As vacinas COVID-19 atuam no sistema imunológico, quando são administradas, uma forma inativada do coronavírus SARS-CoV-2 ou a uma parte dele ativa o sistema imunológico a criar anticorpos. Isso não causa COVID-19, mas prepara nosso organismo para lutar contra futuras infecções com o vírus.

Todas as vacinas agem preparando o sistema imunológico para responder a infecções futuras. As vacinas são extremamente seguras para a maioria das pessoas que as recebem e não causam doenças.

Existe 12 vacinas contra COVID-19, que possuem autorização para uso em diversos locais do mundo.

Os desenvolvedores de vacinas trabalharam em condições sem precedentes para desenvolver vacinas contra COVID-19. Após o surgimento do vírus SARS-CoV-2 no final de 2019. Demorou menos de um ano para que as primeiras vacinas COVID-19 obtivessem autorização para uso.

Embora isso seja significativamente mais rápido do que para todas as outras vacinas, os desenvolvedores alavancaram a tecnologia de vacinas existente e um esforço global combinado.

Tipos de vacina

Embora todas as vacinas COVID-19 em uso em todo o mundo visem atingir o mesmo objetivo – ou seja, proteção contra COVID-19 – o prepara destas vacinas requerem diferentes tipos de tecnologia na sua produção.

Algumas vacinas são baseadas em todo o vírus SARS-CoV-2, outras usam apenas partes dele e algumas não usam nenhum material derivado diretamente do vírus.

Vamos conhecer os tipos de vacinas contra COVID?

Vacinas de RNAm

As vacinas de mRNA COVID-19 que a BioNTech-Pfizer e Moderna desenvolveram são as primeiras vacinas de mRNA autorizadas para uso em humanos fora dos ensaios clínicos. No entanto, a tecnologia não é nova.

Há vários anos, os cientistas trabalham em candidatos a vacinas de mRNA para doenças infecciosas e certos tipos de câncer.

As vacinas de mRNA não contêm nenhuma parte do vírus SARS-CoV-2. Em vez disso, eles carregam um pedaço de RNA mensageiro (m) sintetizado quimicamente que contém as informações necessárias para que nossas próprias células produzam a proteína spike SARS-CoV-2.

Nossas células fazer esta proteína e apresentá-la ao nosso sistema imunológico, que responde através da criação de anticorpos e o desenvolvimento de imunidade duradoura mais tempo sob a forma de respostas de células T e B.

Não é possível desenvolver COVID-19 pela  vacina de mRNA, pois, ela não carrega as instruções necessárias para fazer o coronavírus inteiro.

Vacinas de vetores virais

Como as vacinas de mRNA, as vacinas de vetor viral também não contêm o vírus SARS-CoV-2 completo. Eles usam um vírus inofensivo para encontrar o gene que permite que nossas células produzam a proteína do pico.

As vacinas Oxford-AstraZeneca, Sputnik V e Johnson & Johnson COVID-19 são vacinas de vetor viral que usam diferentes adenovírus como sistema de entrega, ou vetor. Os adenovírus, podem causar o resfriado comum e existem muitos tipos diferentes de adenovírus que podem infectar diferentes espécies.

A vacina Oxford-AstraZeneca usa um vetor de adenovírus de chimpanzé chamado ChAdOx1. A vacina russa Sputnik V usa dois vetores diferentes de adenovírus humanos chamados Ad26 e Ad5. A Johnson & Johnson também usa o vírus Ad26 em sua vacina.

Todas as três vacinas contêm o gene para a proteína Spike e o distribuem nas células após a injeção. As células então produzem a proteína Spike e a apresentam ao nosso sistema imunológico.

Tal como acontece com as vacinas de mRNA, as vacinas de vetor viral não carregam as informações necessárias para que nossas células produzam todo o vírus SARS-CoV-2. Portanto, eles não podem causar COVID-19.

Vacinas de subunidade

Como as vacinas de mRNA e vetor viral, as vacinas de subunidade usam apenas uma parte do vírus SARS-CoV-2. No entanto, em vez de fornecer às nossas células o código genético necessário para fazer uma proteína viral, as vacinas de subunidade entregam a proteína diretamente.

A vacina Novavax COVID-19 é uma vacina de subunidade. Os cientistas produziram grandes quantidades da proteína Spike SARS-CoV-2 em um laboratório para esta vacina experimental. Novavax usa células de inseto para fazer crescer as proteínas antes de purificá-las. As proteínas purificadas então formam nanopartículas.

Por conta própria, as nanopartículas de proteína podem não produzir uma reação imunológica forte o suficiente, então Novavax adiciona um adjuvante. Este é um produto químico que estimula o sistema imunológico.

As vacinas de subunidade não contêm material viral suficiente para formar o vírus SARS-CoV-2 completo. Portanto, eles não podem causar COVID-19.

Vacinas inativadas

Ao contrário do mRNA, vetor viral e vacinas de subunidade, as vacinas inativadas contêm todo o vírus SARS-CoV-2. No entanto, o vírus é modificado quimicamente para inativá-lo, o que significa que ele não pode causar doenças.

Sinovac, Sinopharm e Bharat Biotech usam uma substância química chamada beta-propiolactona para inativar o vírus SARS-CoV-2 em suas vacinas. O produto químico modifica o material genético do vírus.

As vacinas inativadas de COVID-19 não podem causar COVID-19, pois o vírus não pode fazer cópias de si mesmo.

Este tipo de vacina não produz uma reação imunológica tão forte quanto algumas outras, e a imunidade resultante pode não ser tão duradoura. Sinovac/Coronavac, Sinopharm e Bharat Biotech usam adjuvantes em suas vacinas COVID-19 para gerar uma resposta imune mais forte.

Para fornecer imunidade a longo prazo, pode ser necessário receber doses de reforço após receber uma vacina inativada COVID-19.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *