A atrofia cerebral ocorre quando há uma perda de células cerebrais (neurônios) ou uma perda no número de conexões entre essas células. Indivíduos que sofrem de atrofia cerebral,  apresentam funcionamento cognitivo mais baixo, como resultado desse tipo de dano no cérebro.

Existem dois tipos principais de atrofia cerebral: atrofia focal, que ocorre em regiões cerebrais específicas, e atrofia generalizada, que ocorre em todo o cérebro.

Atrofia cerebral pode ocorrer como resultado do processo natural de envelhecimento.

Sintomas

A atrofia cerebral, pode afetar uma ou várias regiões do cérebro. E os sintomas variam de acordo com a localização da atrofia e sua gravidade.

Convulsões

A convulsão é o aumento repentino e anormal da atividade elétrica no cérebro. Há dois tipos de convulsões, a convulsão parcial, que afeta apenas uma parte do cérebro. A outra é a convulsão generalizada, que afeta os dois lados do cérebro.

Os sintomas da convulsão dependem de qual parte do cérebro ela afeta. Alguns indivíduos podem não ter nenhum sintoma perceptível, enquanto outros podem ter um ou mais dos seguintes:

  • mudanças comportamentais
  • movimentos bruscos dos olhos
  • sabor amargo ou metálico na boca
  • espumar pela boca
  • aperto de dentes
  • grunhindo e bufando
  • espasmos musculares
  • convulsões
  • perda de consciência

Afasia

Afasia é um sintoma que afeta a capacidade do portador em se comunicar. Alguns tipos de afasia podem afetar a capacidade do indivíduo em produzir ou entender a fala. Outras podem afetar a capacidade de ler ou escrever.

Alguns casos de afasia são relativamente leves, enquanto outros podem prejudicar gravemente a capacidade de comunicação de uma pessoa.

Demência

Demência é o termo para um grupo de sintomas associados a um declínio contínuo da função cerebral. Esses sintomas podem incluir:

  • perda de memória
  • pensamento lento
  • problemas de linguagem
  • problemas com movimento e coordenação
  • julgamento pobre
  • distúrbios de humor
  • perda de empatia
  • alucinações
  • dificuldade em realizar atividades diárias

Existem vários tipos diferentes de demência, sendo a Doença de Alzheimer a mais comum.

O risco de um indivíduo desenvolver demência aumenta com a idade, com a maioria dos casos afetando pessoas com 65 anos ou mais. A demência é uma doença e não é considerado uma parte natural do processo de envelhecimento.

Causas

A atrofia cerebral pode ocorrer como resultado de uma lesão, seja de uma lesão traumática TCE ou de um derrame (AVE). Também pode ocorrer como resultado de, encefalite, neuro sífilis e HIV.

Em alguns casos, a atrofia cerebral pode ocorrer como resultado de um distúrbio ou doença, como, paralisia cerebral, esclerose múltipla, Doença de Huntigton, Doença de Alzheimer, Demência Frontotemporal, Demência de Pick encefalopatias mitocondriais e leucodistrofia.

Parte inferior do formulário

Diagnóstico

Para diagnosticar atrofia cerebral, é necessário coletar um histórico do paciente, em relação as suas queixas e doenças do passado. São realizados também testes de linguagem ou memória ou outros testes específicos da função cerebral.

Caso haja suspeita que uma pessoa tem atrofia cerebral, será necessário localizar os danos cerebrais e avaliar a gravidade, para isso é indicado o exame de tomografia e ressonância magnética.

Tratamento

As opções de tratamento para atrofia cerebral variam de acordo com a localização, gravidade e causa.

Lesões

A atrofia cerebral pode ocorrer como consequência a longo prazo de uma lesão. Nesses casos, o tratamento tende a se concentrar em ajudar a circulação cerebral se recuperar com o tempo.

As lesões cerebrais geralmente requerem um período de reabilitação que pode envolver as seguintes terapêuticas – fisioterapia, fonoaudiologia e aconselhamento familiar.

Infecções

Serão necessários medicamentos para tratar infecções que resultam em inflamação e atrofia cerebral. Para isso o médico pode prescrever antibioticoterapia para o tratamento de infecções bacterianas, ou antivirais para tratamento de infecção viral..

Demência e outras condições degenerativas

Vários distúrbios e condições podem levar à atrofia cerebral. Atualmente, muitas dessas condições não têm cura; portanto, o tratamento geralmente se concentra no gerenciamento dos sintomas.

O tratamento pode envolver uma combinação de medicamentos e terapias, como terapia ocupacional ou de fala. Essas terapias podem ser necessárias para ajudar o portador a recuperar a função cerebral ou aprender estratégias para ajudar a lidar com a doença.

É possível reverter a atrofia cerebral?

Até recentemente, muitos cientistas consideravam o cérebro um órgão relativamente imutável. No entanto, as pesquisas mostram cada vez mais como o cérebro adapta sua estrutura e funcionamento ao longo da vida.

Atualmente, não está claro se é possível reverter a atrofia cerebral. No entanto, o cérebro pode alterar a forma como funciona para compensar os danos. Em alguns casos, isso pode ser suficiente para restaurar o funcionamento ao longo do tempo.

Créditos de imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/character”>Character vector created by freepik – www.freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *