A doença de Alzheimer, é uma doença degenerativa progressiva, que piora ao longo do tempo. Seu portador apresenta perda gradual de memória, bem como mudanças de comportamento, pensamento e habilidades relacionadas à linguagem e função executiva (capacidade de realizar tarefas do dia a dia).

A doença de Alzheimer é a forma mais comum de demência. Ela afeta mais de 5 milhões de pessoas somente nos Estados Unidos.

Embora cada indivíduo, apresente os sintomas de Alzheimer de forma diferente, sua evolução clínica pode ser agrupada em uma série de estágios.

Infelizmente, o portador desta patologia irá sofrer cada vez mais dificuldades em realizar as atividades da vida diária (AVDs) à medida que a doença evolui.

Com que rapidez que a doença de Alzheimer progride?

A doença de Alzheimer parece desenvolver-se lentamente, em comparação com outros tipos de demência, mas a taxa de progressão varia muito entre os diferentes indivíduos.

A expectativa de vida média para uma pessoa com esta doença é 8-10 anos após o diagnóstico, mas as pessoas podem viver com Alzheimer por 20 anos ou mais, com o tratamento e cuidado adequado.

Fatores que podem interferir na evolução da doença

Idade: Pessoas que apresentam sintomas de DA (doença de Alzheimer) antes dos 65 anos podem ter progressão mais rápida, pois pode haver uma herança genética associada nestes casos.

Genes: os genes de uma pessoa podem afetar a taxa de progressão.

Saúde física: As pessoas com insuficiência cardíaca ou diabetes, que tiveram vários derrames ou que tiveram infecções repetidas, podem deteriorar-se mais rapidamente.

Manter-se ativo, estar envolvido em atividades e fazer exercício físico regular, pode ajudar o indivíduo a manter suas habilidades físicas e psíquicas por mais tempo.

​Outros fatores importantes que podem retardar a evolução da doença incluem:

– Manter uma dieta saudável

– Dormir o suficiente (em média 8 horas por noite)

– Tomar medicamentos prescritos corretamente

– Não fumar

– Não beber ou diminuir a ingesta

– Fazer exames preventivos regularmente.

Se uma pessoa com a doença de Alzheimer apresentar mudança repentina nas habilidades ou no comportamento, pode haver outro problema de saúde como infecção urinária, neste caso é importante buscar ajuda de um profissional de saúde o mais rápido possível.

Estágios da doença de Alzheimer

Neste post iremos descrever cinco estágios da DA, no entanto em algumas literaturas iremos encontrar apenas três estágios, então vamos a eles:

1- Doença de Alzheimer pré-clínica

2- Comprometimento cognitivo leve devido à doença de Alzheimer

3- Demência leve devido à doença de Alzheimer

4- Demência moderada devido à doença de Alzheimer

5- Demência severa devido à doença de Alzheimer

A demência observada nos estágios 3 a 5 descreve o conjunto de sintomas que afetam a memória, o pensamento, a resolução de problemas ou a linguagem, são suficientemente graves para afetar a vida diária.

O tempo médio entre o início dos sintomas percebidos de Alzheimer e o diagnóstico é de aproximadamente 2,8 anos.

Estágio 1- Doença de Alzheimer pré-clínica

As mudanças funcionais associadas com a doença de Alzheimer de acordo com estudos recentes podem começar anos, ou mesmo décadas, antes do diagnóstico.

Esta longa fase é conhecida como a fase pré-clínica da doença de Alzheimer. Durante esta fase, não haverá quaisquer sintomas clínicos perceptíveis.

Embora não se observe sintomas visíveis na fase pré-clínica, as tecnologias de imagem podem detectar depósitos de uma proteína chamada beta amiloide no córtex cerebral (o que necessariamente pode não confirmar a ocorrência da doença e sim uma suspeita clínica associada).

Em pessoas com doença de Alzheimer, esta proteína aglomera-se e forma placas (placas senis. Esses aglomerados de proteínas podem bloquear a comunicação entre as células nervosas e ativar as células do sistema imunológico que irão provocar um processo inflamatório destruindo células desabilitadas.

Existem outros marcadores biológicos, ou biomarcadores, que mostram um risco aumentado de doença, bem como testes genéticos que podem detectar se uma pessoa tem um risco aumentado através da presença de um gene específico.

Pesquisadores estão estudando com ênfase a fase pré-clínica, à fim de descobrir quais fatores podem prever o risco de progressão da cognição normal, para a fase 2 da progressão de Alzheimer, que envolve comprometimento cognitivos leves, também esperam que seus estudos ajudem as pessoas com Alzheimer a serem tratadas numa fase anterior.

Terapias modificadoras da doença podem ser mais eficazes nos estágios iniciais da doença de Alzheimer, podendo retardar a progressão mesma.

Estágio 2 – Alterações cognitivas leves devido à doença de Alzheimer

A deterioração cognitiva leve ocorre entre o declínio cognitivo que é esperado como uma parte normal do envelhecimento e o declínio mais severo da demência.

Deterioração cognitiva leve pode envolver o esquecimento de compromissos, uma perda de consciência das etapas para completar uma tarefa e demonstração julgamento pobre nas decisões.

Uma pessoa com comprometimento cognitivo leve, pode notar mudanças sutis em seu pensamento e sua capacidade de lembrar coisas. Podem exibir lapsos de memória, quando se trata de conversas recentes que tiveram, ou eventos e de compromissos que participaram.

No entanto, as mudanças na memória e pensamento nesta fase não são graves o suficiente para causar problemas com a vida do dia-a-dia ou atividades habituais.

À medida que as pessoas envelhecem, é normal que o esquecimento aumente ligeiramente, ou que o indivíduo demore mais tempo para lembrar de uma palavra ou de um nome. No entanto, se o problema parecer muito grave, pode ser um sinal de comprometimento cognitivo leve.

Os sintomas de comprometimento cognitivo leve incluem:

– Esquecimentos com maior frequência;

– Esquecer compromissos, conversas ou eventos recentes;

– Incapacidade de tomar decisões ou sentir-se oprimido ao fazê-lo;

– Incapacidade de julgar o tempo ou sequência de etapas para completar tarefas;

– Impulsividade e pobreza de julgamento;

Todas estas mudanças percebidas por familiares são fundamentais para auxilio no diagnóstico da doença.

Pessoas com comprometimento cognitivo leve também podem experimentar depressão, irritabilidade, agressividade, apatia e ansiedade.

Nem todos os indivíduos com comprometimento cognitivo leve, desenvolverão demência. Pesquisas sugerem que cerca de 10 a 15% dos idosos com comprometimento cognitivo leve poderão desenvolver demência à cada ano.

Atualmente, não há medicamentos ou terapias aprovadas que sejam capazes de tratar o comprometimento cognitivo leve.

No entanto, estudos estão sendo realizados na busca de tratamentos que podem ajudar a melhorar os sintomas, ou prevenir e retardar a progressão para a demência.

Estágio 3 – Demência leve devido à doença de Alzheimer

O estágio de demência leve geralmente é a fase onde geralmente o diagnóstico é realizado. Nesta fase amigos e familiares do portador começam a perceber que a pessoa está tendo problemas com a memória e pensamento, esses problemas também começam a afetar a vida diária.

Os sintomas de demência leve devido à doença de Alzheimer incluem:

– Dificuldade em lembrar informações recém-aprendidas;

– Fazer a mesma pergunta repetidamente;

– Dificuldade em resolver problemas e concluir tarefas;

– Redução da motivação para completar tarefas;

– Lapsos no julgamento;

– Tornar-se retraído ou irritado;

– Tem dificuldade em encontrar as palavras corretas para descrever um objeto ou ideia.

Estágio 4 – Demência moderada devido à doença de Alzheimer

Durante a fase de demência moderada devido à doença de Alzheimer, a pessoa torna-se cada vez mais confusa e esquecida. Seu portador pode precisar de ajuda com tarefas diárias e assistência para cuidar de si mesmo.

Os sintomas de demência moderada devido à doença de Alzheimer incluem:

– Perder o sentido de localização, em locais externos e em ambiente conhecido – alteração visuoespacial;

– Vagância em busca de um ambiente que sinta-se mais familiar;

– Não lembrar-se do dia da semana, mês ou estação;

– Confundir familiares e amigos próximos, ou confundir estranhos com a família;

– Esquecer informações pessoais como endereço, número de telefone, entre outros;

– Repetição de memórias favoritas ou inventar histórias para preencher as lacunas em sua memória;

– Precisar de ajuda para tomar decisões sobre o que vestir para o tempo ou a estação;

– Precisar de assistência para banhos e alimentação;

– Perda da continência urinária e intestinal;

– Inquietação e agitação;

– Pode apresentar explosões físicas e psíquicas.

Estágio 5 – Demência grave devido à doença de Alzheimer

No estágio cinco, o indivíduo precisará de cuidados e assistência total para as atividades do dia-a-dia.

Durante esta fase, a cognição vai se deteriorando. Movimentos e capacidades físicas podem piorar significativamente.

Os sintomas de demência grave devido à doença de Alzheimer incluem:

– Incapacidade em falar e comunicar-se coerentemente

– Necessidade de cuidados pessoais, alimentação, com a vestimenta e eliminações;

– Dificuldade ou incapacidade para andar, incapacidade em sentar ou segurar a cabeça;

– Músculos rígidos e reflexos anormais

– Perda da capacidade de engolir, incapacidade de controlar a bexiga e os movimentos intestinais;

– Assumir a posição fetal e evoluindo para imobilidade.

– Mutismo – incapacidade em se comunicar.

Uma pessoa com doença de Alzheimer grave, tem um risco alto de morte por pneumonia, sendo essa patologia uma causa comum de morte no portador de Alzheimer pois como o indivíduo perde a capacidade de engolir, os alimentos e bebidas podem ir para os pulmões e causar a infecção.

Outras causas comuns de morte entre as pessoas com doença de Alzheimer podem incluir desidratação, desnutrição e outras infecções como a urinária.

A doença de Alzheimer é atualmente a sexta causa principal de morte nos EUA. Cerca de um em cada três idosos morrem de Alzheimer ou outro tipo de demência. Ela mata mais pessoas do que o câncer de mama e de próstata combinado.

​A expectativa de vida para indivíduos com doença de Alzheimer varia dependendo de muitos fatores. Se os sintomas de uma pessoa aparecem quando eles estão em seus 60 ou 70 anos, eles poderão ter uma expectativa de vida de 7 a 10 anos. No entanto, se os sintomas de uma pessoa começarem aos 90 anos, eles são susceptíveis a viver em média 3 anos.

Entre as 10 principais causas de morte nos Estados Unidos, a doença de Alzheimer é a única doença que não pode ser retardada, curada ou prevenida.

Como a causa da doença de Alzheimer é desconhecida, não há nenhuma maneira conhecida para prevenir a doença. Muitas pesquisas estão em andamento a fim de identificar formas de tratar e até mesmo retardar seu aparecimento.

Algumas ações podem contribuir para a redução do risco de demência – ou atrasar seu início – e incluem parar de fumar, reduzir o consumo de álcool, dieta saudável, manter um peso saudável e permanecer fisicamente apto e mentalmente ativo.

Fonte:

http://www.medicalnewstoday.com/articles/315123.php

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *