A medida que envelhecemos, vai diminuindo nossa funcionalidade, o que nos torna mais vulneráveis à alguns agravos então devemos tomar alguns cuidados, a fim de manter a saúde e a qualidade de vida na terceira idade.

O envelhecimento populacional é uma realidade cada vez mais presente em muitos países, principalmente em países desenvolvidos e é de fundamental importância que este processo seja acompanhado de qualidade de vida, ou seja livre de doenças.

A fim de que esta idade possa ser gozada de forma plena é necessário também fazer escolhas como estilo de vida saudável, que incluem parar de fumar e perder peso, uma boa noite de sono, lazer e, não devemos nos esquecer das visitas frequentes ao profissional de saúde, no caso do idoso, o geriatra. Este profissional é um médico que se especializou na saúde do idoso e, pode ajudá-lo a aprender a viver com doenças crônicas se esse for o caso.

Além disso, cuidados com a higiene oral (o dentista), nutricional (nutricionista) e a educação em saúde e o cuidado de uma forma geral (o enfermeiro) são fundamentais para uma boa saúde na terceira idade.

A seguir irei listar as queixas mais comuns, relacionadas aos agravos apresentados pelo indivíduo na terceira idade:

1. Artrite

A artrite é, provavelmente, a condição número um em queixas do idoso ela afeta 49,7 % de todos os adultos com mais de 65 anos e pode levar à dor, prejudicando a qualidade de vida de alguns idosos. Embora a artrite possa desanimá-lo e deixa-lo menos ativo, é importante trabalhar com o seu médico para desenvolver um plano de atividade direcionada às suas necessidades que, juntamente com outros tratamentos, podem lhe ajudar a manter a saúde em dia.

2. Doença cardíaca

De acordo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), doença cardíaca continua sendo a principal causa de morte de adultos com mais de 65 anos de idade, sendo responsáveis por 488.156 mortes em 2013.  Por ser uma condição crônica, a doença cardíaca afeta 37% por cento dos homens e 26% por cento das mulheres acima de 65 anos pois se associam a alguns fatores de risco, tais como pressão arterial alta e níveis elevados de colesterol, que aumentam as chances de ter um acidente vascular cerebral ou infarto agudo do miocárdio. No entanto alguns cuidados podem prevenir a ocorrência destes agravos e incluem: exercício físico, comer bem, ter uma boa noite de sono.

3. Câncer

O câncer é a segunda principal causa de morte entre pessoas com mais de 65 anos de idade, nos Estados Unidos com 407.558 mortes em 2013. De acordo com o centro de controle de doenças americano, 28% dos homens e 21 % das mulheres com mais de 65 anos estão vivendo com câncer. Se detectado precocemente através de exames como mamografias, colonoscopias e avaliação dermatológica, muitos tipos de câncer podem ser tratáveis. E, embora nem sempre seja possível prevenir o câncer, é possível melhorar a qualidade de vida na terceira idade, , trabalhando com a equipe de saúde de forma integrada seguindo as orientações.

4. Doenças Respiratórias

As doenças respiratórias inferiores crônicas, como a DPOC, são a terceira causa mais comum de morte entre as pessoas com 65 anos ou mais, ceifando anualmente 127.194 vidas. Cerca de 10% dos homens e 13% das mulheres convivem a asma, bronquite crônica e enfisema pulmonar. Apesar de a doença respiratória aumentar os riscos à saúde dos idosos, essas doenças crónicas, torna-o mais vulnerável a infecções, como a pneumonia. A realização de testes de função pulmonar e o uso de medicação corretamente bem como a utilização de oxigênio podem garantir uma qualidade de vida satisfatória ao idoso portador destes distúrbios.

5. Doença de Alzheimer

A doença de Alzheimer representou 83.786 óbitos de pessoas com mais de 65 anos de idade em 2013, de acordo com o CDC. A Associação de portadores de Alzheimer relata que uma em cada nove pessoas com 65 anos e mais velhos, cerca de 11%, vivem com a doença, sendo seu diagnóstico um desafio para os profissionais de saúde, é muito difícil saber exatamente quantas pessoas vivem com esta condição crônica. No entanto, os especialistas reconhecem que o prejuízo cognitivo tem um impacto significativo na saúde do idoso em vários aspectos, que incluem desde questões de segurança o autocuidado bem como traz uma carga muito alta de custo nos cuidados domiciliares a esse idoso bem como a reorganização do ambiente que o mesmo vive.

6. Diabetes

Cerca de 20% dos homens e 18% das mulheres com mais de 65 estão vivendo com diabetes, um risco significativo para a saúde na terceira idade. De acordo com dados do CDC, a diabetes tem causado 53.751 mortes entre indivíduos com mais de 65 anos de idade em 2013. A Diabetes pode ser identificada e tratada precocemente com exames de sangue simples como a glicemia capilar capaz de medir os níveis de açúcar no sangue. Quanto mais cedo você sabe que você tem ou está em risco para o diabetes, o mais cedo você pode começar a fazer mudanças para controlar a doença e melhorar suas perspectivas de saúde à longo prazo.

7. Quedas

As quedasforam grandes responsáveis pelo aumento do número de atendimentos a idosos em salas de emergência em 2013 no EUA, a incidência de 473 casos por 10.000 homens e 767,2 por 10.000 mulheres foram atendidos e a maioria internados em hospitais por conta de quedas, de acordo com os dados dos programas de CDC,e 1/3 das pessoas que vão para o setor de emergência devido a queda podem voltar a cair novamente em um ano, de acordo com um estudo de 2015  publicado no American Journal of Emergency Medicine. Então esteja ciente a maioria das quedas ocorrem em casa, onde riscos de tropeçar incluem tapetes e pisos escorregadios, ausência de corrimões, entre outros. Neste caso a prevenção é o melhor remédio, saiba mais sobre quedas e envelhecimento acessando o post do nosso site (clique aqui).

Bem estas foram apenas algumas dicas, o envelhecimento é uma realidade única e alguns cuidados básicos com a saúde podem nos proporcionar independência e autonomia, requisitos fundamentais para qualidade de vida na terceira idade.

Uma abraço a todos e fiquem em paz.

Fonte: http://www.everydayhealth.com/news/most-common-health-concerns-seniors

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *