Bem, falando de Nutrição, devemos lembrar que, segundo a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano e Social (SEDHS), a Segurança Alimentar e Nutricional, consiste na realização do direito de todos ao acesso a alimentos de qualidade, em quantidades suficiente sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, tendo como base práticas alimentares promotoras da saúde, que respeitem a diversidade cultural e que sejam ambiental, cultural, econômica e socialmente sustentáveis.

Quando pensamos em alimentação, independente da fase da vida em que nos encontramos, devemos lembrar que ela deve ser equilibrada e em quantidade suficiente para atender nossas necessidades.

Como já falamos anteriormente, uma dieta equilibrada auxilia em um envelhecer mais saudável.

A Pirâmide dos Alimentos

Mas, afinal de contas, em que se baseia uma alimentação equilibrada? Em estudos relacionando a alimentação com o risco de desenvolvimento ou não de doenças.

Com base nesses estudos, são desenvolvidos esquemas gráficos, para facilitar a visualização e o entendimento, que distribuem os diferentes tipos de alimentos e as proporções que devem ser ingeridas nas refeições, podendo ser utilizado como um roteiro ou guia para uma alimentação saudável e equilibrada.

Esses roteiros recebem o nome de guias alimentares, sendo que o mais famoso e conhecido é a pirâmide alimentar.

A pirâmide é baseada na ingestão de diferentes grupos de alimentos que contribuem com diferentes tipos de nutrientes (carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas, minerais, fibras, etc.) favorecendo o funcionamento do organismo.

A base da pirâmide é formada por ações que estimulem a prática de exercícios físicos.

Um primeiro nível ou andar da pirâmide estão os alimentos integrais que são ricos em fibras e óleos vegetais que contenham HDL-colesterol (CALMA!!!! Esse colesterol é dito bom, pois ajuda a eliminar o colesterol ruim (LDL-colesterol) do organismo).

Subindo para o segundo andar encontraremos o grupos dos vegetais e frutas que, também, fornecem fibras além de vitaminas. Nesse degrau há os alimentos antioxidantes, ou seja, aqueles que contribuem para a eliminação dos radicais livres (Lembra deles???).

No terceiro andar estão as oleaginosas e leguminosas que são importantes fontes de vitaminas, minerais e proteínas. Nesse nível, também, estão os alimentos fonte de proteína animal, como: peixes, aves e ovos (alimento rico em colesterol). Já no quarto andar, perto do topo, estão presentes os alimentos fontes de cálcio que pode vir do leite e derivados.

E, por fim, no topo da pirâmide encontraremos os grãos refinados ricos em carboidratos (como os pães e o macarrão), as carnes vermelhas que contem gordura saturada e outras fontes de gordura como a manteiga. No topo, encontram-se, ainda os alimentos contendo açúcares, os doces e os refrigerantes. Ou seja, nesse último degrau, encontram-se todos os alimentos cujo consumo deve ser esporádico.

Fonte: United States Department f Agriculture (USDA) adaptada

Portanto, como você já deve ter imaginado, uma boa alimentação deve ser baseada em alguns princípios:

Qualidade: a alimentação deve ser variada e deve conter todos os nutrientes (carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais) necessários para satisfazer as necessidade do nosso corpo.

Quantidade: a alimentação deve conter todos os nutrientes (isso é o princípio da qualidade), entretanto, esses nutrientes devem estar em quantidades suficientes para atender as necessidades do nosso organismo, de acordo com a fase de nossa vida. Exemplo, você não pode consumir gordura em grandes quantidades, pois ela está relacionada com o surgimento de doenças cardiovasculares, mas a gordura é importante para o transporte de algumas vitaminas conhecidas como lipossolúveis (Vitamina A, D E e K).

Adequação: a alimentação deve ser adequada para as diferentes fases de nossa vida, ao nosso estado fisiológico (se sou uma criança e estou em fase de crescimento ou se sou um idoso), às atividades desempenhadas (se faço academia, se não faço nenhum tipo de atividade física, se faço leves caminhadas) e, também, se tenho alguma doença, onde há necessidade de controle dos alimentos consumidos.

Harmonia: a alimentação deve apresentar um equilíbrio em relação à quantidade e qualidade dos nutrientes consumidos.

Fonte: United States Department of Agriculture (USDA) adaptada

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *