Manchas de idade, são marcas que geralmente aparecem na pele após a exposição prolongada ao sol. Na mairia das vezes são inofensivas, mas algumas pessoas otam por removê-las por razões estéticas.

As manchas relacionadas ao processo de envelhecimento,  são planas e mais escuras do que a pele ao redor. Podem ser castanhas, ou pretas, e podem se parecer com sardas.

Manchas de idade, são resultado do corpo produzindo melanina em excesso, que é o pigmento que dá cor à pele.

Isso ocorre pois quando a pele é exposta à luz solar, o corpo produz melanina extra para proteger a pele dos raios ultravioleta (UV) do sol. Quanto mais melanina for produzida, mais escura fica a pele. As manchas da idade aparecem quando o excesso de melanina na pele se acumula.

Sinais e Sintomas

Manchas de idade geralmente aparecem em áreas da pele  comumente expostas ao sol, incluindo:

  • face
  • costas das mãos
  • ombros
  • de volta
  • braços
  • topos dos pés

Manchas de idade podem se desenvolver isoladamente ou em grupos. Eles variam em tamanho e podem variar de 0,2 a 2,0 cm  de diâmetro.

Manchas na pele relacionadas a idade, tendem a aparecer em pessoas com mais de 40 anos,  embora também ocorram em pessoas mais jovens que sofreram queimaduras solares ou usaram bronzeamento artificial e são  mais comuns em pessoas com pele mais clara,  mais sensíveis ao sol.

Diagnóstico

O dermatologista é o profissional indicado para identificar as manchas da idade através de exame visual, ou com o auxílio de um dermatoscópio, que é uma ferramenta de ampliação que profissionais usam para examinar áreas da pele.

Em alguns casos, pode ser difícil diferenciar manchas típicas da idade de um melanoma, que é  um tipo de câncer que se forma nas células que contêm pigmento.

Caso o profissional não tenha certeza, ele pode pedir uma biópsia da pele. Isso envolve tirar uma pequena amostra da pele afetada e enviá-la para um laboratório, onde um técnico realizará testes para determinar o tipo de crescimento.

As manchas da idade são inofensivas e não requerem tratamento caso não incomodem a estética.

Tratamento

Mas caso você queira remover uma mancha na pele relacionada a idade existem várias opções, entre elas:

Cremes tópicos podem tratar esses tipos de manchas como os produtos a base de, retinóides, como a tretinoína, cortisona e hidroquinona. Mas atenção, devem ser  usados com orientação profissional. Esses cremes agem clareando as manchas gradualmente ao longo do tempo e por vezes, podem rritar a pele, por isso é melhor discutir os efeitos colaterais com o médico antes de decidir sobre o creme certo.

Alguns procedimentos cosméticos também podem clarear ou remover manchas da idade. Antes de passar por um procedimento, discuta as opções com um dermatologista que é o médico especializado em cuidados com a pele.

O dermatologista pode sugerir um dos seguintes procedimentos:

  • Crioterapia, que envolve a remoção do local com uma substância fria, como nitrogênio líquido
  • Cirurgia a laser ou terapia de luz intensa pulsada, que envolve o uso de feixes de alta intensidade
  • Microdermoabrasão, um tratamento não invasivo que envolve a esfoliação da pele
  • Peeling químico, que envolve aolicar uma solução química sobre a pele para após  esfoliá-la, para retirar as células mortas

Todos esses procedimentos acarretam riscos e podem causar cicatrizes na pele.

Estas técnicas de remoção também podem tornar a pele mais sensível à luz solar. Qualquer pessoa que tenha sido submetida a um desses procedimentos deve tomar precauções extras ao sol e seguir os conselhos do seu médico.

Remédios caseiros

Remédios naturais também podem ajudar a aliviar manchas de idade. Esses incluem:

  • Aloe vera: Algumas pesquisas sugerem que a aplicação de aloe vera na manchas relacionadas a idade pode aliviar as marcas.
  • Extrato de orquídea: Pesquisadores concluíram que extratos de orquídeas podem aliviar manchas de idade. Os extratos são ingredientes presentes em alguns produtos de cuidados da pele.

Cremes tópicos também podem reduzir o aparecimento de manchas da idade. Pesquisas sugerem, que cremes contendo ácido azeláico, vitamina E, C, ácido alfa hidroxi e clorofilina de cobre ajudam no clareamento de manchas.

Muitas vezes é possível evitar a formação de manchas da idade, com o uso de protetor solar com proteção mínima de FPS 30, quede ver resistente à água e ter proteção UVA e UVB. deve-se aplicar o protetor solar na pele exposta 15 minutos antes de ir ao ar livre.

Outras formas de proteger a pele e prevenir manchas de idade incluem:

  • Reaplicando protetor solar a cada 2 horas ou após a transpiração ou entrar na água
  • Cobrir a pele com um chapéu de abas largas, mangas compridas, calças compridas e óculos escuros
  • Ficar fora do sol durante as partes mais quentes do dia, geralmente entre as 10h e as 14h.
  • Abster-se de usar camas de bronzeamento
  • Passar protetor labial com FPS 30 ou superior
  • Usar luvas quando andar de bicicleta ou jardinagem por um longo período no sol
  • Tomando precauções extras em torno da água, neve ou areia, pois essas superfícies refletem os raios do sol
  • Vestir roupas com um fator de proteção ultravioleta, ou UPF, de 40-50

Evitar a superexposição ao sol também reduz o risco de câncer de pele.

Em casos de manchas de pele relacionadas a câncer, é provável que elas se desenvolvam em áreas que foram expostas ao sol por um período prolongado. Neste caso as manchas podem se parecer com queratose actínica,  (QA), que são pré-cancerosos. No entanto, as manchas da idade são planas, enquanto o crescimento da QA geralmente é irregular.

Outras questões a serem observadas em suspeita de câncer de pele:

  • manchas ásperas de pele que podem ser dolorosas quando esfregadas
  • manchas de pele secas, escamosas, cor-de-rosa ou vermelhas
  • marcas brancas e escamosas que parecem verrugas

Se uma pessoa suspeitar da presença QA, deverá visitar um médico para um exame.

Deve-se sempre consultar um médico sobre quaisquer alterações incomuns   na pele. Se é  feito um diagnóstico de câncer de pele em um estágio inicial, o tratamento tem uma alta taxa de sucesso.

Fonte:

MONTAGNER, Suelen; COSTA, Adilson. Bases biomoleculares do fotoenvelhecimento. An Bras Dermatol, v. 84, n. 3, p. 263-9, 2009.

TOFETTI, Maria Helena de Faria Castro; DE OLIVEIRA, Vanessa Roberta. A importância do uso do filtro solar na prevenção do fotoenvelhecimento e do câncer de pele. INVESTIGAÇÃO, v. 6, n. 1, 2010.

FAVARO DE ARRUDA, Lucia Helena et al. Avaliação de dermocosmético com retinaldeído, nicotinamida e vitis vinifera no fotoenvelhecimento cutâneo de mulheres entre 25 e 40 anos de idade. Surgical & Cosmetic Dermatology, v. 4, n. 1, 2012.

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/person”>Person image created by Rawpixel.com – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *