O perfil dietético da população brasileira, principalmente na área urbana, sofreu modificações expressivas, com aumento no consumo de proteínas de origem animal, e lipídios de origem animal e vegetal, e redução no consumo de cereais, leguminosas, raízes e tubérculos, e se somados a fatores como hereditariedade, obesidade e inatividade física contribui  para a elevação na prevalência de distúrbios cardiovasculares e metabólicos.

Mudanças na dieta podem ser um fator protetivo importante, no controle de elementos, que podem levar a doenças cerebrovasculares (derrame e infarto, entre outros), entre estes elementos se destaca os triglicérides.

Sendo assim seguem algumas dicas de como controlar os valores aumentados de triglicérides com boas escolhas na sua dieta.

  • As seguintes mudanças na dieta podem ser úteis na redução dos triglicerídeos.
  1. Diminuir a ingestão de açúcar – Procure estabelecer limites de frequência e quantidade de açúcar consumindo. Tentar reduzir a ingestão pela metade para começar e ir diminuindo aos poucos, observar o teor de açúcar dos alimentos.
  2. Troque os alimentos brancos por marrons – Por exemplo, ao invés de ingerir arroz branco, pão e macarrão, troque por produtos de trigo integral.
  3. Tente consumir gorduras boas -: limitar ou evitar alimentos com gorduras saturadas e trans. Isso inclui frituras, banha de porco, manteiga, leite integral, sorvete, assados prontos, carnes e queijo. Leia o rótulo doa alimentos e faça a escolha como por exemplo as gorduras insaturadas.
  4. Procure consumir frutas (no verão opte por frutas ricas em  água),leguminosas, vegetais folhosos (os mais escuros são ricos em substâncias antioxidantes – abuse das saladas), grãos, sementes e cereais.
  5. Opte pelo consumo de leites e iogurtes desnatados bem como os derivados.

Alterne para gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas em vez de gorduras trans ou saturadas. As melhores fontes dessas gorduras são o azeite, o óleo de canola, as nozes e os peixes gordurosos, como salmão, cavala, truta, sardinha, arenque e atum. Aprender a interpretar os rótulos dos alimentos ajuda a entender os tipos de gordura e os alimentos que consumimos.

Créditos de imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/background”>Background photo created by schantalao – www.freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *