Qual o segredo para viver uma vida mais longa e saudável?

Cientistas encontraram algumas respostas para esta pergunta,  com um estudo em cobaias. Eles conseguiram prolongar a vida de macacos e ratos de laboratório.  Essa pesquisa, revelou novas pistas sobre a biologia do envelhecimento.

No entanto, evidências ainda mostram que a melhor maneira de aumentar a chance de viver uma vida longa e saudável é  seguir o conselho dos nossos pais: comer bem, fazer exercícios regularmente, dormir bastante e ficar longe de maus hábitos.

A expectativa de vida aumentou em todo o mundo, países como o Japão e China o número de idosos cresce de forma exponencial.

As pessoas mais velhas tendem a ser mais saudáveis hoje em dia.

Pesquisas demonstram, que comportamentos saudáveis, podem   nos ajudar a permanecermos ativos e saudáveis na maturidade.

Um exemplo, foi um estudo de longo prazo com  adventistas do sétimo dia – grupo religioso com um estilo de vida saudável – que mostrou,  que estes indivíduos  tendem a permanecer saudáveis na velhice.

Concluiu-se nesta pesquisa, que expectativa de vida desses indivíduos, foi 10 anos mais longa em média, do que a maioria dos americanos. Os hábitos de vida dos adventistas maduros  incluem, exercícios regulares, dieta vegetariana, evitar o tabaco e álcool e  manter um peso saudável.

Se tivéssemos  que classificar os comportamentos, em relação a saúde e em termos de prioridade, podemos dizer que o exercício é o fator mais importante associado à uma vida mais longa e saudável.

O exercício é fundamental para alongar a expectativa de vida ativa, além de contribuir para prevenção de doenças  e promoção da saúde física e mental / além do pensamento.

As alterações que ocorrem em nosso  corpo à medida que envelhecemos, podem levar a uma perda gradual de massa muscular, perda de massa óssea e  a dores articulares.

Essas mudanças, associadas ao sedentarismo aumentam o risco de doenças, dependência  e até mesmo a morte. É importante buscar um profissional de saúde, que lhe auxilie a  encontrar o tipo de atividade física ideal para você e com isso manter sua saúde e a mobilidade.

Mesmo idosos frágeis podem se beneficiar da atividade física regular.

Um estudo que  incluiu mais de 600 adultos, entre 70 e 89 anos, que estavam em risco de incapacidade, foram divididos e colocados aleatoriamente em um programa de exercícios moderado e um outro  grupo sem exercício. Posteriormente, os dois grupos foram comparados.

O grupo de exercícios trabalhou até 150 minutos de atividade semanal. Isso incluia caminhadas rápidas, treinamento de força e equilíbrio e exercícios de flexibilidade.

Depois de mais de dois anos, o grupo de atividade física apresentou  menos incapacidade, do que o grupo sedentário. “A equipe de pesquisadores, então constatou, que a combinação de diferentes tipos de exercícios aeróbicos, treinamento de força, equilíbrio e flexibilidade é importante para o envelhecimento saudável.”

Outra forma de  melhorar suas chances de uma vida mais longa e saudável é perder peso. Ser obeso – com um índice de massa corporal (IMC) superior a 30 – é um fator de risco para a morte precoce, encurta a expectativa de vida . O IMC é uma uma fórmula, que calcula a gordura corporal com base no  peso e altura.

Estudos em animais descobriram que certos tipos de mudanças na dieta – como dietas extremamente baixas em calorias – podem levar a uma vida mais longa e saudável. Estes estudos, oferecem pistas sobre os processos biológicos que afetam o envelhecimento saudável.

Mas, até esta data, dietas com restrição calórica e outras alterações dietéticas, têm tido resultados mistos, quanto ao aumento da expectativa de vida e de forma saudável nas pessoas.

Existem  evidências indiretas, de que ajustes nutricionais, podem melhorar a longevidade ativa nas pessoas, mas isso ainda é uma área de intensa pesquisa. Até agora,  realmente não existem provas sólidas sobre a restrição calórica e se ela pode ter um efeito positivo, sobre o envelhecimento humano.

Pesquisadores estão estudando, potenciais drogas ou outras abordagens que possam  imitar os benefícios da restrição calórica.

Não fumar é um excelente caminho para uma vida mais longa e saudável. “Não há dúvida de que parar de fumar é um hábito difícil largar, mas alguns dados sugerem que a partir do momento em que decide-se  parar de fumar, há inúmeros  benefícios à saúde. Portanto, vale a pena fazer esse esforço .

Acreditamos que é necessário ter  uma boa genética para viver mais e melhor, mas isso é  apenas um fator. A pesquisa mostra que a genética,  representa  menos de um terço das  chances de sobreviver até a idade de 85 anos.

Os fatores relacionados aos hábitos de vida,  tem um peso maior quando o assunto é longevidade. Nossos genes podem nos levar  a longevidade se  adotarmos hábitos vida saudáveis.

A crença de que ao envelhecermos as chances de adoecer aumentam, estão sendo modificadas, pois  o  bom senso, aliado a hábitos saudáveis  como exercícios regulares, controle do peso,   evitar consumo de carne vermelha, não fumar e controlar o estresse, podem contribuir significativamente para uma longevidade saudável.

A chave para o envelhecimento saudável é manter-se ativo  mental, física e socialmente. “A passagem do tempo não deve  limitar-se a sentar numa cadeira de balanço e deixar os dias passarem.”

A maturidade nos traz experiências únicas, que podem ser compartilhados com gerações mais jovens.

Créditos da imagem:

<a href=”http://www.freepik.com/free-photos-vectors/background”>Background image created by Freepik</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *