Exaustão emocional pode surgir quando experimentamos um período de estresse excessivo no trabalho ou na vida pessoal.

Quando experimentamos exaustão emocional, pode nos tornar emocionalmente esgotados, sobrecarregados e fatigados. Esses sentimentos tendem a se acumular durante um longo período, embora não percebamos os primeiros sinais de alerta.

Estes sinais podem ter impactos significativos na vida cotidiana, nos relacionamentos e em nosso comportamento.

Causas exaustão emocional

Exaustão emocional geralmente surge após um período de estresse.

Vários fatores podem contribuir para o esgotamento emocional, dependendo da tolerância de cada indivíduo em relação ao estresse e a outras condições desgastantes.

Exemplos de coisas fatores que podem desencadear exaustão emocional:

⇒ mudança de vida significativa, como o divórcio ou morte de um ente querido

⇒ ser cuidador

⇒ estresse financeiro

⇒ ter um bebê ou criação de filhos

⇒ não ter moradia fixa

⇒ fazendo malabarismos com várias coisas ao mesmo tempo, como trabalho, família e escola

⇒ ser portador de doença crônica

⇒ trabalhar longas horas

⇒ trabalhar em um ambiente sob alta pressão.

Normalmente, a exaustão emocional ocorre quando o indivíduo se sente sobrecarregado e pode acreditar que têm falta de controle sobre sua vida ou pode não estar equilibrando corretamente o autocuidado com as exigências da vida.

Sintomas

Exaustão emocional causa efeitos físicos e emocionais que, por sua vez, podem afetar o comportamento. Os sintomas podem se acumular com o tempo e com o estresse repetido, embora algumas pessoas não reconheçam os primeiros alertas.

1. Mudança de humor

Exaustão emocional afeta o humor e a saúde mental.

Os portadores podem notar inicialmente que estão se sentindo mais cínicas ou pessimistas do que o normal, podem perder a motivação para trabalhar, socializar ou executar tarefas simples.

Eventualmente, esses sentimentos podem se tornar mais fortes e fazer com que os indivíduos se sintam presos ou desconectados.

Esgotamento emocional pode levar a sentimentos de:

⇒ raiva e irritabilidade, apatia, depressão, falta de motivação, desesperança, pessimismo.

2. Dificuldades de Pensamento

Indivíduos com exaustão emocional podem experimentar mudanças no pensamento e na memória. Algumas pessoas se referem a esses sintomas como “névoa cerebral”. Eles incluem:

⇒ Confusão mental, dificuldade de concentração, esquecimento, falta de imaginação, perda de memória.

As mudanças cognitivas podem ser especialmente desafiadoras quando uma pessoa está tentando conciliar situações estressantes, incluindo pressão de trabalho ou tarefas emocionalmente exigentes.

3. Problemas de sono

Durante períodos estressantes da vida, pode ser difícil manter um padrão regular de sono.

As pessoas com exaustão emocional também se sentem fisicamente fatigadas e podem ter dificuldade em adormecer ou permanecer dormindo à noite. Caso contrário, eles podem dormir demais pela manhã.

O mau humor e a névoa cerebral podem tornar difícil sair da cama pela manhã ou passar o dia.

4. Alterações físicas

Problemas emocionais podem se manifestar de maneiras físicas, incluindo:

⇒ Mudanças no apetite, problemas digestivos, dores de cabeça, palpitações cardíacas, perda de peso ou ganho.

5. Efeitos no trabalho e nas relações pessoais

Alterações físicas, emocionais e cognitivas podem afetar os relacionamentos de uma pessoa e sua capacidade de funcionar em casa e no trabalho, como:

⇒ menos capacidade de se conectar com os outros em um nível pessoal ou emocional

⇒ aumento das taxas de ausência do trabalho

⇒ alta de entusiasmo no trabalho e na vida pessoal

⇒ baixa autoestima

⇒ prazos perdidos

⇒ baixo desempenho no trabalho

O risco de esgotamento emocional aumenta para quem:

⇒ trabalha em um trabalho que não gosta

⇒ tem  mau ajuste no trabalho

⇒ trabalha longas horas

⇒  sente falta de controle no trabalho

Tratamento e dicas para recuperação

Para reduzir o cansaço emocional e o esgotamento, é necessário fazer mudanças no estilo de vida. Em alguns casos, eles podem exigir medicamentos ou terapia. Tratamentos e dicas para ajudar na recuperação incluem:

Reduzir o estresse

Sempre que possível, devemos tentar reduzir as fontes de estresse, como assumir menos tarefas, delegar a outros e pedir ajuda, quem sabe considerar mudar para um papel ou organização diferente se o trabalho for uma fonte significativa de stress.

Faça escolhas de estilo de vida saudáveis

Viver uma vida saudável pode melhorar a saúde física e mental e promover a resiliência. Para fazer isso:

  • Faça uso de uma dieta equilibrada, rica em frutas, legumes, cereais integrais e fontes de proteína magras.
  • Controle a ingestão de alcool
  • Evite fumar
  • Exercite-se por 30 minutos por dia, na maioria dos dias da semana.
  • Estabelecer uma rotina de sono, indo para a cama no mesmo horário a cada noite e ficar 7 a 9 horas de sono.

Manter um bom equilíbrio entre vida pessoal e profissional

As pessoas devem fazer pausas programadas ao longo do dia e reservar um tempo para as coisas de que gostam pelo menos uma vez por semana. Isso pode incluir:

⇒ Desenhar, jardinagem, leitura, assistir um filme, passar tempo com animais de estimação, caminhar no parque.

Prevenção

Muitos dos tratamentos para exaustão emocional também podem ajudar a impedir sua ocorrência, que incluem:

  • reduzir os estressores em casa e no trabalho
  • participar de atividades agradáveis
  • tirar um tempo para si
  • fazer uso de uma dieta saudável
  • exercitar-se regularmente
  • limitando o consumo de álcool
  • dormir o suficiente
  • manter um bom equilíbrio entre vida pessoal e profissional
  • conectando-se com amigos, familiares e outros
  • manter uma mentalidade positiva
  • praticar a atenção plena e a meditação
  • procurar ajuda profissional no início da ansiedade ou outras mudanças no humor

Fonte:

SANTINI, Joarez. Síndrome do esgotamento profissional Revisão Bibliográfica. Movimento, v. 10, n. 1, p. 183-209, 2004.

ROSADO, António et al. Relação entre esgotamento e satisfação em jovens praticantes desportivos. revista portuguesa de ciências do desporto, v. 9, n. 2, p. 56-67, 2009.;

DIAS, Janete Teixeira et al. Burnout-um indicador sem uma teoria: um estudo exploratório das possíveis contribuições psicossociais para a compreensão do esgotamento emocional no trabalho. 2003.

Créditos de imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/business”>Business photo created by yanalya – www.freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *