A doença de Alzheimer é uma doença na qual as células do sistema nervoso central sofrem um processo de morte mais acelerado que o que existe normalmente, provocando uma perda de função relacionada com os locais onde essa perda é maior. Na grande maioria dos casos esta perda de células atinge, nas fases mais iniciais da doença, locais essenciais a um certo tipo de memória, aquela que nos permite recordar acontecimentos recentes e aprender novas informações. Estas áreas usam a acetilcolina como mediador, ou seja, os neurónios dessas áreas libertam esse composto para ativar os neurónios com os quais fazem contato. A perda deste mediador faz com que esses neurónios não sejam ativados e não cumpram a sua função, dando origem a sintomas, neste caso, perda de memória.
É na sua grande maioria uma doença não-hereditária, ou seja, esporádica, relacionada com o envelhecimento. Embora possa manifestar-se em idades mais precoces, a sua prevalência aumenta de uma forma exponencial a partir dos 65 anos de idade, duplicando a cada 5 anos.

Apesar dos distúrbios de memória serem os sintomas comuns apresentados, os problemas de memória raramente existem isoladamente; a maioria dos pacientes apresenta prejuízo em duas ou mais áreas cognitivas:
1) Memória: As evidências mais comuns de perda de memória ocorrem nos testes de memória recente (secundária).
2) Linguagem: As circunlocuções, paráfrases semânticas e o uso de palavras “vazias” são evidentes. A diminuição da fluência verbal é também evidente e pode ser prontamente detectada em tarefas que exigem do paciente a capacidade de nomear membros de uma categoria durante um minuto.
3) Função visuo espacial: Desorientação geográfica, inicialmente em ambientes novos, mas também nos arredores familiares conforme a doença progride.
Muitos pacientes demonstram uma exacerbação das características de sua personalidade, outros podem experimentar uma inversão na personalidade.

Em alguns casos há desinteresse, apatia, despego e desinibição. Desconfiança e paranoia também podem ocorrer.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *