Embora o distanciamento físico seja uma maneira eficaz de retardar a propagação de muitos vírus, também pode levar a sentimentos de solidão e isolamento, especialmente em idosos.

As pessoas estão se distanciando das outras para  impedir a disseminação do SARS-CoV-2, causador da COVID-19. No entanto, o isolamento tem um impacto significativo na saúde, contribuindo para condições como depressão, ansiedade demência.

Por esse motivo, Organização Mundial de saúde – OMS,  incentiva as pessoas a continuarem a socializar à distância, por telefone ou via plataformas online.

Isolamento e saúde mental

Segundo a a OMS, as redes de apoio social podem ter um efeito positivo significativo na saúde. De fato, muitos países estão agora tratando a solidão como uma prioridade de saúde.

A conexão social é crucial para a saúde mental e física. Alguns pesquisadores acreditam que os relacionamentos são uma necessidade biológica e vital para o nosso bem-estar e sobrevivência.

Os riscos de impacto na saúde mental associados à solidão e isolamento podem incluir:

  • depressão
  • ansiedade
  • esquizofrenia
  • suicídio
  • demência
  • Doença de Alzheimer

Os pesquisadores também identificaram vínculos entre a solidão e algumas condições físicas, como doenças cardíacas e câncer de mama.

Quem está em risco?

Atualmente, o mundo está lidando com a pandemia do COVID-19, e as organizações de saúde em todo o mundo estão instando as pessoas a o distanciamento social, que é um método eficaz para impedir a disseminação do SARS-CoV-2, mas pode levar à solidão.

Os idosos em sua maioria tendem a se sentir isolados. Antes da pandemia do COVID-19, os pesquisadores estimavam que o isolamento afetava mais 8 milhões de idosos nos EUA.

Uma das razões pelas quais os idosos correm maior risco de solidão é que frequentemente sofrem mudanças importantes na vida, como:

  • aposentadoria
  • viuvez
  • filhos saindo de casa
  • problemas de saúde relacionados à idade

Essas mudanças podem romper os laços sociais, dificultando a socialização. Pessoas com deficiência ou condições de saúde que limitam a atividade física também podem achar mais difícil socializar fora de casa.

A idade e as condições de saúde subjacentes também são fatores de risco,  para o desenvolvimento de sintomas graves de COVID-19. A melhor maneira de proteger as pessoas vulneráveis ​​é praticar o distanciamento físico, mas isso também pode exacerbar a solidão em pessoas que já se sentem isoladas.

A taxa de solidão nos Estados Unidos também está aumentando. Especialistas sugerem que um número crescente de pessoas nos EUA experimenta isolamento regularmente. Outras nações – incluindo Alemanha, Austrália e Reino Unido – dizem que estão enfrentando uma epidemia de solidão.

Algumas tendências sociais também podem causar desconexão social. Por exemplo, o tamanho médio das famílias diminuiu e vários  casais decidem não ter filhos.

Os pesquisadores também registraram menor participação em grupos sociais, menor participação em grupos religiosos e um declínio no tamanho médio dos grupos sociais nos EUA.

Outros fatores do estilo de vida que tornam mais provável que alguém sinta solidão incluem:

  • divórcio
  • morar sozinho
  • Ser solteiro
Sinais e sintomas a serem observados

Alguns sinais e sintomas que sugerem que o isolamento está afetando a saúde mental de uma pessoa podem incluir:

  • sentimentos de depressão e ansiedade
  • comportamento agressivo
  • atitude passiva
  • má qualidade do sono
  • declínio cognitivo
  • memória alterada
  • autocuidado ou negligência

Os pesquisadores acreditam que as consequências da solidão e do isolamento são diferentes, dependendo da idade de uma pessoa.

Por exemplo, pessoas de 18 a 49 anos podem ter dificuldade para se concentrar ou podem comer com mais frequência. Enquanto isso, crianças e adolescentes podem experimentar mais dificuldades cognitivas, comportamentais e emocionais.

Como permanecer conectado

Encontrar maneiras de se conectar com outras pessoas pode reduzir o efeito da solidão na saúde mental das pessoas, à medida que elas se isolam.

Chegar a pessoas queridas, amigos e necessitados assume muitas formas hoje. Com várias plataformas para escolher, as pessoas podem se conectar via:

  • whats zap
  • telefone e texto
  • o email
  • mídia social

Com protocolos físicos de distanciamento em vigor em todo o mundo, a OMS recomenda ajudar as pessoas carentes durante a pandemia do COVID-19.

Bater na porta do vizinho e ficar a uma distância segura, ou ligar para o telefone, pode lembrá-los de que eles têm apoio nas proximidades. Configurar chamadas telefônicas ou vídeo chamadas regulares também pode ajudar a diminuir a sensação de solidão.

Enviar pacotes de assistência a alguém é outra maneira de permanecer conectado. As pessoas que cuidam de indivíduos vulneráveis ​​podem pegar medicamentos ou deixar compras e outros itens essenciais à sua porta.

Além disso, embora muitas empresas estejam fechadas durante a pandemia do COVID-19, é possível encontrar programas de exercícios, vídeos de beleza e cuidados pessoais e cursos on-line. Participar de atividades on-line com outras pessoas pode promover um sentimento de conexão e diminuir a solidão.

  • Tenha uma rotina. Acompanhe as rotinas diárias o máximo possível ou crie novas.
  • Levante-se e vá para a cama em horários semelhantes todos os dias.
  • Não descuide da higiene pessoal.
  • Coma refeições saudáveis ​​em horários regulares.
  • Pratique exercícios regularmente.
  • Aloque tempo para trabalhar e tempo para descansar.
  • Reserve um tempo para fazer as coisas que você gosta.
Quando procurar ajuda

Pessoas que experimentam a solidão devem procurar ajuda de um médico ou terapeuta se perceberem sinais ou sintomas de ansiedade ou depressão, quer incluem:

  • inquietação ou irritabilidade
  • preocupação persistente
  • dormindo muito ou pouco demais
  • incapacidade de se concentrar
  • pensamento suicida

Ao encontrar alguém nessas condições, vale a pena verificar se eles estão comendo, dormindo e cuidando de si mesmos. Se eles estão sofrendo e podem necessitar de apoio.

A pandemia do COVID-19 forçou as pessoas a se auto isolarem para impedir a disseminação do SARS-CoV-2. No entanto, a solidão pode ter sérias consequências para a saúde e pode agravar condições como depressão, ansiedade e demência.

A socialização à distância, como por meio de plataformas on-line, pode ajudar a aliviar os sentimentos de solidão e prevenir suas complicações, especialmente para pessoas vulneráveis.

Qualquer pessoa que sofra alterações em sua saúde física ou  mental  devido ao isolamento deve buscar ajuda de um profissional da saúde.

Fonte:

https://www.medicalnewstoday.com/articles/isolation-and-mental-health#summary

https://www.who.int/news-room/campaigns/connecting-the-world-to-combat-coronavirus/healthyathome/healthyathome—mental-health

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *