinafre
  • estragão seco

Uma pessoa que consome uma dieta saudável e equilibrada não precisa usar suplementos.

Riscos

O consumo de óleos de peixe, óleos de fígado de peixe e suplementos de Ômega 3 podem representar um risco para algumas pessoas.

  • Os suplementos de Ômega 3 podem afetar a coagulação do sangue e interferir com drogas que visam manter o equilíbrio na coagulação sanguínea.
  • Às vezes, podem desencadear efeitos colaterais, como problemas gastrointestinais menores, como eructação, diarreia e náuseas.
  • Os óleos de fígado de peixe contêm níveis elevados de vitaminas A e D. O consumo elevado pode ser tóxico.
  • Indivíduos com alergia a mariscos ou peixes podem estar em risco se eles consumirem suplementos de óleo de peixe.
  • Consumir altos níveis de peixes oleosos também aumenta a chance de envenenamento de poluentes no oceano.

Ainda não está claro se consumir mais óleo de peixe e Ômega 3 tras benefícios para a saúde, mas uma dieta que ofereça uma variedade de nutrientes provavelmente será saudável.

Qualquer pessoa que esteja considerando suplementos deve primeiro verificar com um profissional de saúde sobre o uso.

Fonte:

https://www.medicalnewstoday.com/articles/40253.php

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/background”>Background image created by Valeria_aksakova – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *