Indivíduos que se queixam de má circulação podem notar que os pés estão frios ou dormentes, também podem notar descoloração, ou cor vermelha, azul, roxa ou branca.
Esses sintomas podem piorar em certas situações, como quando ficamos parados por muito tempo ou saímos de casa em tempo frio. No entanto, para algumas pessoas, esses sintomas podem ser constantes ou aumentar devido a uma doença subjacente.
Sintomas adicionais que uma pessoa com má circulação pode apresentar são:
• pele seca ou rachada
• perda de pelo nas pernas ou pés
• unhas fracas
• cicatrização lenta de feridas
Causas
Doença de Raynaud
A doença de Raynaud é causada pelo o estreitamento dos vasos sanguíneos, quando alguém está com frio ou, às vezes, quando está estressado. Isso limita a quantidade de sangue que flui para os dedos das mãos e dos pés. Raramente pode afetar o nariz, as orelhas, os mamilos e os lábios.
Os sintomas incluem:
• dedos das mãos ou dos pés que ficam com a cor branca ou azulada.
• extremidades frias
• dor
• dormência
• formigamento
• sensação de queimação
Esses sintomas podem durar apenas 1 minuto ou várias horas.
A maioria das pessoas com doença de Raynaud apresenta a forma primária da doença. Algumas pessoas têm Raynaud secundária, que ocorre como resultado de outra doença. A doença de Raynaud secundária tende a ser mais severa.
Não há cura para a doença de Raynaud, mas é possível reduzir os sintomas e potencialmente reduzir a frequência dos ataques com a ajuda de tratamento médico e mudanças no estilo de vida.
Acrocianose
A acrocianose pode ser definida como uma patologia vascular permanente, que confere a cor azulada (cianose) à pele das mãos e, menos frequentemente, dos pés, podendo estender-se para antebraços e pernas.
Esta condição surge em consequência da dificuldade que o oxigênio encontra em chegar às extremidades dos membros, tanto superiores quanto inferiores.
É uma doença semelhante ao fenômeno de Raynaud. Os principais sintomas incluem:
• dedos das mãos ou pés azulados.
• pele fria e úmida
• inchaço
• pulso normal
Diabetes
Os portadores de Diabetes correm o risco de terem danos nos vasos sanguíneos, isso ocorre se a glicose no sangue permanecer elevada por muito tempo.
Se o portador de diabetes não receber tratamento, pode desenvolver redução da circulação nos pés, bem como úlceras que não cicatrizam.
Gerenciar o diabetes de forma eficaz pode ajudar a prevenir problemas nos pés, para isso os portadores de diabetes, devem fazer exames anuais dos pés para verificar se não desenvolveram má circulação, úlceras ou neuropatia.
Arteriosclerose
Este agravo ocorre quando as artérias endurecem e o sangue não consegue circular por elas com facilidade, este é um fator causal de Hipertensão Arterial. A arteriosclerose pode começar na infância e progredir lentamente, na medida em que crescemos. Normalmente ocorre em indivíduos maiores de 45 anos e é mais comum em homens. Depois da menopausa, as mulheres têm o mesmo risco que os homens.
A arteriosclerose é uma enfermidade que pode favorecer: AVEs, aneurismas da aorta; infarto cerebral; angina abdominal (dor) e infarto intestinal (coágulo sanguíneo nos intestinos); doença arterial coronária e arteriosclerose das extremidades.
Nas paredes das artérias doentes formam-se placas de ateromas que são formadas pelo acúmulo de colesterol, células musculares, cálcio e tecido fibroso. Estas placas podem crescer tanto que obstruem a artéria e, como consequência, diminuem o fluxo sanguíneo. Estas placas também podem fragmentar-se e formar coágulos. Os coágulos podem bloquear o fluxo sanguíneo para outras áreas do organismo e causar sérios problemas.
Alguns portadores de arteriosclerose não apresentam sintomas, enquanto outros podem desenvolver. Os sintomas variam dependendo de quais artérias e o tipo de doença subjacente:
• pressão no peito
• falta de ar
• arritmia cardíaca
• fraqueza
• problemas de respiração
• confusão
• tontura
Doença arterial periférica
Se não for tratada, a arteriosclerose pode se transformar em doença arterial periférica este agravo interrompe o fluxo sanguíneo, resultando na morte do tecido e potencialmente na amputação.
Os sintomas podem incluir:
• fraqueza nas pernas
• dor nas pernas
• cãibra
• cianose nos pés, devido a falta de oxigenação
Fatores de risco
Fatores que podem aumentar a probabilidade de baixa circulação incluem:
• inatividade física
• cigarro
• colesterol alto
• pressão alta

Créditos de imagem1:

<a href=’https://www.freepik.com/photos/woman’>Woman photo created by devmaryna – www.freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *