• Beber chá está associado a uma série de benefícios à saúde, incluindo redução da pressão arterial.
  • Pesquisadores descobriram que compostos chamados catequinas, encontrados nos chás verde e preto, relaxam a musculatura lisa que reveste os vasos sanguíneos, o que pode levar à redução da pressão arterial.
  • A descoberta pode levar ao desenvolvimento de melhores medicamentos para hipertensão.
  • A descoberta também pode inspirar novos tratamentos para uma condição debilitante chamada encefalopatia epiléptica.

Os seres humanos consumiram o chá com cafeína pela primeira vez há mais de 4.000 anos na China. Desde então, tornou-se uma das bebidas mais populares do mundo, perdendo apenas para a água.

Tanto o chá verde quanto o preto são produzidos com as folhas do mesmo arbusto,  Camellia sinensis, mas o chá verde, é feito de folhas não fermentadas, contém mais antioxidantes.

A oxidação durante o processo de fermentação do chá preto reduz seus níveis de antioxidantes.

Vários estudos descobriram que o chá verde inibe a formação de câncer, diminui a pressão alta e reduz o risco de doenças cardíacas.

No entanto, o mecanismo molecular responsável pelo efeito sobre a pressão arterial não está claro até agora.

Cientistas da Universidade da Califórnia, Irvine (UCI) e da Universidade de Copenhagen, na Dinamarca, descobriram que os antioxidantes do chá abrem os canais iônicos e podem relaxar os músculos que revestem os vasos sanguíneos.

A descoberta pode orientar o desenvolvimento de medicamentos anti-hipertensivos mais eficazes, que podem melhorar a saúde de milhões de pessoas em todo o mundo.

Controlar ou reduzir a pressão alta pode ajudar a prevenir doenças renais crônicas, ataques cardíacos, insuficiência cardíaca e possivelmente demência.

Este estudo mostra pela primeira vez que dois antioxidantes no chá, conhecidos como catequinas, abrem um canal de proteína nas membranas das células musculares lisas que revestem os vasos sanguíneos. Isso permite que íons de potássio carregados positivamente deixem as células.

Os canais nas células nervosas e musculares mantêm as tensões através de suas membranas, permitindo que os íons negativos e positivos entrem e saiam de maneira controlada. Eles são “controlados por voltagem” , o que significa que respondem às mudanças nesta voltagem abrindo ou fechando.

Os pesquisadores descobriram que as catequinas no chá verde ativam um tipo específico de canal de íon de potássio, chamado KCNQ5.

Os cientistas sugerem que esse canal de proteína pode estar subjacente aos efeitos anti-hipertensivos de várias plantas usadas como remédios populares por milênios.

Os cientistas também descobriram que o aquecimento do chá verde a 35 ° C aumentava a ativação do KCNQ5.

No entanto, os amantes do chá gelado não precisam se preocupar.

Independentemente de o chá ser consumido gelado ou quente, essa temperatura é atingida após a ingestão do chá, pois a temperatura do corpo humano é de cerca de 37 ° C.

Atividade elétrica no cérebro

O KCNQ5 também existe nas membranas dos nervos do cérebro, onde ajuda a regular a atividade elétrica e a transmissão de sinais.

Pessoas com um distúrbio denominado encefalopatia epiléptica têm uma versão da proteína do canal que não responde efetivamente às mudanças de voltagem, o que leva a convulsões frequentes.

Os autores do estudo apontam que as catequinas podem cruzar a barreira hemato encefálica, o que impede que moléculas maiores, incluindo algumas drogas, entrem no cérebro.

Em teoria, drogas modeladas em moléculas de catequina poderiam, portanto, ajudar a corrigir a causa da encefalopatia epiléptica.

A descoberta de sua capacidade de ativar o KCNQ5 pode sugerir um mecanismo futuro para consertar canais KCNQ5 quebrados para melhorar os distúrbios de excitabilidade do cérebro decorrentes de sua disfunção.

  • Fonte: 
  • https://www.cellphysiolbiochem.com/Articles/000337/

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *